BASIL WOLVERTON: Producer of Preposterous Pictures of Peculiar People who Prowl this Perplexing Planet

É claro que eu sei que não se faz isso aí. O título:-) vocês sabem.
Mas vem cá, diz se dava pra resistir…

Assim sendo, o post já está feito e – como o tempo  agora consome qualquer coisa que não seja leitura e meus médicos nem tão bonitões, deixo para vocês essa meraviglia, l’ottava del mondo:

THE MICHELANGELO OF MAD MAGAZINE

E aqui o SLIDESHOW

the dreamer_Wolverton

Bem,  como disse Holland Cotter:

“If you were a pre-teen in the 1950s and had precocious friends or a with-it dad, it’s a good bet you knew the cartoons of Basil Wolverton, the Michelangelo of Mad magazine, even if you didn’t know his name.”

Ah sim, ele, como todo mundo praticamente, de sua época, ‘o-de-a-va’ as feministas.

(Aliás, qualquer dia faço um post sobre como é mesmo essas história das mulheres anti-feministas (cacilda, tem hífen ou não tem ? ) isto é, as que são e não sabem e juram que mão são:-)

E quem está vendo a série MAD MEN? Anyway, opinião de propagandista, publicitário ou seja lá que nome que se dê  lá pros tais que trabalham em advertising agencies, eu passo:-).  A única exceção que faço é para o Rafael Galvão, porque é o único que não escreve como tal, digo, como sendo:-) Ele, simplesmente, escreve como escritor.  E espero que ele escreva um dia, antes da série pular o tubarão, como fez  com HOUSE.:-), certo Rafaeli? A série já está na 3a. temp.

-0-0-0-0

Fica então o post para todos que apreciam o gênero. Art&Design, graphic novels and so on.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

7 Responses to BASIL WOLVERTON: Producer of Preposterous Pictures of Peculiar People who Prowl this Perplexing Planet

  1. Vim aqui e vi você citar House, minha série preferida. O Hugh Laurie é um dos melhores atores que existem por aí (tinha que ser inglês, né?). Gosto do jeito do doutor, do humor negro dele, das sacanagens que apronta, da falta de caratice escancarada, de tudo que faz e diz, inclusive do gosto musical. Me identifico muito com o Dr. House, somos parecidos (ou eu gostaria de ser). E acabei não falando de cartunistas…Desculpe-me.
    Beijo grande

    • sub rosa disse:

      Lord, milord querido:
      Eu também, eu também.
      Bem, I’m crazy about the boy.
      O Hugh Laurie para quem não conhece – e não me atrevo a dizer se são muitos ou poucos *É* de fato um dos melhores atores *EVER, WHENEVER AND WHEREVER*:-)
      (Aliás, os dois *QUASE* valem por *quase* um Monthy Python, sendo que ambos são writers também)

      E talvez LAURIE não seja tão conhecido como deveria, exatamente por isso, Lord: por ser britânico e por ter atuado most of all na Inglaterra .
      Ele é um daqueles atores comediantes que possuem uma impressionante e fantástica *delivery. E isso pode visto e comprovado no inesquecível programa FRY AND LAURIE
      http://en.wikipedia.org/wiki/Fry_and_Laurie .
      ___
      E ainda por cima é músico. E ainda por cima desse por cima tem aqueles olhos:-) Hahaha!

      E quanto ao Dr. House (HOUSE MD) uma de minhas séries preferidas de primeira hora é tudo isso que vc disse, mas eu vejo coisas ainda melhores que (aconselho) se vê bem melhor nas duas primeiras temporadas. E na terceira . Incluindo-se aí, a ostensiva inspiração e homeangem a Sherlock Holmes – até no endereço:-) E com montanhas de similitudes que tornava o fato de ver a sárie um prazer que não tinha tamanho.
      BTW, conheço muita *gente boa blogueira* que só agora despertou pro “curmudgeon” e se pergunta: mas como ele apareceu? Onde ele estava? Tolinho/as:-)

      Mas devo confessar que com aquela greve dos roteiristas (justa, mais que justa) a coisa desandou. A série fez adaptações muito pouco felizes, elenco ruim que foi adicionado. E, o mais o xis da questão: aconteceu o inevitável, também, Lord: O *dono* da história tinha uma história pra contar. Em três temporadas ineiras contou. Agora era hora de parar. Ou se repetir.
      Optaram por se repetir. Ou whatever.

      Rio muito da piada que diz que ele não *c%me ninguém. Ok, mas se vissem na segunda temporada a ex-mulher( a que foi casada) dele, – a linda SELA WARD – entenderiam muita coisa:-)

      Meus amigos implicam com os nomes da doença. Bibagens! Esse pessoal pense que série é vida real . Séir e série, mas custam a entender isso.

      E embora, hoje em dia veja menos, muito menos – estou mergukhada nas séries da HBO – ainda aprecio os HOUSISMOS e adoro as exatamente isso que vc enumerou.

      E quer mais chiqueza e lordez que ser de Oxford?;-)))

      Beijo, milord.
      M.

  2. Nelsinho disse:

    Olá Meg

    Quero agradecer o seu comentário sobre o aniversário da Nina. Ela ficou muitissimo sensibilizada.
    Um beijo e continuação das melhoras

    • sub rosa disse:

      Nelsinho, querido:

      Foi tudo de coração.
      Não havia como não ser.
      Pena que eu não tive a sorte da Dra Marylia que teve o prazer de receber um comentário dela em seu prórpia blog:-)
      Desejo a continuação desse para tão lindo e feliz.

      +++

      Aproveito para dizer aqui que concordo com vc em tudo, em relação à reforma. Purismo e fanatismo não dão bom caldo.
      E aliás concordo com os portugueses, em não concordar:-))).
      Só discordo da atitude de alguns, mas tão poucos, que eu nem deveria tê-los indiretamente citado:-)

      beijos, querido Nelsinho.
      Quero ver logo as mukandas poéticas.
      Mas esses dois dias estarei no hospital.
      Ah! se aparecesse um Dr. House, mesmo e longe!:-)

      Sorte em Singapore:-)
      M.

  3. marilia disse:

    Confesso-me, tal qual o Lord, PARADA NO HOUSE

    =)

    mas ainda tenho fôlego pra passar e deixar um beijinho…

    • sub rosa disse:

      Doutora Marilia: eu ia responder lá que vc – como sempre- chegou, baixou e saravou. Comunicar e comunicar-se é uma coisa , já do que se tratava, era uma outra muito outra coisa.
      Como já disse ao Nelsinho e acho que isso dispensa qualquer coisa mais que eu diga, eu estou de acordo com os portugueses de Portugal:-)))) na convicção, mas em desacordo, decepcionada mas não surpresa é na atitude. DE algfuns, ressalte-se.
      Não todos.
      Olha só:

      *Contrarréu* lá é coisa que se escreva num papel?
      E sair “impunis”? (homenagem ao #mussumday no Twitter:-)
      Segundo lugar in tehe entire world. Uebis!
      Beijis,
      Meguis:-)

  4. Magaly disse:

    Oi, Meggy, não conhecia o cartunista. Reconheço que sou meio alienada nesse assunto. O Téo é que sabia apreciar o trabalho desses profissionais. Mas vc falou, fiquei curiosa. Pena que não consegui abrir o Slideshow.

    Não “se avexe” com o hífen. Se o prefixo terminar em vogal e a palavra começar com vogal diferente, junta; se começar com vogal igual, separa. (Exceção para o prefixo co que se junta seja qual for a vogal que comece a palavra.) E se a palavra começa com h , tem hífen.

    Não vejo a série Mad Man. Continuo vendo o House, embora esteja numa fase ruim, repetindo-se. Por isso , de vez em quando, eu esqueço o horário. Tenho tido muito pouco tempo para TV e, infelizmente, pros livros.

    Até depois de depois de amanhã

%d blogueiros gostam disto: