Abbey Lincoln (RIP)

Com o atraso de uma semana – shame on me –  (não foi possível vir aqui antes) – registro  meu pesar pelo falecimento de Abbey Lincoln (alias, Anne Marie, Gaby Lee e Gaby Woolridge) magistral cantora, sensível interprete de suas próprias composições. Sempre declarou que tinha como ídolo a outstanding Billie Holliday., e foi muitas vezes a ela comparada.  Na década de 60, casou e trabalhou com o importante percussionista e compositor Max Roach (gravou com Charles Mingus e Duke Ellington, entre outros).

Abbey era uma das minhas cantoras/compositoras preferidíssimas- Clique para ver a discografia.

Os jazzistas ferrenhos estão tristíssimos. Ela era surreal e até há bem pouco, na década de 1990, estava muito ativa e gravou discos importantes, como podem ver no site da Verve Music, em sua home. The World Is Falling Down” (1990), “Devil’s Got Your Tongue” (1993), “A Turtle’s Dream” (1995) e “Who Used to Dance” (1996) e em 2007 finalmente lançou o Abbey sings Abbey, um dos meus mais queridos.

Fico com o que disse Peter Watrous do “New York Times”, em 1996:  “A sua voz era um instrumento especial, produzindo um som que não é puro ou perfeito. Mas as suas limitações levaram-na a cantar com honestidade. Mais importante, ela compreende as palavras que canta, declamando-as como se iluminasse todo o amor perdido e a tristeza que as pessoas sentem”.

Abbey era “unique”, absolutamente especial. Muito glamourosa.  Era considerada a última grande dama do jazz. Caso eu não volte para terminar esse tributo, deixo com com vocês essa admirável (não reparem: ela merecia adjetivos muito mais inspirados que esses que me ocorrem agora) rendition de Throw it away (do disco The Panted Lady, gravado em Paris em 1980.

Nasceu em 6 de agosto de 1930. Morreu em 14 de agosto de 2010.

Godspeed, Abbey!

=-=-=-=-=-

via Antônio Augusto, meu amigo, que me avisou no dia 14, mas só vim a ler  ontem, dia 18 . Obrigada, querido.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

8 Responses to Abbey Lincoln (RIP)

  1. Allan disse:

    Nessa vida as perdas são inevitáveis, mas algumas são insubstituíveis. :(

  2. lord broken pottery disse:

    Meg, queridíssima,
    Sem dúvida ela encontrará os maiores. Restam poucos por aqui.
    Beijo grande

    • sub rosa disse:

      isso é a pura verdade. Temos boas, excelentes artistas de um modo geral e cantor(e/a) em particular, mas que escasseiam,ah isso é verdade.
      A excelência deles é fato. E não se pode dizer que isso é saudosismo, no mau sentido.
      Um beijo, querido milord.

  3. rose disse:

    Volte p terminar o tributo. Pls.

  4. magaly disse:

    Ah! Perda inestimável, Meg. Ela foi a voz verdade, a voz sensibilidade, a voz força e doçura. Adorei esta que ouço comovida. E tenho pouco, muito pouco desse tesouro que é seu repertório. Vou tratar de baixar alguma coisa mais.
    Eu soube no dia 14 mesmo, mas estava envolvida com muitos assuntos que nem comentei nada em lugar nenhum.
    Como diz o Lord, ela encontrará os grandes.

%d blogueiros gostam disto: