UM TEXTO TERSO

amor_inventado

Ele voltou!   E como!;-)   Leia lá.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

14 Responses to UM TEXTO TERSO

  1. marilia disse:

    Vivas! todos estão voltando… Você, o Lord, o Nelsinho…
    Até eu, ainda bem lentamente e a passos trôpegos…

    • sub rosa disse:

      Ah! o Nelsinho, nosso querido, merece menção especial pois está estreando em novo endereço.
      Equanto estou sem tempo,observo, e depois escrevo.
      E vc, leu a pergunta que deixei?
      Bom… não se pode propriamente falar em passos trôpegos, não é? hahahah… depois *DAQUELA* viagem* e da impressões de viagem.

      sabia que Angicos, Dadá Corisco, essas palavras todoas me incendeiam de admiração e paixão.
      beijos
      Meguita

      • marilia disse:

        Li sim, Meg, dear…
        Respondi lá e respondo aqui: o singelo filho é meu, mesmo… fui nessas férias ao lago de Xingó, ao Cânion do São Francisco e à Grota dos Angicos… tudo F-A-B-U-L-O-S-O!!! Trouxe de lá muitas fotos e o poeminha que foi pro blog.

  2. boczon disse:

    ainda bem que é a volta dos que não foram.

    besitos

    • sub rosa disse:

      Isso mesmo, meu querido TeClaudio.
      Essa é a melhor e a mais ansiada volta.
      Porque daqueles que se foram mesmo, ah… isso não tem jeito, n’est-ce pas.

      Acabei de ler o casamento dos surdos e estou doída pocalunkíssimos.

      Madrinha (me diga, immediatly, como se diz isso em Polish).
      ;_=)

  3. Ery Roberto disse:

    La vuelta en estilo.

    Já tinha passado da hora. Caco ausente abre uma lacuna em nossa alegria. Já o recebi com afeto e desejo que volte a nos brindar com outros textos tão emocionantes quanto este.

    Beijos, Meg!

    • sub rosa disse:

      Fabulously said, dear friend!

      Ele merece mesmo essa efusão.
      Pensando bem, para mim, é imprescindível. Deve ser para outros todos também.

      E você, recebeu meus parabéns pelo Zequinha de Abreu?

      Mó sucesso no cinema hollywoodiano.

      Beijos, Ery

  4. Janaina Amado disse:

    Ah, Meg, nosso Lord voltou, e você também, vivaaaa!

    • sub rosa disse:

      Ja-na-í-na!!!!
      Vontade de cançar uma daquelas canções praieiras:-)

      Pois é, nosso Lord veio com um texto supimpa.
      Vc não vai acreditar se eu disser que estava lendo umas indicações de amigos para essa minha estada de pós-operada:-) – e no momento em que fui lá, estava acabando de ler um poema da Edna Vincent Millay. To Impossible Love, ou coisa parecida.

      Batia como uma luva. Não dava pra não ficar felicíssima.

      ***
      Agora, nós duas aqui, um pedido: não vamos mais nos *desencontrar* assim:-)

      Vou estar todo dia vendo, lendo e admirando suas aulas.

      Aprendendo, em suma.

      E com carinho
      Meg.

  5. Magaly disse:

    Valiosa volta . O texto é perfeito. Verdadeiro presente pra nós todos.

    • sub rosa disse:

      Maga

      Vc não achou mesmo?

      Eu adorei.
      Ele concentrou uma idéia platônico/aristotélica.

      No mínimo.

      beijos

      P.S. Queixa e choro: Vc nem falou da minha filha, Dorothy:-((( snifff! Sniff! Buááááá´!

  6. Meg,
    Já que é pra falar de flores, falo da Dorothy, que não me foi apresentada, mas que deve ser Lamour, não precisa chorar, tá?
    Beijo agradecido por todo este carinho terso

  7. Magaly disse:

    Não esqueci a Dorothy, como poderia ? Eu já tinha perguntado por ela no Orkut, vá ver lá. Depois, descansei pq vc eplicara que ela havia ido para uma colônia de férias. Bjs

  8. ateus pés disse:

    Meguita,

    O título (no seu caso, para mim, nobiliárquico) fica, na língua dos polacos de ansim:

    matka chrzestna

    buzi!

%d blogueiros gostam disto: