Com os animais, vc se importa?

Pessoas queridas (e mesmo as nem tanto ou as que não conheço):

Eu morro de ‘vergonha” (não é bem vergonha, é impotência, é saber que parece que a gente tá meio que fazendo papel de débil mental e no fundo talvez até esteja), mas eu não podia me furtar a fazer  esse post [ (aliás, outro dia mesmo, deixei de fazer um sobre os MÉDICOS SEM FRONTEIRAS) – conhecidos, reconhecidos, Prêmio Nobel e talz… e eles estavam – sempre estão – necessitando muito. Mas eu disse, ah!… eu já faço a minha doação, vou lá chatear as pessoas pelo blog. (Sei, eu sou isso mesmo que voces estão dizendo aí)

Porém, hoje não dá pra passar:=, tudo bem que sou tímida, mas afinal sou uma mulher , uma pessoa, ou uma…u uma o quê?;-)

Pois bem, então leia aqui, por favor.  Se você se interessar, se achar que isso importa, se achar que  você  é importante nem que seja um pouquinho para fazer alguma e tentar modificar a situação, então passe para cá, leia de novo e assine. Se você decidir assinar:-)

Se você não se importar, no problem. Fica tudo numa boa (para você, claro) eu continuo achando que você é maravilhoso  e a vida prossegue no melhor dos hunky-dory (valei-me my Saint David Ziggy Bowie) . Tá bom, assim?

Ou como eu *também* gosto de dizer, tudo bem ficamos no sweet Fanny Adams.

Minha amiga blogueira musicóloga,psicanalista, engraçadíssima e que escreve legal e divertido até dizer chega, acha essas expressões a minha cara. Para ela e para voces, deixo esse presentinho aqui no  link. Um beijo, Camila.

Fiquem bem, felizes. Intex!

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

6 Responses to Com os animais, vc se importa?

  1. Camila says:

    Uau! Minhas bochechas estão vermelhas aqui. Aliás, taí uma questão que poderia ser investigada numa versão para a língua portuguesa do link que você deixou: por que bochecha vermelha = elogio e orelha vermelha = xingo? Adorei as origens do trovão roubado. Beijo, Meg – muito bom te ver blogando a toda novamente!

    • sub rosa says:

      Minha querida, you deserve it!
      eu devia mesmo era fazer um post supimpa daqueles que antes eu sabia fazer, juro, só para realçar o conjunto da obra Pavanelli.

      Posts memoráveis sobre música, os de fundo psi, os sobre comportamento homem/mulher/internet _ esse muuuuito edificante:-) , aqueles de gente que fala sem ter a mínima noção do que seja ter noção… há! fora os tipo assim meio que autobiográficos.
      Mas, esse da pizza é um diamante. É de derrubar nego que tem vertigem de pequena altura :-)
      E ter namorado vegan e contar pra psi que entende errado hahahaha….é sim-ples-men-te o maCSimo. Isso sim é escrever legal.

      P.S. Trovão roubado é mesmo um dos meus preferidos e sou capaz de inventar um assunto só para usá-lo.
      Vamos descobrir um sobre blushed cheeks/ red ears. Or whatever. pisc*, ‘guria’ bonita
      Beijos.

  2. Meg,
    Do jeito que vão as coisas, logo teremos os veterinários sem fronteiras, cuidando dos animais do terceiro mundo, atendendo os bichos de Bangladesh, por exemplo. Não é que eu não me preocupe com os animais, é lógico que não gosto de ver seres vivos maltratados, mas tem havido um certo exagero. Tem menino na rua invejando vida de cachorro.
    Beijo

    • sub rosa says:

      Hahahaha, eu sabia e mal cheguei em casa, corri pra cá adivinhando um comment seu:-)))
      Lord, vc é a minha “consciência do Braguinha” hahaha.
      Esta é uma expressão de infância paraense que só vou lhe explicar pessoalmente, já viu, né? Tô chegando em breve aí , em Sampa.

      Agora, venha cá, o seu avô, segundo testemunho impoluto/acima de qualquer supeita do Paulo Mendes Campos, que *entregou* essa, ó, quando Graciliano Ramos, ouviu pela primeira vez um rouxinol, disse: “Eta passarinho chato!”
      Um rouxinol, Caco! Pela primeira vez, Lord!
      Por isso (passando por Baleia) eu acho que seu comentário é coisa atávica.
      ;-)
      Vc é do contra! Não vale!
      Hohoho.
      Beijos, beijos
      Meg

      P.S. Gente : Queria deixar bem claro que esse meu post não tem nada ver com posts de adoção e talz… Nada contra, eu respeito de todo o meu cãoração o que cada um fizer pelos animais de estimação, domésticos, abandonados e tudo o mais. Até colaboro. [alterado ]
      Porém, ai, porém, este post, isso aqui é ooooutro departamento e creio e espero ter ficado claro.

      Agora, voltando à vida real, o Lord é meu amigo e eu posso dizer algumas coisas que nossa amizade virtual permite. Ele implica com animais sim e particularmente implica com pet shops. Digalá:-)))

  3. Meg,
    Você tem razão, deve ser alguma coisa atávica. Graciliano talvez, lá no fundo, tenha se deliciado fazendo a Baleia sofrer. Uma das cenas que trago guardadas na memória, mostra meu pai levantando em um domingo, furioso com o canto de um sabiá. A frase? Feche os ouvidos: “Eu mato este passarinho filha da puta que não me deixa dormir!”.
    Quando você virá a São Paulo?
    Beijo

  4. Magaly says:

    Os animais são seres da Criação. Como não respeitá-los?
    Mas entendo o argumento do Lord quando ele diz que há muita criança invejando vida de cachorro. Uma coisa é respeitar e tratar dignamente os animais criados em ambiente doméstico. Outra coisa é exagerar nesse tratamento com exterioridades quando há crianças famintas e doentes a nosso alcance.
    Sei também que o problema não tem a ver só com os pets. Tem outra dimensão quando se trata de animais de abate em larga escala industrial e se sabe como são confinados a areas restritas ou mantidos sob consumo de drogas que os deixam em condições especiais de repasse nas vendas.
    E há situações absurdas, como foi o caso das peles para ornamento até vir a lei proibitiva. Como é o caso da indústria dos patês de fígado que usam uma técnica abominável de sofrimento do animal para a extração do órgão em questão. É preciso uma fiscalização partida dos governos para acabar com esse tipo de exploração perversa.

%d blogueiros gostam disto: