A melhor tradução de flabbergasted

Flabbergasted já foi eleita há alguns anos a palavra mais bonita (?) da língua inglesa. Numa outra votação, deu *serendipity* Eu adoro as duas. Agora, traduzir já são outros ‘five hundreds’ .Vi isso (a eleição) há séculos, num dicionário online desses bons. Daí…

Minha homenagem ao CATLOVERSDAY ( * )

funny pictures-I am not often shocked. Right now I am totally flabbergasted.
see more Lolcats and funny pictures

(*) Muito lindão, não é? Que fique claro, no entanto, que foi com autorização expressa de minha filha, minha cã – a Dorothy (over the rainbow) Guimarães.

(**) Obrigada, figliolinha:-)

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

8 Responses to A melhor tradução de flabbergasted

  1. aninha pontes disse:

    Eu continuo votando em “flabbergasted”,
    Acho ela muito pomposa.
    Você é assim, encanta com seus nomes, seus poemas, que sempre encontra o que há de melhor, para nos dar.
    Um beijo querida.

    • sub rosa disse:

      Ih! Aninha, além de vc falar bem de mim, ainda escreve tão lindo.
      Todo mundo gosta de ter seus posts comentados por vc.
      Um beijo, obrigada, minha querida

      • sub rosa disse:

        Mas, falando nisso, Aninha, vc gosta de gatos?
        Eu adoro, mas sou alérgica, daí peguei minha cachorrinha Dorothy, uma york, vc nem imagina, vivo apaixonada por ela.
        Vc fala muito da terra, das plantas, mas reparei agora que vc não fala de nenhum animal (de estimação) .
        Ou estou enganada?

        P.S. Eu imagino o Lord se vier a ler isso:-)) Ele não gosta nem de passarinho, imagine papo-catdog:-)
        Beijos

  2. aninha pontes disse:

    Meg querida:
    Já fui muito apaixonada por cachorros, não gosto de gatos.
    Mas quando perdí, não soube lidar com a perda, e agora prefiro não te-los.
    Mas, ganhei uma cachorrinha esses dias. Uma mistura de pastor, com não sei o quê.
    Estamos cuidando dela, tentando não nos apegar muito.
    Mas, tem outro lado, eles nos prendem. Quando vou na casa dos meninos, não quero ter pressa de voltar, por causa de animais.
    E ainda tem o lado, de que é difícil conciliar uma horta, com animais, a menos que os tenhamos presos, mas não gosto disso. Até a palavra prisão me soa pesado.
    Beijinhos

    • sub rosa disse:

      pensei que já tivesse respondido aqui, Aninha. Afinal. olhe só como as coisas acontecem. Ou desacontecem.:-)
      bem, apegar-se é inevitável. Fico gelada só de pensar nisso.
      vc tem razão.
      bjs, querida.

  3. magaly disse:

    Tenho boas histórias de gatos que foram meus e de como me identificava com eles. Isso por toda a infância e a pré-adolescência. Tive até um hospital para gatos estropiados , escondido dentro de um forno de olaria que existia no fundo do quintal . Lá eu e Seu Eraldo, meu pai , tratávamos das doenças dos gatinhos e fazíamos curativos que parecian feitos por veterinário. Isso durou até D. Elisita, minha mãe, descobrir nossa façanha. Papai tinha jeito pra a coisa e chegou a realizar pequenas cirurgias.
    Meu tempo para estudar começou ficar apertado, papai já não descansava quando voltava do trabalho. Raciocinamos e resolvemos parar.Tivemos a sorte de encontrar um senhor aposentado que se condoeu dos bichanos e continuou nosso trabalho, agregando-se à família. Voltei aos estudos e nunca mais pensei em felinos. Só uma saudadezinha vez por outra.

    • sub rosa disse:

      Aaah! que lindo. Não só pelos bichanos, mas vc é ótima contadora de histórias. De verdade, Maga, e isso eu não conhecia.
      adorei.
      bjs

  4. magaly disse:

    É, mas não quis fugir do assunto. Distraí-me falando de minhas aventuras felinas e não escolhi a palavra preferida. Difícil mesmo, as duas são cativantes,
    sonoras. Fico com flabbergasted. Talvez porque ela já absorveu um pouco de sua personalidade, talvez porque aquele gatão assumiu um ar insuperável ao afirmar que estava flabbergasted.

%d blogueiros gostam disto: