Benedito Nunes (1929-2011) RIP (Updated)

Hoje, em Belém, morreu o professor, pensador, escritor, crítico de arte e ensaísta, Benedito José Viana da Costa Nunes. Palavras? Palavras não há.

-=—=-=-=

Benedito Nunes, um sábio, o mestre. clique para ampliar

Leia aqui, o texto-homenagem:

Benedito Nunes, o iluminista dos trópicos.

Na excelente Revista Brasileiros.

E aqui, uma bela matéria da revista CULT – clique.
***
Folha de S. Paulo.

Jornal do Brasil

O Estado de São Paulo

Entrevista para o jornal O Liberal. Não deixem de ler os comentários.

****////*****///*****

Update:


Benedito Nunes,  insuperável  crítico de arte, fala a respeito de pintura e fotografia com Jorge Coli (em video do Itaú Cultural)

*********

Rose, muito obrigada, esse vídeo é precioso. Eu não conhecia, claro… se não fosse você...

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

37 Responses to Benedito Nunes (1929-2011) RIP (Updated)

  1. Magaly disse:

    Não diga, Meg! Que vazio vamos sentir todos nós até assimilarmos esta dolorida ausência! Imagino seu coração como está! Volto depois.Vou me refazer do choque. Aguente firme, posso avaliar seu desencanto. Por ora, em prece, vibremos por sua entrada no mundo espiritual. Um araço muito forte.

  2. Marcus Pessoa disse:

    Vi algumas palestras dele. Ele tinha uma familiariedade tão grande com uma enormidade de assuntos da cultura, que as palestras fluíam de forma leve, com ele relacionando um assunto no outro, sem um roteiro muito definido, mas com grande rigor argumentativo.

    • sub rosa disse:

      Marcus, pensei que vc tivesse tido a infinita sorte (como eu tive) à época daquele “processo”, lembra?) de travar contato, ter proximidade e a atenção do Benedito, com seu poder arrebatador, esse que vc tão bem expressa, em seu comentário.
      Inteligente como você é e sempre demonstrou ser , eu lhe tinha como aluno ou discípulo do Benedito.
      Ele, tão socrático e nietzschiano como era… Aliás, para mim, essa a característica que era um verdadeiro trunfo, sobre todos os engalonados e encasacados “filósofos” de lá: ele tinha um acentuado lado pop, também:-), falava e se comunicava muitíssimo com os jovens, tinha sempre o contato essencial com a juventude e com o novo. Ele buscava isso.
      Vejo jovens estudantes e professores de Filosofia, com eterno ar blasé e que cultivam uma seriedade e um ar vetusto que estava muito longe do humor e do esprit de finesse do Benedito.
      =-=-=-=
      Não posso deixar de lembrar aqui, com vc, que as notícias sobre a morte dele, primaram por um… er…, ia escrever primarismo:-), enfim, foram de um rasteirismo impresionante que só se compara com a fatuidade de quase todos que escreveram: enfatizaram mais a si próprios reivindicando uma suposta amizade que permitia desde emprestar livros para ele até … sei lá.
      Seja como for, isso é muito sintomático.

      E, de novo repito, como vc pode ter deixado passar essa oportunidade?
      Acho que ele era mehor conversando, contando piadas e rindo do

      • sub rosa disse:

        que *palestrando*:-) ou “conferenciando”. Bem melhor, na minha pobre e fraca opinião, que flando da Hermenêutica, de Husserl et coetera:-)
        Humor muito cáustico e impiedoso!
        Isso, quando eu vejo tanta gente fazer questão de uma certa incomunicabilidade, como prova de que o difícil é que é o melhor.
        Quando vejo começar a falar em “rizoma , arrizomático”, derridadeando sem necessidade,, lembro dele.:-)
        Filosofia encasacada…pfui!
        ****
        E tinha opiniões muito interessantes sobre a música pop, por ex.
        Ele buscava essa troca de idéias, as suas com aquilo que os interlocutores tinham de novo.
        =-=-=-=-=
        Ainda na minha fraca opinião, ele era exatamente como o Ortega Y Gasset definiu a filosofia e o filósofo, quanto a seu tema, objeto de conhecimento:
        “um apetite voraz, insaciável pelo “universo“: tudo o que existe me interessa, *tudo* é a matéria de interesse do filósofo.

        Um beijo, querido. desculpe a demora em responder, OK?
        =-==
        Ah, sim, esse comentário ficou em duas partes.
        Às vezes meus dedos não obdedecem aos meus fracos comandos.
        Fico morta de vergonha quando releio o que escrevo, com os typos. Que horror! Desculpem, sim?

  3. Tereza disse:

    Meg querida, infelizmente eu não conheci o Benedito Nunes. Li sobre ele, mais cedo, na revista Cult e agora no jornal O Liberal.
    E li também o seu comentário sobre ele.
    Quero ler o livro dele sobre a Clarice Lispector.
    Imagino como deve ser difícil para você.
    Um abraço afetuoso.

    • sub rosa disse:

      Tereza, aconselho a leitura.
      Ele foi também responsável pela edição crítica da obra completa da Clarice, mas como os herdeiros dela não chegaram a um acordo, nada podia ser mexido… apenas um que fugia à interdição: saiu então a edição crítica de A paixão segundo G H, na prestigiosa coleção da Archives
      =-=
      Leia aqui esta entrevista, pungente, fantástica, feita pelo crítico, jornalista José Castello, em que o Benedito fala dos originais que estão, infelizmente, perdidos.
      Não deixe de ler:
      http://www.revista.agulha.nom.br/castel06.html
      beijos, q2uerida.

  4. aninha pontes disse:

    Meg querida. n[os que perdemos, quando alguém tão especial se vai assim.
    Ficamos mais pobres, e um tanto orfãos.
    Beijos

    • sub rosa disse:

      Aninha querida, vc sempre precisa, sempre presente, nessas ocasiões.
      Obrigada, queridinha.
      Um grande beijo pra vc e um abraço pro seu bem.
      Meg

  5. tereza disse:

    Meg, deixei um vídeo para você no post anterior. bjs.

  6. Isabela disse:

    Soube agora, mana.
    Lamento.
    Um beijo.

  7. Magaly disse:

    Bem que pretendi escrever algo que desse a dimensão da importância da obra do Professor Benedito Nunes. Não deu, Meg. Sequer umas palavras em tom de elegia para reafirmar
    sua postura ilibada de profissional consciencioso e de homem comum como sempre fez questão de sentir-se. Ficamos na esfera da prece em sua intenção.
    Teresa, você deveria ler A Narração Desarvorada, estudo crítico de B. Nunes sobre a ficção de Clarice Lispector . Consta da série de Cadernos de Literatura Brasileira do Instituto Moreira Salles. Você que é mestra em descobrir fontes e links, tente em http://www.ims.com.br
    Abraços a todos.

  8. Magaly disse:

    Olhe , Meg, a preciosa contribuição da Rose!
    Estes três vídeos estão muito interessantes. A gente percebe a lucidez do homem, a abrangência de matérias que ele domina e, o que é mais empolgante, a simplicidade do gênio. Um homem autêntico, sem máscaras.
    Rose, adorei, adorei.

    • sub rosa disse:

      Magaly,
      tá certo que a Rose e a Tereza são campeãs de caça ao link:-)
      Mas, em particular, esse vídeo do Itaú, Obra Revelada, é mais que precioso, um autêntico *achado*.
      Traz a figura do Jorge Coli, a casa encantada do Benedito, trav da Estrella.
      Isto, um exemplo do gênio (de) Benedito: A Prefeitura mudou o nome da Travessa da Estrela, para Mariz e Barros(*).
      Benedito achou que um nome poético daquele tinha de ser preservado. E decidido, colocou na porta da casa uma placa, conforme é visto no vídeo.
      Resultado: os Correios sempre entrrgaram a correpondência e os correspondentes também se sentiram orgulhosos de contribuir para a sublevação do destinatário:-)
      Falndo em Mraiz e Barros, nos escritos do Mario de Andrade, se encontra uma obseravção dele: mas quem é esse Mariz e Baros que agora é nome da minha rua:-)
      Havia acontecido o mesmo, muitos anos antes, com o Mario:-)
      bjs

    • sub rosa disse:

      eu vi, Magaly, obrigada por me avisar. Obrigada, querida.
      bjs

  9. tereza disse:

    Obrigada, Magaly. Que bom, vou procurar.Os Cadernos de Literatura do IMS são ótimos. Tenho os Cadernos da Adélia e da Clarice.Mas sou muito desligada, acho interessante e depois esqueço de seguir a série.Vou aproveitar para ver o que já foi publicado.
    Beijos a todos.

  10. tereza disse:

    Eu também gostei muito dos vídeos da Rose.
    Beijos, Rose, bom te ver!

  11. Magaly disse:

    Teresa, se você tem o Caderno de Clarice, já está com tudo na mão. procure a página 292, estudo do processo criador da escritora. Abr.

  12. Rose disse:

    Oi,pessoal

    Ando afastada da net. Preciso pôr os pés no chão., garrar a enxadar. Preciso trabalhar mais, é fato.

    Sou já meio aluada; e a net é campo de muita fantasia.

