Minúsculos assassinatos… máxima escrita

minúsculos assassinatos e alguns copos de leite

Não é que a Fal seja ‘apenas’ uma pessoa que escreve bem, ela é *a* escritora;aquela de vencer tormentosos desafios que lança para si mesma. A que não se desvia da vertigem quando transita da doçura e delicadeza do amor e do afeto até o peso esmagador da *HÝBRIS* (ὕβρις) que tinge as perdas , as ausências, as raivas sentidas e ‘indirigidas’ (inventei essa palavra agorinha, e daí?) e indigeridas.

São as belezas e valores e presenças que compõem a instabilidade do ser, convergências e exílios de sentimentos, frustrações , perdas e ranger de dentes, que nos projetam para os males e dores da s perdas e danos, das ausências que se quer ou não se quer esquecer. Mas que se pretende expor. E se tenta. Agora, expressar isso com maestria e torná-lo obra de arte, já é outro departamento, outro guichê, ali, mais para além do que chegam os médios, os medianos. Isso é para os grandes.”

Este é um excerto do que escrevi à época do  vient-de-paraître. Mais de dois anos depois, a cada vez que leio e releio o livro, quando o escolho para presentear alguém, a impressão é reforçada:
Na microscopia da escrita, desde o antes, Fal se dedica às tarefas de expor, sondar e fiar alma e emoções, grande empreitada que executa com a leveza das mãos que conhecem muito bem a fibra do tecido que recorta. Mãos que sabem ser sutis, penetrantes, delicadas e – não duvide – sem subterfúgios – com humor muitas vezes feroz.

Minha sugestão para presente. No Natal, mas não vejo porque só no Natal. Em todas as ocasiões.
E taí… um presente para você mesmo. Você vai ficar feliz com a lembrança. Vá por mim

E o livro vai ser adaptado para uma peça. Veja aqui.

****   ****   *****

Robert Goren

Image via Wikipedia

P.S: Como se não bastasse, Fal é fã do  Goren (ah! full metal). E eu, para ser gentil, deixei de assediá-lo:  agora, além do Clint eu estou apaixonada mesmo pelo Dr. (Sam Westerton)McCoy, the real McCoy. Fica tudo em família, tudo em casa, né, maninha?

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

6 Responses to Minúsculos assassinatos… máxima escrita

  1. tereza disse:

    Li o Minúsculos Assassinatos e Crônicas de quase amor.
    Você disse tudo , Meg.
    bjs.

  2. sub rosa disse:

    Sabe, Tereza, eu queria mesmo era colocar algumas mostras dos textos mais expressivos (todos são) e os seus intertextos.
    Não consegui: o programa de OCR pifou e meu Word – de última geração -segundo me dizem – está com macros.
    -E, confsso não tenho vista suficiente para digitalizar.. píula!
    Tsc… como dizem no nordeste (que eu amo): píula!
    beijos.

  3. Magaly disse:

    Foi tão bom, Meggy,você trazer a Fal pra junto da gente, agora nessa atmosfera de Natal! Sintomático , porque ela representa presente, prêmio, ganho, valoração. Doadora espontânea e dona de estilo ímpar, ela nos fala tão humanamente ao ouvido, que nos surpreende, neste seu primeiro romance, do princípio ao fim. Meio mágica, conduz seu enredo com tal perspicácia e sabedoria que o leitor se sente arrebatado e infalivelmente envolvido. Fal é, em súmula, força, talento, lirismo, arte.
    Tive a dita de recebê-la em minha casa, fotografá-la em minha sala de visita, guardar na menória sua figura amável, sua meiguice, seu olhar complacente, generoso e amigável.

  4. Fal disse:

    Magaly. Honra máxima da vida entrar na sua casa. Guardo aquela tarde no coração.
    Meg, Meg, Meg, que coisa mais delicada, querida. E mais que a delicadeza, eu gosto muito qd vc diz, e vc já me disse várias vezes, de formas diferentes sobre a minha “microscopia da escrita”. Vc sabe, é isso que eu quero, é isso que eu procuro, é isso, todos os dias que eu exercito. Daí, que quando uma pessoa com a sua cultura, a sua bagagem, o seu (vc sabe disso) imenso conhecimento, eu fico…. eu fico feliz pra caralho. Se alguém do seu nível me entende, tudo bem. Alguma coisa tá sendo feita do jeito certo. Muito obrigada. De verdade, além do agradecimento pela sua imensa delicadeza e generosidade, além da amizade, que é uma constante, além das nossas gargalhadas, além, além, além, obrigada por entendender o que só se adivinha. É um alento existir no mesmo mundo que vc.
    amor
    fal

    (desculpa, ficou eu eu eu eu eu, mas EU (haha) tinha que dizer isso. pra vc.)

  5. Fal disse:

    ps2: Tere, ce tb tá na patrulha da madruga, fia!?

  6. Norma disse:

    Meg, eu comprei o livro da Fal, foi meu presente de Ntal para a minha mais velha. Estamos adorando. Ela já leu e agora é a minha vez.
    Quanta honra assinar aqui onde a própria autora do livro escreveu… que chique.
    Um beijo

%d blogueiros gostam disto: