If we don’t, remember me

Eu estava pensando assim, quem inventou a carta? Não a carta de baralho, que essas a gente sabe, estuda na escola, mas as cartas cartas mesmo, quando foram inventadas, quem primeiro se viu distante um do outro que teve a idéia de  “cobrir” a distancia e ausencia com uma… carta,  ou bilhete,  epístola, misssiva , não é? No Brasil, até onde se sabe  a primeira carta foi a de Pero Vaz e seguem sendo  (ou não são?) insubstituíveis, pelo menos até o aparecimento do telefone…  Pois bem, esse post é sobre palavras (a dita e a escrita) e as imagens, esse fascínio que pega de jeito gente como eu.

Então, tão: já não é mais novidade para ninguém, e eu corro o risco de ser a última da classe… mas, com dizem os nossos irmãos do outro lado do oceano,  mais vale tarde que mais tarde e aqui está minha homenagem  e agradecimento ao moço (meu companheiro de Tumblr) do blog IWDRM,  que é campeão absoluto no quesito, luxo, riqueza e poder:-)  Estou encantada, um amor de perdição, pelas GIF‘s! Este post foi adiado desde dezembro do ano passado e acho que jamais o publicaria pois cismei que as gifs não funcionavam (perdiam o sutil movimento) no WordPress. (bem, eu ainda não sei, me digam, vocês). Burrinha, eu. Obrigada, Cat Miron.

Voilà: algumas gifs, todas de amados meus, incluindo ele, o mais poderoso, que faz aniversário no dia 31, ai, Jesus, apaga a luz! o meu Clint, ô lá em casa!…

“Hi, Lloyd. Little slow tonight, isn’t it?”

The Shining – (O Iluminado, 1980) – meu filme ‘tenebroso’ preferido. Jack Nicholson, adorado. Um Kubrick perfeito que a gente vê de olhos bem… fechados, lembram? ♦ ♦ ♦ Ela.  Mais linda, rycah e phynah impossível! Kim Novak:

kim novak

“Only one is a wanderer. Two together are always going somewhere”. Vertigo (Um corpo que cai), Hitchcock, 1958.

♦ ♦ ♦ OMG!

clint rulz: the good the bad the ugly

“Every gun makes its own tune.” (The good, the bad and the beautiful, Três homens em conflito, 1966

♦ ♦ ♦

Mas nem só de GIF’s vive a nossa atual fantasia. Também há lugar para as imagens digamos, tradicionais (JPG). Leia mais deste post

KIM, minha bruxinha preferida, parabéns! (E mais um blog im-per-dí-vel)

Hoje, 13 de fevereiro, é aniversário de Kim Novak (OK, sei que vocês gostam de Vertigo, do corpo que cai, etcterrá, não é?. Bom, eu também… não fosse eu hichcockiana de papo amarelo (é assim que se diz, aqui na minha terra, não me perguntem por que, porque eu não sei hohoho)
kimporcel
mas gosto ainda mais dela como a bruxinha comandando os ‘intermediários’ em Bell, Book and Candle – (Sortilégio de Amor )- u-ma de-lí-ci-a!. Ela não está lindissima? E tem ainda James Stewart, o maravilhoso Jack Lemmon e.. taí, Elsa Lanchester;-). Vo c~e não viu? Oh que dor…Tadim, mas tem jeito: locadora!.

kimcm.jpg
essa aqui que não sei de que filme é mas está lindona fazendo caras e bocas, é ou não é?, diz aí!:
O nome dela era, segundo disse um amigo meu, Marilyn (veja só) aí – et pour cause – ela mudou para… claro, Kim Novak, simples, tudo a ver, né?;-) Mas acho uma bela trívia. Olha só, como meu amigo me falou:

“…a Kim Novak foi “descoberta” após vencer um concurso pra posar de Miss Frigidaire; o nome verdadeiro é Marilyn, mas como a Norma Jean já tinha virado Marilyn a Marilyn virou Kim (Hollywood é um lugar muito, muito estranho…); e é loura de farmácia.pisc* isso da loirice da loura, é ele que diz, eu não sei de nada;-))) só estou transcrevendo, e com autorização;-) Meus amigos são ou não são um barato?. (Obrigada, amigo)—;-)

e claro adoro a Kim de Picnic:
picnic1.jpg
Gente eu amo esse filme, por tu-u-d-o! Ela está lindíssima, o William Holden, está velhíssimo, não tão Golden Boy, mas… tá bem, também. A luz e a fotografia não podiam ser mais bem escolhidas, sendo o diretor o grande Joshua Logan…. agora, quem rouba o show, pra mim, é a Rosalind Russell, IMSSHO. Confiram.

E qualquer coisa, leiam sempre este site que eu vou dar de presente ;-) para vocês: É o CINEMA RETRÔ. É aí que vejo coisas do arco da… ih! do tempo do Império.

Pra terminar, como existem coisas que vocês vêem (ou não vêem) em qualquer lugar, mas vêem primeiro no Sub Rosa, hohoho, eu num pool de reportagem, resolvi publicar aqui;-) É uma coisa linda de horror kitsch.
Para prestigiar meu amigo Sandro Fortunato do site Memória Viva:

kim_novak_horror_kitsch.jpg

A bela Kim veio ao Brasil e fez umas estrepolias (sp?)estripulias – como se escreve?. Parece que foi de festa de rua e de salão, se acabando com o reco-reco na mão… bem ela fez e parece que foi sob o patrocínio de Nonô, ou para os menos íntimos Juscelino Kubitscheck, o homem era fuego! Hihihi.
veja/leia aqui:

A-há, pensavam o quê;-)? O Sandro Fortunato digitalizou todinha (eu acho que toda) a revista O CRUZEIRO. Quer mais?

=-=-=-

CODA :

Duas coisas importantes:.
Caso eu não venha por aqui por esses dois dias, deixo um blog re-co-men-da-dís-si-mo :

Palavra de Pantera da poetisa ZOE de CAMARIS.

Zoe, amo sua terra, o Paraná e em especial, Curitiba, onde tenho muitos amigos, e algumas cidades do inteirior: sou apaixanada pela Lapa, onde fica a Fazenda Margarida.
Para você que compartilha comigo a paixão pelo poeta Marin Sorescu, eu deixo esse lembrete de Keats. Talvez seja por isso que amemos a Poesia, esse País do Assombro e todas as suas adjacências:

“A poesia nos deve surpreender pelo seu delicado excesso e não porque é diferente. Os versos devem tocar nosso próximo, como se ele tivesse lembrado algo que nas noites dos tempos já conhecia em seu coração. A beleza de um poema não está na capacidade que ele tem de deixar o leitor contente. A poesia é sempre uma surpresa, capaz de nos tirar a respiração por alguns momentos. Ela deve permanecer em nossas vidas como o pôr-do-sol: Algo milagroso e natural ao mesmo tempo.” Keats (1795 – 1821) – (publicado em Sub Rosa v.1 – outubro de 2001.
****
Um beijo a todos. Um especial (sempre) para minha querida Cat e outro também especialíssimo, para Vivina Assis Viana, minha ídala. Leiam este post da minha querida Aninha Pontes. Está o fino do fino e as dua merecem.
******

*
*
*

ΩΩΩ
Agora, a música é presente para Kim, mas amanhã é o Valentine’s Day, então vai para todos os amigos: a outstanding Julie London: