Tidbits… (Updated)

Agosto é um mês phenomenal… É maravilhoso `.´ ! No dia 9 é o dia dos Pais (e eu loucamente apaixonada pelo meu vejo que estou há 20 anos sem ele. Nem quero estar consciente nesse dia).
No dia 13 é o aniversário de Hitchcock.
E,  finalmente (por enquanto),  em agosto, agora nessa primeira semana,  volto novamente para o Hospital, o mesmo Porto Dias, onde há pouco fui “procedida” (claro, não é assim que chamam para cirurgia por mais grave ou mais besta que seja? um *medical procedure*?) e o tal do procedimento apresentou problemas e vão me ‘consertar’.:-O .

É a “beleza” do mês de agosto. Mês também em que se  ‘encantou para sempre”, minha diva maior (depois de Billie Holiday) que é a Marilyn Monroe , a mais mais entre as mais. Dia  5.
(Eu ganhei um presentaço da queridíssima Karla Nazareth – sintam a força desse nome-  do blog de responsa cujo título é Empurra com Água.  Confiram.  E além do mais ela sabe dumas coisas que até Deus duvida:-)
Aqui pra nós, acho que a coisa virou, eu é que tenho  muito amigo “porreiríssimo* como dizem os delicados portugueses e ainda por cima, ganho presentes que ninguém ganha.

***

Depois de escrever tanto, certamente de forma desnecessária,  passo então aos tidbits, um presente meu para vocês. Claro que nem todos gostam, mas, pelo menos eu tento:-(
***

De George Bernard Shaw, em Saint Joan:

Joan: My voices were right….
Yes: they told me you were fools, and that I was not to listen to your fine words nor trust to your charity. You promised me my life; but you lied. You think that life is nothing but not being stone dead. It is not the bread and water I fear: I can live on bread: when have I asked for more? It is no hardship to drink water if the water be clean. Bread has no sorrow for me, and water no affliction. But to shut me from the light of the sky and sight of fields and flowers; to chain my feet so that I can never again ride with the soldiers nor climb the hills; to make me breathe foul damp darkness, and keep from me everything that brings me back to the love of God when your wickedness and foolishness tempt me to hate Him: all this is worse than the furnace in the Bible that was heated seven times. I could do without my warhorse; I could drag about in a skirt; I could let the banners and the trumpets and the knights and soldiers pass me and leave me behind as they leave the other women, if only I could still hear the wind in the trees, the larks in the sunshine, the young lambs crying through the healthy frost, and the blessed blessed church bells that send my angel voices floating to me on the wind. But without these things I cannot live; and by your wanting to take them away from me, or from any human creature, I know that your counsel is of the devil, and that mine is of God.

***

Thx, C.

Com os animais, vc se importa?

Pessoas queridas (e mesmo as nem tanto ou as que não conheço):

Eu morro de ‘vergonha” (não é bem vergonha, é impotência, é saber que parece que a gente tá meio que fazendo papel de débil mental e no fundo talvez até esteja), mas eu não podia me furtar a fazer  esse post [ (aliás, outro dia mesmo, deixei de fazer um sobre os MÉDICOS SEM FRONTEIRAS) – conhecidos, reconhecidos, Prêmio Nobel e talz… e eles estavam – sempre estão – necessitando muito. Mas eu disse, ah!… eu já faço a minha doação, vou lá chatear as pessoas pelo blog. (Sei, eu sou isso mesmo que voces estão dizendo aí)

Porém, hoje não dá pra passar:=, tudo bem que sou tímida, mas afinal sou uma mulher , uma pessoa, ou uma…u uma o quê?;-)

Pois bem, então leia aqui, por favor.  Se você se interessar, se achar que isso importa, se achar que  você  é importante nem que seja um pouquinho para fazer alguma e tentar modificar a situação, então passe para cá, leia de novo e assine. Se você decidir assinar:-)

Se você não se importar, no problem. Fica tudo numa boa (para você, claro) eu continuo achando que você é maravilhoso  e a vida prossegue no melhor dos hunky-dory (valei-me my Saint David Ziggy Bowie) . Tá bom, assim?

Ou como eu *também* gosto de dizer, tudo bem ficamos no sweet Fanny Adams.

Minha amiga blogueira musicóloga,psicanalista, engraçadíssima e que escreve legal e divertido até dizer chega, acha essas expressões a minha cara. Para ela e para voces, deixo esse presentinho aqui no  link. Um beijo, Camila.

Fiquem bem, felizes. Intex!

MUSSUM FOREVIS

Esta é que é a glóris que honris, elevis, consolis …

e, putz, cacildis..primeiríssimis lugar , no er.. Twitter

Ninguém achava que eu ia deixar passar essa, né? Bem, vou deixar minha contribuição impessoal:

RT mrguavaman Originais do Samba no “Ensaio”, da TV Cultura, em 1972 (http://bit.ly/266Y7F, via @CrisCarriconde). #mussumday

e me despedir como minha ídala Juliana M DJ e blogueira pessoal e intransferívis:-):

Icon_lockagora vou sair e fico offline até [depois de depois de] amanhã, ou de madrugada, o que vier antes. então aos que ficam: negão é teu passádis! happy #mussumday

( não sem antes deixar o clássico dos clássicos: a pinduretis.)

Mais aqui, ecolha.

Fiquem bem e felizes. Intex!

BASIL WOLVERTON: Producer of Preposterous Pictures of Peculiar People who Prowl this Perplexing Planet

É claro que eu sei que não se faz isso aí. O título:-) vocês sabem.
Mas vem cá, diz se dava pra resistir…

Assim sendo, o post já está feito e – como o tempo  agora consome qualquer coisa que não seja leitura e meus médicos nem tão bonitões, deixo para vocês essa meraviglia, l’ottava del mondo:

THE MICHELANGELO OF MAD MAGAZINE

E aqui o SLIDESHOW

the dreamer_Wolverton

Bem,  como disse Holland Cotter:

“If you were a pre-teen in the 1950s and had precocious friends or a with-it dad, it’s a good bet you knew the cartoons of Basil Wolverton, the Michelangelo of Mad magazine, even if you didn’t know his name.”

Ah sim, ele, como todo mundo praticamente, de sua época, ‘o-de-a-va’ as feministas.

(Aliás, qualquer dia faço um post sobre como é mesmo essas história das mulheres anti-feministas (cacilda, tem hífen ou não tem ? ) isto é, as que são e não sabem e juram que mão são:-)

E quem está vendo a série MAD MEN? Anyway, opinião de propagandista, publicitário ou seja lá que nome que se dê  lá pros tais que trabalham em advertising agencies, eu passo:-).  A única exceção que faço é para o Rafael Galvão, porque é o único que não escreve como tal, digo, como sendo:-) Ele, simplesmente, escreve como escritor.  E espero que ele escreva um dia, antes da série pular o tubarão, como fez  com HOUSE.:-), certo Rafaeli? A série já está na 3a. temp.

-0-0-0-0

Fica então o post para todos que apreciam o gênero. Art&Design, graphic novels and so on.

Vas-y, chouette! (UPDATED para Reforma Ortográfica)

anna_paquin

(img src, claro que é a própria HBO)

Seguinte, não percam a menina aí, e tenham um felicíssimo fim de semana.

Na terça eu volto, atendendo a meus próprios pedidos, com uma surpresa meg-ní-fi-ca  para vocês.

Fiquem t(r)emendo, “aquele” personagem vai voltar, está voltando.
Oh- oh!

+~+~+

Uma curiosidade: lendo os blogs portugueses (hahaha) vejo pessoas tããão amadurecidas fazendo (tããão, mas tãão tardiamente protestos_contra a tal unificação da língua portuguesa, que vem a ser Acordo/Unificação/da reforma ortográfica. Esquecem-se de que isso não existe e se existisse, se fosse possível ainda que  uma unificação de falares, e pior ainda das escritas ditas lusófonas; puxa, putzgrilo, tiveram tantos anos para NÃO ASSINAR DOCUMENTOS, para desmascararem acadêmicos, para denunciar patacoadas, enfim,  para tomarem atitudes mais proficientes, eficientes e eficazes  do que reclamar em blogs e quejandos, ou estavam desinformados. A desinformação maior , porém,  é  *NÃO* saber que o Brasil ou melhor, os brasileiros que falam(/escrevem) *brasileiro*, como diria Noel Rosa,  é que jamais se acostumariam ,  se recusariam, terminantemente, a sequer imaginar escrever peúgas ou dizer que que mullher usa cuecas. Ou carregar/puxar/descarregar autoclismo da retrete (pé de pato, mangalô, 3X).  Bom, digo isso, só na base da graça, da gozação leve e sadia pois se levarmos as coisas a sério, aí então, é como aquele samba da Portela…
Enfim, como eu adoro algumas poucas gentes portuguesas, mas que falam mesmo sem conhecer aquilo que criticam,  eu que morro de rir das piadas de “lógica portuguesa” procuro ser serena. Pois não é que soube que a tradução (eles traduzem tudo, né não?  por que mesmo, hein?) do título da série TRUE BLOOD (que é um jogo de palavras, por oposição ao TRU BLOOD) – pois bem a tradução portuguesa é  er…‘SANGUE FRESCO“! Hohoho. Juro. Oh, mentes imediatistas:-)

Como sou boazinha, falei com um dos pontos imaginários da minha operação e disse: “OK, novamente ouviram cantar o galo, mas não sabem  em que sítio. Sem má vontade,  é giro (ou fixe).  Mas vou chamar o Lafayette.

~´~´~´~´

Aaaah! e  falando em  tradução, lembrei.  Eu sou  matka chrzestna (madrinha ) de um dos melhores , digamos o segundo melhor blog artístico  (arte em várias de suas mais  ricas e variadas expressões) que temos na blogosfera: ESTE AQUI. E quem não conhece, desconhece  e por isso não reconhece:-) morre com a boca cheia de que , mesmo?:-))

E me sinto à vontade para dizer isso porque ele é reconhecido internacionalmente, mas o Sub Rosa foi o primeiro a indicá-lo.  (cadê o link, aí afilhado?). E sem contar que o autor do blog, meu guru musical (um dos) é brilhante pianista, toca numa banda irada e  forma, com justiça, ao lado do famoso arquiteto Guga Alayon , (Googala para os mais chegados pouquinha coisa), a Valorosa Dupla dos Reis do Play Word , ops do Word Play. Venha do jeito que vier.=, não tem pra mais  ninguém.:-0)

Preciso de mais? Matka chrzestna, hein? respeitinho comigo:-)

Fiquem bem e à vontade .  Intex!

♣♦♣♣♦♣ ♦   ♣♦♣      ♣♦♣♣♦♣ ♣♦♣   ♣♦♣ ♦   ♣♦♣

AQUI,  podem divertir-se , refletir com o pensam não só Chico e Ruy Castro e o ditoso Professor Pacoale:-)  de  2008, que reproduzi no TEXTOS ESPECIAIS (O Sub Rosa 3). Note-se a preocupação dos escritores brasileiros que querem (claro, claríssimo) ser publicados em Portugal.

E os revisores, como ficam:-). O Marçal Aquino fala um pouquinho.

Recebi muitos emails  (uns 3, uma imensidão) me perguntando se eu só agora lembrei da reforma/acordo,  whatever…

A resposta esta aí.  O Sub Rosa, modestamente, etc. etc.  yadda, yadda, yadda:-)

UM TEXTO TERSO

amor_inventado

Ele voltou!   E como!;-)   Leia lá.

E hoje , em Bon Temps

moyer

Hoje e pelo menos por dez semanas:-)
Vai perder? há!

****
Ah, sim e para dividir com vocês: por sugestão de um grande amigo,  descobri agora – quando já estou quase passando dos100 anos, o poeta A. C. Swinburne.
Olha…, ticontá. Eu sou re/a/trasada mesmo.
O cara é o máximo. Poeta decadente, amigo daqueles pré-rafaelistas todos e talz. Um dos seus roundels, (o correspondente inglês ao rondó (música e literatura), foi musicado por Elgar (o compositor de Pompe and Circumstances… (fala Mirto, aliás, mais pompa que circunstância em Adjani, hein?

Fica então um poema – deveras decadente e muito bonito – do ponto de vista da forma e das rimas, de Swinburne:

Aperotos Eros

Strong as death, and cruel as the grave,
Clothed with cloud and tempest’s blackening breath,
Known of death’s dread self, whom none outbrave,
Strong as death,

Love, brow-bound with anguish for a wreath,
Fierce with pain, a tyrant-hearted slave,
Burns above a world that groans beneath.

Hath not pity power on thee to save,
Love? hath power no pity? Nought he saith,
Answering: blind he walks as wind or wave,
Strong as death

Algernon Charles Swinburne

******    *****   *****

Pronto.  Agora é mesmo torcer por (Bill e)  Sookie. Attagirl, babe!