    Mas claro que leio o Sub-Rosa…Tomara a Meg goste dos vídeos – que pouco valerão talvez p quem teve a alegria de conhecer o mestre , de perto. O perto é sempre mais fértil.

    Saudades e beijos

    • sub rosa disse:

      Rose, eu nem tinha lido seu comentário aqui, desculpe, recebi no Gmail e já lhe respondi.

      Tomara eu tivesse tantos prêmios como esse que vc – mais uma vez- acabou de nos dar .
      Esse video é precioso. No sentido literal do termo.
      Mas que maravilha. O verdadeiro taumátzein!

      Um beijo, querida.

  13. Tereza disse:

    Magaly, encontrei: A Narração Desarvorada de Benedito Nunes.Eu já li, mas faz tanto tempo. Eu nem lembrava do nome do autor.Vou reler. O Caderno de Clarice é um luxo!
    Obrigada, querida.
    Beijos.

  14. Tereza disse:

    Rose, eu também gosto de me afastar da net de vez em quando. Mas não desapareça, tá? Dê um alô para nós.
    beijos.

  15. sub rosa disse:

    ” […]. O perto é sempre mais fértil..
    Minha nossa, a Rose passa tempos sem vir, mas quando vem, hein? O Benedito iria adorar essa escrita tão tersa.. “Garrando a enxadar…” Puxa, melhor não poderia. Ele tão amigo das palavras e das coisas.
    Meninos e meninas, estou novamente metida com os médicos e leituras.
    Volto depois do carnaval. Amanhã tenho uma consulta de novo, a consulta do retorno depois daquele dia 16.
    Aproveito para a “pechincha” (houaiss, acepção 2: lucro que não se espera e/ou que não se merece):
    Torçam por mim, está bem?
    Beijos a todos. E obrigadíssima.

    =-=-=

  16. sub rosa disse:

    Teterezita e Magalyta>-)
    Vocês me alegram tanto, mesmo.
    É, Tereza, o Benedito era mesmo o crítico e melhor intérprete “avant la lettre”
    de Guimaraes e Cecília.
    Ela também sabia disso e chegou a se opor às vezes, a certos conceitos dele, tudo para, dengosa e nervosa como ela era, acabar compreendendo melhor depois. Resultado: foram amigos até a morte dela.
    +++
    Mas o próprio Benedito achava que crítico não deve conhecer nem *se dar* com o criticado.]:-)))

    Vocês sabiam, não é?, que Dona Clarice morou em Belém e teve contato com a intelligentzia cá da terra ?
    Pois é, e para nós, ela ficou sendo sempre como a *Dona* Clarice, que ele conheceu muito novo, pelas mãos do professor Paulo Mendes.
    beijos,queridas.

  17. Rose disse:

    Só escrevi ”garrando a enxada”, expressão do povo p um trabalho pesado…quero dar 10 aulas p dia para ter uma velhice sadia.

    O ”enxadar” saiu dum ‘r’ que eu teclei sem querer. É erro, não foi criação .

    Ficou legal, né? Um erro às vezes faz uma bela fruteira. rs

  18. Tereza disse:

    Meg, você também me alegra e muito com as suas surpresas:)
    A entrevista é mesmo fantástica, deliciosa. Quando a gente relê uma entrevista com gosto é porque valeu a pena.Me fez pensar, aprendi com ele. Já está nos Meus Favoritos:) Vi que tem muita coisa que parece interessante no Jornal.
    Eu sabia que a Clarice já morou em Belém. Não sabia que os originais de G.H. estão perdidos, que pena!
    Eu acho um absurdo o poder dos herdeiros sobre uma obra que eles, muitas vezes, desconhecem. Deveria existir uma lei limitando o poder deles, não sei como.
    Eles deveriam não ter o direito de impedir a publicação de uma obra.
    Beijos, querida, acho que também vou dar uma sumidinha. Se não chover muito:)

  19. sub rosa disse:

    Tereza,

    desculpe a demora em responder.

    Pois é, não é fantástica a entrevista?
    Colocar nos Favoritos é boa medida. Fica sempre à mão.
    E sempre há mais alguma coisa a aproveitar.
    ****
    Agora, está tudo em paz.
    beijos

  20. valter ferraz disse:

    Meg querida,
    aqui nesse link, uma entrevista com Benedito Nunes. Prá curtir e guardar:

    http://veredaliterariabh.blogspot.com/

    Beijo de saudade, menina

    • sub rosa disse:

      Valter, acabou que fiquei lá pelo YouTube e vi as 3 partes da entrevista.
      Excelente, até comentei lá. Eu não conhecia o entrevustador.
      Excelente indicação.
      Obrigada, querido.
      bjs

%d blogueiros gostam disto: