NOSSO LAR, o filme

Pessoas queridas,

só entre nós: desculpem mas não estou vindo à internet o tempo suficiente que gostaria. Infelizmente, pois há  notícias e outras coisas que gostaria de dividir com vocês. Meu único receio é que julguem que estou sendo indelicada, sem visitar meus amigos  e sem responder a eles, principalmente os emails. Assim que puder, volto aqui com mais tempo.

Hoje, só vim aqui, acima de tudo por eu gostar de cinema, e tão importante quanto, por eu adorar minha querida Magaly (Magaly Campelo de Magalhães que faz este blog  maravilhoso) .

Então queria registrar e dividir com vocês essas notícias sobre o filme *NOSSO LAR*

Sobre o filme todo mundo já ouviu falar, leu ou falou: ele está realmente “causando”. Direção, efeitos especiais, qualidades que fazem dele um filme para todos, quer acreditem ou não.

O que não sabem, aqui entre nós, de novo,  é que Magaly, está divulgando o filme e tem todas as condições para fazê-lo, com a autoridade não só de uma estudiosa  mas também pelo exemplo de como vive e age.

Me perdoem se eu não sou capaz de ser mais eloquente. Magaly faz isso muuuito melhor do que eu.

Ah, sim! dizem que não é Nosso Lar – o filme. É Nosso Lar – *o* filme. Confiram aqui, onde nós estamos.

=-=-=-=-=

beijos a todos.

Estibordo ou bombordo?

Eu sempre tive medo que alguém me perguntasse a diferença entre essas duas horrorosas palavras. Bom, ninguém me perguntou eu continuo não sabendo, mas achei o título legal para anunciar que o Lord Almirante Nelson voltou, isto é, voltou com seu blog – em novo endereço e com um belo visu – Ao Mirante!

Agora sim, está feita festa. Alegria, era o que faltava… (como diz o lindo samba de Cartola)…

O objetivo deste post – para que eu me faça entender – é somente avisar aos meus dois ou tres gentis leitores que, porventura,não conheçam o endereço novo. Imagina se eu, mesmo com atraso -ia deixar de dizer.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

P.S. {spqg]  Jimmy Fallon  arrasando no Emmy. :-)

Pérola!

Ollha só:

“Eu comprei um sutiã tudo de bom, arribagarotos, com capinha durinha pra não aparecer os beecos. Quando comprei ele não cabia, ficou meses me esperando, e finalmente tá dygno. Tudo isso, todo esse empenho, praGui pegar o sutiã hoje de manhã, pedir pra amarrar no próprio peito e dizerque tava fantasiada de ORANGOTANGO. E ainda pra bater no peito e urrar e tudo. Nhé. Ser mãe é abdicar da dignidade.”

Eu não podia deixar de dividir com vocês essa pérola phyna. Quando vou ler o blog dela, ela nunca me decepciona.

A Tati é que é!  Quer mais? Bem, ela  é minha amiga no Facebook (thank goodness) , e escreve  posts bárbaros, aqui, no Perolada.

=-=-=-=-

Ah! eu também estou atrasada nas respostas aos mil e sete comentários que meus queridos me deixaram.  Juro que logo estou estou voltando pra responder.

Tiau!

Abbey Lincoln (RIP)

Com o atraso de uma semana – shame on me –  (não foi possível vir aqui antes) – registro  meu pesar pelo falecimento de Abbey Lincoln (alias, Anne Marie, Gaby Lee e Gaby Woolridge) magistral cantora, sensível interprete de suas próprias composições. Sempre declarou que tinha como ídolo a outstanding Billie Holliday., e foi muitas vezes a ela comparada.  Na década de 60, casou e trabalhou com o importante percussionista e compositor Max Roach (gravou com Charles Mingus e Duke Ellington, entre outros).

Abbey era uma das minhas cantoras/compositoras preferidíssimas- Clique para ver a discografia.

Os jazzistas ferrenhos estão tristíssimos. Ela era surreal e até há bem pouco, na década de 1990, estava muito ativa e gravou discos importantes, como podem ver no site da Verve Music, em sua home. The World Is Falling Down” (1990), “Devil’s Got Your Tongue” (1993), “A Turtle’s Dream” (1995) e “Who Used to Dance” (1996) e em 2007 finalmente lançou o Abbey sings Abbey, um dos meus mais queridos.

Fico com o que disse Peter Watrous do “New York Times”, em 1996:  “A sua voz era um instrumento especial, produzindo um som que não é puro ou perfeito. Mas as suas limitações levaram-na a cantar com honestidade. Mais importante, ela compreende as palavras que canta, declamando-as como se iluminasse todo o amor perdido e a tristeza que as pessoas sentem”.

Abbey era “unique”, absolutamente especial. Muito glamourosa.  Era considerada a última grande dama do jazz. Caso eu não volte para terminar esse tributo, deixo com com vocês essa admirável (não reparem: ela merecia adjetivos muito mais inspirados que esses que me ocorrem agora) rendition de Throw it away (do disco The Panted Lady, gravado em Paris em 1980.

Nasceu em 6 de agosto de 1930. Morreu em 14 de agosto de 2010.

Godspeed, Abbey!

=-=-=-=-=-

via Antônio Augusto, meu amigo, que me avisou no dia 14, mas só vim a ler  ontem, dia 18 . Obrigada, querido.

MICHELINE CARDOSO – Lá na Lapa.

show "samba plugado" RJ

Amanhã, dia 19, a cantora  MICHELINE CARDOSO realiza seu show “Samba Plugado”. Nele, recebe  dois convidados especiais: THAIS VILLELA e GERALDO AZEVEDO que dispensa apresentações.
Micheline e Thaís fazem parte do movimento COLETIVO DE CANTORAS.

Oportunidade imperdível para conferir essa nova safra de cantoras, que apresenta sua arte, a música brasileira da melhor qualidade, no tradicionalíssimo bairro boêmio, carioca, que é a Lapa.

SERVIÇO:

SHOW: Samba Plugado.

ONDE:  Espaço Imaginario/Lapa Café, na Gomes Freire, 453,  Rio de Janeiro,

QUANDO: Quinta-feira, 19/08 às 20 h

=-=-=-=-

(*) O que vem a ser o Coletivo de Cantoras?

Coletivo de Cantoras

“[…]  cantoras que fazem parte da cena musical do Rio de Janeiro. Batizado de Coletivo de Cantoras, o grupo surge como espaço itinerante para oferecer aprimoramento técnico e experiências nas várias manifestações artísticas.
A ideia do coletivo veio na bagagem artística de Janaína Moreno, da sua experiência como atriz e cantora.[… ]
No último dia 16 de junho, o Coletivo de Cantoras realizou a sua primeira reunião pública, no bar Semente, na Lapa. O encontro contou com a participação das cantoras Roberta Nistra, Elisa Addor, Janaína Moreno, Sarah Silva, Julieta Brandão, Patrícia Ferrer, Taís Villela, Letícia Soares e Cláudia Nunes, fora a manifestação de apoio e interesse de outras artistas. “O resultado é uma pauta de ações que inclui a realização de seminários, palestras e workshops com profissionais do canto – como fonoaudiólogos e preparadores vocais –, da expressão corporal e da música”,[…]
Outra proposta do coletivo é a realização de uma grande festa cuja função é percorrer os vários caminhos musicais presentes no Rio de Janeiro, passando por ritmos como samba, mpb, maracatu, baião, jazz e tantos outros. “Queremos que essa festa seja um espaço de experimentação, onde as cantoras do coletivo possam inovar e apresentar novas propostas”, afirma Janaína Moreno. […]”

-=-=-

Texto retirado da página do Coletivo no Facebook.

Benedito Nunes – homenagem

Mais uma homenagem ao grande sábio:

mais homenagens

clique.

O professor, crítico, ensaísta, pensador e escritor Benedito Nunes ganha homenagem da Saraiva

Ele será homenageado em meio ao coquetel de lançamento da inauguração  da Saraiva Megastore, aqui em Belém, na quinta, 19, às 19 horas.

Leia aqui um perfil de um dos mais respeitados intelectuais reconhecido mundialmente, ainda em vida. Leia e aí então vc vai entender por que ele é uma glória, simplesmente o “mACSSimo”, um orgulho para o Brasil, em tempos de valorização de tanta mediocridade.

Ah! sim, não é por nada, não, mas é que eu vejo e leio por aí tanta gente se definindo como “filósofo” (grossas aspas e fat chance) que fica meio difícil a gente saber por que um estudioso e pensador da mais rara estirpe filosófica, recusa o título de filósofo ligado a seu nome.

Idelber Avelar

Para nossa alegria e para o bem de nossa vontade de sempre aprender, *ele* está de volta: ontem foi o aviso de reinauguração. Hoje, a maestria de sempre;  como ele mesmo diz a segunda reencarnação (?).

Seja muito (re) bem vindo, querido, mas como  já lhe disse, embora pesadamente político, desde quando música, literatura, cultura e …filosofia não são pesadamente políticos? Para qualquer extremo do compasso:-).