If we don’t, remember me

Eu estava pensando assim, quem inventou a carta? Não a carta de baralho, que essas a gente sabe, estuda na escola, mas as cartas cartas mesmo, quando foram inventadas, quem primeiro se viu distante um do outro que teve a idéia de  “cobrir” a distancia e ausencia com uma… carta,  ou bilhete,  epístola, misssiva , não é? No Brasil, até onde se sabe  a primeira carta foi a de Pero Vaz e seguem sendo  (ou não são?) insubstituíveis, pelo menos até o aparecimento do telefone…  Pois bem, esse post é sobre palavras (a dita e a escrita) e as imagens, esse fascínio que pega de jeito gente como eu.

Então, tão: já não é mais novidade para ninguém, e eu corro o risco de ser a última da classe… mas, com dizem os nossos irmãos do outro lado do oceano,  mais vale tarde que mais tarde e aqui está minha homenagem  e agradecimento ao moço (meu companheiro de Tumblr) do blog IWDRM,  que é campeão absoluto no quesito, luxo, riqueza e poder:-)  Estou encantada, um amor de perdição, pelas GIF‘s! Este post foi adiado desde dezembro do ano passado e acho que jamais o publicaria pois cismei que as gifs não funcionavam (perdiam o sutil movimento) no WordPress. (bem, eu ainda não sei, me digam, vocês). Burrinha, eu. Obrigada, Cat Miron.

Voilà: algumas gifs, todas de amados meus, incluindo ele, o mais poderoso, que faz aniversário no dia 31, ai, Jesus, apaga a luz! o meu Clint, ô lá em casa!…

“Hi, Lloyd. Little slow tonight, isn’t it?”

The Shining – (O Iluminado, 1980) – meu filme ‘tenebroso’ preferido. Jack Nicholson, adorado. Um Kubrick perfeito que a gente vê de olhos bem… fechados, lembram? ♦ ♦ ♦ Ela.  Mais linda, rycah e phynah impossível! Kim Novak:

kim novak

“Only one is a wanderer. Two together are always going somewhere”. Vertigo (Um corpo que cai), Hitchcock, 1958.

♦ ♦ ♦ OMG!

clint rulz: the good the bad the ugly

“Every gun makes its own tune.” (The good, the bad and the beautiful, Três homens em conflito, 1966

♦ ♦ ♦

Mas nem só de GIF’s vive a nossa atual fantasia. Também há lugar para as imagens digamos, tradicionais (JPG). E, claro, também para as palavras. Por exemplo, estas, coisinha leve:

“Dizem elas que sou uma excêntrica, mas não sei distinguir por que o coração é o principal e o demais absurdo. Também a inteligência é necessária, naturalmente… talvez fosse a inteligência também o principal. Não te rias, Aglaia, que não me contradigo. O burro com coração e sem inteligência é um burro tão infeliz como o burro com inteligência e sem coração. É uma verdade rançosa. Sou uma burra com coração e sem inteligência, e tu és uma burra com inteligência mas sem coração: somos infelizes, as duas, sofremos, as duas. (F. Dostoievski. O Idiota)

Li isso há séculos, no tempo do Império, nunca esqueci, divido com vocês. ♦ ♦ ♦

E, como não sou uma traidora (quem? eu, hein?) e nem troco paixão antiga pela nova, fico com todas:-). Eu estava olhando um livro da Magnum, fotos etc e lembrei do todo poderoso Cecil Beaton. Delnisso! Fiquei fascinada pela beleza dessa atriz, e como nunca tinha ouvido falar nem visto, procurei saber quem era Gwilli Andresen. Não encontei muita coisa, mas o que encontrei bastou para me arrebatar,  um dos dois maiores casos de beleza unida à tragédia:

Gwili Andre(sen) Img source: http://www.kinopoisk.ru (clique)

OK, é triste, mas é bonito, anyway. Uma nota a respeito, aqui.

♦ ♦ ♦

Bem, para terminar, quero dizer que por algum tempinho, fico fora daqui, do blog, por recomendação médica , repouso máximo etceterrá. Por favor, não me abandonem, nem reparem se eu não responder logo, isto se houver comentários. Ah! e também não se espantem se notarem modificações no post, sempre faço isso, quando vejo que há algo a ser alterado, acrescentado ou retirado. Ou corrigido. Informação na internet, é fogo, nunca se sabe.

E por falar em médico, tee hee, vejam essa…

[…] Tenho que deixar claro uma última coisa: os médicos não estão preparados para os meus conhecimentos. Não, não estão. O que são os seis anos de graduação de qualquer um deles na frente dos meus sete anos de House? E sete anos fresquinhos, que fiz como intensivão, nos últimos cinco meses! Conheço todas as lisesoses e psias existentes ou inventadas. Tudo pode ser câncer, sarcoidose ou doença autoimune. Biopsia de cérebro é mais básico que exame de sangue. Se o House que é o House, que ganha 750 mil dólares por caso e é assessorado por 4 (às vezes, por 6) médicos, demora 45 minutos pra descobrir qual é o problema, como alguém pode ir me despachando assim em três minutos e meio? Isso é só o tempo da abertura do episódio, só para eu dizer o que me levou até ali. Não assina Universal Channel? Não tem DVD? Não tem banda larga para baixar os episódios? Se liga, doc!”

… hahaha, que eu roubei do Sandro Fortunato – (a-dou-ro como diz a Fal, nossa amada de todos e filha da Maliu) :-*),  ele mora em Natal e  sempre tem algo a dizer, principalmente  numa sala de espera.

E ,  acho,  não podia haver melhor encerramento. Vocês todo o tempo do mundo para ler,  tipo assim como se não houvesse amanhã, certo?;-) ♦ ♦ ♦ Ah! sim: “If we don’t, remember me” é trecho de uma quote do filme Kiss me deadly, 1955 (A morte num beijo), do diretor Robert Aldrich que entre tantas outras coisas ótimas fez “O que terá acontecido a Baby Jane?”, com a minha adorada Bette Davis e Joan Crawford, precisa dizer mais?. Eu não consegui saber se o nome do blog é realmente uma citação a esse filme. Tudo indica que sim, o rapaz  é cinéfilo, va sans dire. A line completa é esta:

Christina : Get me to that bus stop and forget you ever saw me. If we don’t make it to the bus stop... Mike: We will. Christina: If we don’t, remember me.

Hasta la vista, babies! (*) Este post, superoverkiller, (era pra ser pequenino e  simplesinho) é dedicado à Flavia e à Magaly, naturalmente e, claro está,  à Cat Miron;-)

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

46 Responses to If we don’t, remember me

  1. MEG, ma chère.
    Meu coração, pleno de bons eflúvios, a você dedicado e minhas preces, sempre.
    Bisous,
    BetoQ.

    • Meg disse:

      Oi, querido
      Muito, muito obrigada. Eu sempre lhe digo que preciso muito das suas preces. E, logo em seguida às preces, preciso muito da Emily Dickinson. Tenho uma amiga que diz que a tradução da admirável Aíla é seu sonho de consumo. Concordo com ela:-)
      Um abraço especial.

  2. Alex disse:

    Oi Meg,
    post de cinéfila, hein? Gostei muito de tudo, a Paula está reclamando que só colocaste filme de ação e suspense, sentiu falta de Bergman.
    Te vejo lá pelo Setaro, OK?
    Nem se preocupe em responder, fique fria e descanse muito e bem.

    • Meg disse:

      Alex, a gente sabe que está vivendo uma fase especial da vida, quando se recebe mensagens tão carinhosas como a sua e a de Paula.
      Nem estive lá com o Setar.
      Estes dias foram de repouso. sem repousar , evidentemente, vc sabe como é.
      Estou com saudades da Paula e das crianças. Quando aparecem?
      Obrigada, queridos.

  3. Vera disse:

    Meg, estamos aqui no aniversário da Jackie, com saudades imensas daí, do cupuaçu e do tacacá.
    Só falta vc vir também, aguardamos.
    Que maravilha de post, gostoso e divertido, mas não podia faltar literatura, não é?
    Grande Dostoievski, grande Principe Mishin, no livro da 34 Letras, traduzido pelo velho Boris.
    Senti falta de falares de Cannes, sabendo que todos estão lá de Sean Penn ao De Niro.
    ‘Dizem que This Must Be the Place’ é o must.
    Tarantino também.
    Sinto falta dos longos posts sobre cinema.
    Elis está conosco e manda beijos para ti e Selma.
    Muitos beijos.

    • Meg disse:

      Oooooooiiiiii, Veruska!
      Eu vou começar a responder a vocês e me vejo diante do sério risco de chorar. Isso não se faz, Arnesto;-)
      Querida, Cannes, no momento não está fazendo nenhum sentido para mim, mesmo que lá estejam meus queridos. Com exceção de Tarantino, claro, que não é deslumbrado,

      Ah! se eu soubesse que vc iria ler, que viria aqui e comentaria, tinha caprichado mais no Príncipe Mishkin. Mas sei que você iria mais profundamente falar de Lukács, Kurosawa e Visconti… Acho que meu santo é forte e me protegeu;-)
      Milhões de beijos pra vc, querida.
      Antes de viajar eu liguei pra Jackie, ela me falou de vocês.
      Elis disse que vai me telefonar nessa semana que vem.
      Obrigada pela imensa afetividade de vocês, estava precisando disso( e vcs fizeram um complô, uma frente ampla, né? tô notando.)

      beijos.

      • Meg disse:

        E o que é mesmo esse This Must Be the Place? Ah! Verinha, estou muito desatualizada.
        Tenho muito efeito colateral. :-(
        bjs

  4. luma disse:

    Essas gifs são espetaculares! Peguei algumas do Priority Mentor e também fiz um post: Breakfast, uma viagem para encontrar as gifs que queria! Valeu a diversão!
    Essa primeira gif que usou é meio hipnótica! :D
    Muito linda Gwilli Andre! Sabe que uma amiga quase morreu igualzinho? Ela estava vendo fotografias do filho enquanto pequeno, um bebê. Estava com tudo espalhado e cochilou. Sorte que a acharam antes de acontecer algo; o cigarro tinha caído de sua mão e ela estava deitada na cama. Imagina! Eu sempre penso em arquivo morto em se tratando de Hollywood.
    Florzinha, promete se cuidar? Não se esforce, fica quietinha, ganhe bastante energia para se recuperar!! Beijus,

    • Meg disse:

      Ô querida, minha linda…
      Que carinho, que coisa boa de receber…
      Eu fui ver o seu post, não sei mesmo como não havia registrado antes, Luma.
      Você sempre a primeira a comentar, a lançar moda, você é trendie, política e socialmente;-).
      Que coisa, mesmo quando a gente já sabe o endereço, o caminho das pedras , voce sempre tem uma surpresa que só o lhar mais aguçado como o seu pode dar. O Priority Mentor é bem radical, eu percebi.
      Hahaha, hipnótica? Não fosse o Uncle Jack e mais num Stephen King do Kubrick.. é tinha de ser.
      Eu vi isso da Gwili Andre. Estou até hoje impressionada.
      Vc conhece a Frances Farmer, não é? Ela é o segundo caso dessa coisa de beleza extrema e tragédia profunda.
      Ou arquivo morto ou punição moral, não aacha/
      Muitos beijos, Luma, adoro quando vem aqui
      (já notou o sucesso que vc faz?)
      :-)
      ah! querida, estou querendo mesmo recuperar a energia, isso é o que está faltando.
      obrigada,
      beijos

  5. Celia Trakl disse:

    Meguita
    Reforço as palavras da Luma, mas mesmo assim vou deixar aqui dois recados para você: 1- Um site onde você pode ver todos os fotogramas do autor dessa obra-prima do cinema que é Vertigo, e acho mesmo que Vertigo é o melhor filme do Hitch.
    http://www.hitchcockwiki.com/wiki/1000_Frames_of_Hitchcock

    2- Que maravilha o blog fa Fal, é a autora do Minúsculos Assassinatos, não é? o livro que você me mandou em boa hora:-)
    Lá eu encontrei essa pérola que quase me fez chorar e era tudo o que eu precisava ouvir, ler, saber:
    “quando somos capazes de reconhecer grandeza no que o outro faz, essa troca se dá naturalmente, sem grandes traumas, sem grandes dores _ mas também sem grandes gestos e olha-só-o-que-eu-fiz-por-você”…

    Meine Güte!, Himmel! eu te agradeço, meguinha, por vc ter me proporcionado essa coisa que me lavou a alma.
    Eu vivo cheia desse pessoal que não só diz: “olha-só-o-que-eu-fiz-por-você”… como também, agora,-espero-que-voce-faça_tal-coisa-por-mim.”

    Ela, a Fal, é wundervoll!
    Se cuida, guria.
    mete aí um italic, tá bem?
    kusse.

    • Meg disse:

      Celia, hahahah!
      Eu não disse?
      Eu também, conheci ultimamente muitas pessoas assim.
      Acho a oportunidade maravilhosa pra gente se cuidar. Não vá a gente fazer o mesmo, não é?

      Um beijo, querida, estou muito fraca, espero que passe logo.

  6. Magaly disse:

    Comentário

    Meg! Maravilha! As gifs, eu não conhecia. Fácil cair de amor por uma coisa perfeita assim. Aliás, comecei pelas gifs porque foi o que me atraiu mais, mas todo o post está sob medida – jovial, bem bolado, redondinho de fazer gosto. As formas de expressão: imagens com movimento, imagens tradicionais e as palavras, eternas, sob qualquer formato. Vem, então, a citação de Dostoiewsky mostrando o poder da palavra e a imagem (tradicional) da atriz Gwili e sua luminosa beleza tão contrastante com seu trágico fim. O Sandro Fortunato faz a engraçada apologia dos saberes de House . E vem a referência à Fal que eu adouro também. Obrigada, Meg, pela parte que me toca e vou atrás das gifs que tanto me fascinaram.

    Espero, Meg, que vc programe seu repouso com cuidado, capriche na alimentação saudável, faça leituras bem gostosas, enfim, refaça suas energias e volte cheia de idías.

    • Meg disse:

      Obrigada, muito obrigada, Magaly.
      É um post tão desprentensioso que você resumiu bem e depois colocou a cobertura do seu carinho, da sua bondade. Obrigada.

      Estou querendo seguir as recomendações do médico e saí um pouco de casa, viajamos, mas repousar é difícil quando a gente precisa, não é?
      Um beijo, querida.

  7. Magaly disse:

    Corrigindo: ideias

  8. Isabela disse:

    Cheguei e adorei! Perfeição de gifs! O Clint está mais para ai, Jesus, acende a luz! Take care.

    • Meg disse:

      Ei, linda!!!!
      Eu concordo com você, sim, o Clint, pois é…-)
      Obrigada, Isa querida.
      Sempre no meu coração.
      beijos

  9. Flavia Viana disse:

    caramba, eu não acredito, quanta honra, um post dedicado a mim, e junto com a Magaly? vou ali desmaiar e volto:-).
    Meg, que coisa bacana, como sempre, tomo a Magaly como minha mestra e digo que quero vir comentar coisa por coisa, como ela decompôs. Aí o seu Clint, hein? Nada de Almodovar, nem Sean Penn?
    Eu também adoro o blog da Fal.
    bom, eu estou no trabalho, depois de um fim de semana na praia, com os filhotes.
    vou voltar, e enquanto isso, se cuide, que a gente toma conta daqui direitinho, como disse a Luma, enquanto Dona Meg não vem.
    Mas o que aconteceu com a D. Célia ? tá com soluço? kkkkk.
    bjk
    Estou sentindo falta da Rose, o que aconteceu com ela, é tão divertida com suas tiradas.
    kkkkk

    • Meg disse:

      Flavinha, eu sempre disse que gostaria muito de ter sua alegria. E sua força.
      Obrigada, querida, muito obrigada com o carinho por mim e pelo blog.
      Hahaha, eu também me espantei com a Celia em terceira dimensão:-)
      beijos

  10. marcia disse:

    esta é a 2ª vez que escrevo neste blog maravilhoso, a 1ª foi quando procurei no google pela letra de “Rien de Rien”, eu não queria ter perdido o contato mas infelizmente foi o que aconteceu. agora, minha filha está fazendo um trabalho para a faculdade (eles dizem facul) rs e estou ajudando na pesquisa. por um feliz acaso, reencontrei vc.
    então, 1º que tudo, que maravilha ver tanta beleza, adoro este blog, gostei muito das fotos e reencontrei a sua alegria que notei desde a 1ª vez.
    agora, vou lhe pedir ajuda, o assunto do trabalho é História (sociedade e cultura) e coube a minha filha, analisar cartas de duas correspondentes, Madame de Sevigné e a condessa de Barral. O objetivo é mostrar criticamente se as cartas (de duas mulheres) são Literatura ou História. As da Mme Sevigné, especialmente, se deixam um legado cultural, histórico ou uma espécie de história da vida e das pessoas do século em que ela viveu, o 17., ou sendo literatura inclui a ficção, memória e biografia e é de caráter pessoal. No caso da Barral, uma espécie de cotidiano feminino, uma história da mulher, digamos assim, sec 19.
    bem, não que eu queira que a internet faça o trabalho para nós, mas se pudesse nos dar uma orientação. afinal, é muita coincidência eu achar justamente o seu blog, quando você fala no assunto. Poderia nos ajudar?
    (gostei do que vc diz , de as cartas serem para cobrir uma ausência ou distância, achei lindo isso. e acrescento seria uma busca de companhia ou de diminuir a solidão. mas isso é coisa pessoal, minha).
    bvem, muito obrigada.
    um abraço muito forte e saudades.

    • sub rosa disse:

      Marcia, há quanto tempo.
      Sei muito pouco a respeito. Partilho com você além da curiosidade, a idéia de que escrever é sempre um ato de buscar amor, seja de que forma for. E isso é muito, muito bom, penso.
      Espero poder ajudar, por pouco que seja.
      desejo sucesso à sua filha.
      Um abraço.

  11. tereza disse:

    Gifs de Jamie Back e mais…
    http://fromme-toyou.tumblr.com/

  12. tereza disse:

    O site From Me To You (já citado acima)possui uma variedades de temas.
    ver lado esquerdo da página e final da página.

    Cinemagraphs de Jamie Back:

    http://fromme-toyou.tumblr.com/tagged/gif

  13. Celia Trakl disse:

    Donnerwetter!
    o que aconteceu com o blog, eu juro que escrevi o comentario e apertei uma vez, juro!
    Flavinha, nem eh soluço eh ga-guagueira mesmo.
    :-)

    Magaly, eu fui comentar o seu post (marina Colasanti) mas nao consegui, esta esquisito:-(
    mas fica aqui meu beijo e minha admiracao.

  14. Meg disse:

    Tereza:
    Assim que cheguei em casa, depois de dias, longe, muito além do jardim;-) … sem internet, nem fio, nem wi fi, morta de saudade de tudo, vim ler o blog e vi o seu vídeo, fiquei doidinha de alegria. De surpresa, da festa pros olhos.
    A música, também… o italiano, autor do vídeo, não podia ter sido mais feliz na escolha: além das fotos belíssimas, a música, um tango! à altura da tragédia!
    Obrigada, Tereza, pela escolha e pelo seu dom de pesquisadora!
    Meg.

  15. tereza disse:

    Meg, que bom que você gostou:) Viu a Marilyn
    (não sei se você já tem) e cinemagraphs de Jamie Back?
    (comentários 10 e 25).Achei que iria gostar de Louboutin:)
    bjs.

    • sub rosa disse:

      Tereza:
      Sim, eu vi que você colocou, obrigada.
      Assim que pude, fui imediatamente ver o link do Hitchcock e depois o da Marilyn, e deixei o Jamie Back para assim que eu descobrisse quem era:-).
      Até agora, talvez por eu estar doente e nessa fase as tonturas são muitas, não consigo ficar bem concentrada, e ainda não pude discernir
      se Jamie Back é man or woman;-).

      (Para você ver, foi por essa razão (as vertigens) que lhe pedi que traduzisse uma frase para mim.
      Você se lembra? lá no outro post, sobre a crimson rose? Pois é!

      Bom, mas Back é superultramegaoverüber, não é?
      E de um *touch of class* à toda prova, quem disse que homem não pode ser assim?
      As fotos de sapatos são mesmo posh, very posh, , aliás, foram essas fotos que me encantaram desde quando a Flavinha deixou aqui no blog, pela primeira vez, o link do From Me (outro título sugestivo, certo?;-).
      Sim, eu adoro Louboutin, vamos combinar aquelas solas vermelhas;-) a única coisa contra é lembrar da Sarah Jessica, rá!
      Pessoalmente, particularmente , sou mais Ferragamo.
      -=-=-=
      Eu nunca encontro nada aqui no blog (bem, nem em outros lugares, para ser justa hohoho) mas acredito que já fiz dois longos posts, um para cada uma de duas paixões minhas: os sapatos e os corsets;-)

      bjs.

      • tereza disse:

        Meg, Jamie Back é woman, uma fotógrafa de moda “superultramegaoverüber”.Gostei da palavra:))).
        Mas você viu que a Jamie Back fez umas gifs com as peças de Louboutin? Gosto de Ferragamo também.
        Sapatos e corsets? Que legal!
        Não sou muito ligada em moda, mas adouro ver.
        bjs.

  16. Magaly disse:

    Enfim, de volta, descontraída e alegrinha, hein, Meg? Agora é ter cuidado, não fazer esforço acima do que é recomendado pelo médico para manter-se firme.
    Eu já estava querendo voltar cá, abandonei todo mundo, mas é que ando com muita coisa em atraso e não vejo como me desafogar. Vi as meninas entrando, contando novidades, perguntando por mim e eu sem um tempo maior para entrar na troca de ideias. Um dia, darei o grito tão esperado: acabei!

    Oi, Flávia, você mostrou-se tão satisfeita, com o post dedicado a nós duas e eu não fiquei menos. Coisa gostosa de curtir, não é? Mas em pé de igualdade, pelo zelo que a gente tem pelo Subrosa. Aliás, aqui ninguém deixa a peteca cair. O blog é a menina dos olhos de todos nós, não é mesmo?

    Olá,Tereza, aquele vídeo de fotos da Gwilli foi bom demais, a beleza da atriz tomada em diferentes ângulos, sempre especiais e ela sempre linda. Um ótimo achado.

    E Luma trouxe o Priority Mentor, bem interessante. Gostei, Luma, gosto do que você escreve e das novidades que traz.

    Célia, sempre entusiassmada com o que lê, com o que vê, com o que vivencia e sempre tocando pra frente seu entusiasmo pela vida.

    Enfim, babies, não é fácil passar sem vocês, sem a alegria e o esforço que fazem para tornar ainda maior a magia que emana do nosso Subrosa.

    Um bom sono, Meg e Selma.

  17. Flavia Viana disse:

    oi, Magaly:
    adoro quando vc comenta, sempre uma coisa boa. eu acho sim que a Meguita se divide bem por todos, ehehehe… a gente adora isso aqui, né?
    eu falei que vinha comentar, não vim, mas você já disse tudo.
    e olhem só, o video da Tereza está bombando no face… e no twitter.
    Alguém sabe me dizer qual é o nome da música?
    ‘brigada,
    bye bye, birdie:-)

  18. Flavia Viana disse:

    ehehe, célia, guagueira do lap portuga, manuska.

  19. tereza disse:

    Meg, para você curtir.
    Inside the Actors Studio – Clint Eastwood (parte 1)
    legendado .Se gostar, tem as outras partes no Youtube.
    Imagino que já viu, mas sempre vale a pena rever…

    Bom domingo.

  20. sub rosa disse:

    Ah! Tereza!!!:
    agora são outras falas;-)
    Oh!…myyyyyy…. goodness, oh my goddess!;-)

    Puxa, essa agora… vc me cobre dessas gentilezas que me pegam pelo coração, como diria o meu escritor preferido, Haroldo Maranhão: “pelos cabelos do coração”
    Tereza, valendo para tudo, antes, durante e depois;-) muito, muitos mercis.
    Eu fiz um post, no antigo Sub Rosinha, certa vez, mimetizando uma entrevista, essa, do Clint para o James Lipton, no Inside Actors Studio da Bravo.
    http://www.bravotv.com/inside-the-actors-studio
    e, claro, Clint lá declarava que era louco por mim, que como eu era muito nova, ele se casou, primeiro, com uma Meg já que a original ainda não tinha nem nascido ;-)

    Bem, imagina a minha surpresa quando um dia ligaram dizendo que havia uma encomenda para mim, do Rio Grande do Sul.
    Perguntei se era um churrasco, na verdade era o Clint! Vinha em forma de um DVD com essa maravilhosa entrevista, tão longa que rendeu duas partes, duas sessões do programa, do Clint para o James Lipton, em que este – esnobe a não mais poder, se rendia maravilhado – todos podem atestar isso – ao extraordinário e multifeacetado talento de Eastwood.

    E imagine quem era o remetente?.. Tarán… … era o querido e fantástico amigo Milton Ribeiro!
    A entrevista é a mais completa já realizada na América.
    Na Europa também fizeram outras bastante extensas, contemplando os filmes de autor e a erudição musical de Clint, compositor que é, também.
    Sabe, eu acho que só no Brasil, o nome de Clint é ligado apenas aos filmes – que, comptes rendus, são muito bons também – western spaghetti, e aos policiais B.
    ;-))
    =-=-
    Bem, para essas adoráveis pessoinhas, eu sempre recomendo que leiam o livro do Eliot American Rebel, the Life of Clint Eastwood.

    Ou, se não puderem, podem ler a wikipedia, mesmo, só que em inglês, of course;-)

    http://en.wikipedia.org/wiki/Clint_Eastwood

    Ou ainda, melhor e mais produtivo, que vejam os filmes dele, os que ele tem dirigido desde Play Misty for me
    Passando por Unforgiven…
    Puxa!, independente de eu gostar ou não, o homem é fera! E está completando 40 anos como diretor.

    Até a Magaly, que é uma intelectual erudita, cuja opinião eu respeito muito (e não só eu, diga-se) me falou coisas ótimas sobre o último filme dele Hereafter!

    Eu não vi mas gostei;´-))

    Enfim, para (não) finalizar:
    Clint é o santo maior do meu altar! Só depois dele é que vem minha adorada Marilyn, James Dean e Elvis Presley.
    OK! eu adoro outros mas ainda foram promovidos a santos.
    Eu arriscaria dizer que Clint já passou de santo, é um quase deus;-)
    (daí este comment full of exclamations *pisc*)
    bjs

    =
    Ah!, para quem me perguntou: Hoje, 29/05 é o dia das Mães, na França.

  21. tereza disse:

    Meg, uma delícia o seu comentário:)Você sabe contar casos, quando crescer eu quero aprender:)
    Sabe que eu tive a sorte de conhecer o Clint pós western spaghetti e policiais B? Quer dizer, é uma paixão recente.Uma amiga que adora o Clint me indicou Cartas De Iwo Jima, A conquista da Honra e As pontes de Madison que ela já tinha visto umas trocentas vezes.Eu conheci o Clint diretor-ator.Foi paixão à primeira vista.Acho que ele não é apenas um excelente diretor e ator .Parece ser uma pessoa maravilhosa.
    A sensibilidade dele é algo incrível. É bom ver o enorme prazer dele ao falar dos filmes que fez.Ainda não vi o último filme dele. Li pouco sobre ele, porque tenho medo de ficar decepcionada.A obra do autor é sempre maior que ele?
    Eu também acho que no Brasil o Clint é mais conhecido
    pelos westerns spaguetti e policiais B.

    Do seu altar os meus preferidos são Clint e Elvis.Gosto da Marilyn, maravilhosa. Elvis é paixão de infância que dura até hoje.
    Nenhum cantor de rock tem a voz maravilhosa e sensual dele.Vamos combinar que aquela fase de Elvis sessão da tarde da Globo não vale:) E nem do Elvis pós exército.Gosto do Elvis rebelde e puro rock. E você?
    E ele era lindo, mais ainda antes de pintar os cabelos de preto.
    Fique bem, bem depressa.
    Beijos.

    • sub rosa disse:

      Uau! Esse é o Elvis que eu adoro. Exatamente esse que você descreve.
      Veja aqui, um dos meus filmes preferidos…
      https://flabbergasted2.wordpress.com/2010/07/31/o-aniversario-do-rei-ainda/
      bjs

      • tereza disse:

        Por que os trabalhos de Elvis demoravam tanto a chegar no Brasil? nunca vi um filme dele no cinema.Vi de outros cantores de rock contemporâneos dele. E nem os shows dele que não chegavam aqui.
        Eu me contentava com as fotos e os discos.
        Muito depois apareceram os filminhos bobos dele da sessão da tarde. Um dia, por sorte, eu vi na TV King Creole.Uau! Mas eu já era adulta…
        Ali estava o meu Elvis: “If you’re looking for trouble…”hahaha
        Gravei em VHS. Não vi Jailhouse Rock e nem Loving You. Mas conheço partes de Jailhouse Rock.E hoje tem tantos documentários sobre ele.Tenho vários, claro. Nos meus tempos de infância-adolescência eu teria ficado louquinha se tivesse acesso a eles:)))
        beijos.

  22. tereza disse:

    Meg, dia 31 de maio é aniversário do Clint:)
    bjs.

  23. tereza disse:

    Meg, acho que esqueci de colocar a barra do negrito.
    Se tiver esquecido, faz o favor de consertar para mim? Obrigada.

  24. sub rosa disse:

    Pois é, Tereza, aqui no Sub Rosa, vamos fazer feriado:-))

  25. sub rosa disse:

    Tereza:
    ” Li pouco sobre ele [Clint Eastwood] , porque tenho medo de ficar decepcionada.A obra do autor é sempre maior que ele?”.

    Good point, Tereza, eu também sempre me pergunto isso e quando estou gostando demais de um de meus ídolos, lembro do conselho de Millôr que dizia: “faça um overhaul de suas admirações de, pelo menos, dois em dois meses.

    Mas no caso de Clint, aí está ele, e quanto mais o tempo passa mais ele é respeitado. O que já é um grande consolo pois, geralmente só reconhecem o valor de alguém no post-mortem, não é?
    Então, no quesito bom caráter ele é imbatível, além de todos quererem trabalhar com ele, igualzinho ao caso de Woody Allen, ele é respeitado por gente do calibre de Susan Sarandon, Sean Penn, Tim Robbins, que são insuspeitos.
    E por que eu listei esses três? Pela militância, claro, não que eu ache que isso faz ou faça grande diferença tout court, mas se lembrarmos que Clint, o grande Clint é republicano (xiii!), que odeia o politicamente correto – como bem demonstrou no irretocável Gran Torino, aí a gente compreende o que é ser realmente alguém que conta, alguém que interfere na vida de seu país, das pessoas , que amplia para todos uma mais ampla visão do mundo, em suma.
    E sem contar uma grande lição de vida, do tipo “não reclame do problema, faça parte da solução”:
    ele, ao se sentir insatisfeito com grandes empresas e sua ação no meio ambiente, na cidade de Carmel, Clint se candidatou a prefeito, ganhou e durante seu mandato, ele tentou ponderar os direitos de instituições de preservação do meio ambiente contra o desenvolvimento da cidade por empresas locais.
    Foi, viu, venceu, ensinou o caminho das pedras e *não se lançou como candidato à reeleição: já havia dado sua contribuição e sua efetiva participação.
    Milhares de coisas se poderia dizer mais (na verdade, eu digo a mim mesma…) e nem adianta quando eu provoco a mim mesma, mas Meg, ele é republicano, foi amigo do Reagan, é amigo do Schwarznegger…, e.. eu digo tudo bem, mas quem fez Bird , quando ninguém estava olhando?;-) quem fez fez Unforgiven, e fez as Pontes de Madison, a mais sensível leitura do amor na meia-idade, do ponto de vista feminino, você quando vê ele e a Meryl Streep, acha ali está o Dirty Harry,? E, principalmente, ele fez Gran Torino, este sim um testemunho de si mesmo para quem vier depois…
    Aí eu me calo e me dou razão;-)))

    Dê uma olhada aqui, no blog de um expert mineiro:
    Lisandro Nogueira

    http://lisandronogueira.blogspot.com/2009/04/gran-torino-o-golpe-alto-de-clint.html

    Ah! sim, Tereza, eu planejava publicar, no aniversário de Clint, este ano, um belíssimo artigo escrito a meu pedido por um amigo meu, crítico de cinema, na Bahia.
    Pois bem, eu já havia publicado o artigo, no antigo Sub Rosa, quando fui recolher, bem.. você viu: o meu site o meguimaraes foi invadido.
    Oh dor… Fazer o quê? Chorar…

  26. tereza disse:

    “aí a gente compreende o que é ser realmente alguém que conta, alguém que interfere na vida de seu país, das pessoas , que amplia para todos uma mais ampla visão do mundo, em suma.
    E sem contar uma grande lição de vida, do tipo “não reclame do problema, faça parte da solução”.

    Eis aí alguns dos motivos pelos quais eu admiro Clint.
    A minha admiração por ele é diferente da que tenho pelos atores de um modo geral. Não se trata apenas do grande diretor e ator que ele é, mas da pessoa que ele parece ser.
    Você não precisa de ninguém que escreva para você sobre Clint.Esse comentário foi ótimo.É uma declaração de amor ao nosso Clint.Ninguém melhor que você para escrever sobre ele, Meg.Pesquise no Google e vai achar muitos sites sobre ele: biografia, filmografia e tals, dados que estão presentes no seu texto, mas você foi além.Não li nenhum texto que fale de clint como você falou.Você reuniu os dados que tinha dele e criou um belo perfil da pessoa maravilhosa que ele parece ser. Que está presente em todos os seus filmes, nos valores que ele escolhe defender.
    Eu também já pensei nessas coisas (é republicano, foi amigo do Reagan, é amigo do Schwarznegger) e daí?
    Você já explicou, não preciso dizer mais nada.
    Eu queria, sim, algum dia, ver um post seu sobre o Clint escrito por você.
    Obrigada pelo link.Depois vou lá.
    beijos.

    • tereza disse:

      Meg, gostei muito do que li no blog do Lisandro. Você leu os comentários? Muito bons.beijos.

  27. Rose disse:

    Eu não penso muito na pessoa maravilhosa que o artista pode ser, mas sim, na arte que ela faz. Não sendo nazista, vamu simbora.

    Jamais me decepcionaria com Brando, ou sei lá quem. Importa a arte. Mas adoro Madre Tereza de Calcutá. Imbatível no quesito gente boa.

%d blogueiros gostam disto: