Čápová e Rossi

Hana ČÁPOVÁ - Renesančni sonety I
Hana ČÁPOVÁ. Renesancní sonety I. 1991, 13 x 19 cm
Clique na imagem: a vida melhora instantaneamente

Cristina Peri Rossi: nasceu em Montevideo, Uruguai, em 12 de novembro de 1941. É a primeira mulher a ganhar o Prêmio Internacional de Poesia Fundação Loewe, em sua XXI edição, com o livro “Play Station”.

R.I.P.

Ese amor murió
sucumbió
está muerto
aniquilado       fenecido
finiquitado
occiso             perecido
obliterado
muerto
sepultado
entonces,
…………………¿porqué late todavía?

“Inmovilidad de los barcos” 1997

Sub Rosa

ORACIÓN

Líbranos, Señor,
de encontrarnos
años después,
con nuestros grandes amores.

“Inmovilidad de los barcos” 1997

Sub Rosa

LAS PALABRAS SON ESPECTROS

Las palabras son espectros
piedras abracadabras
que saltan los sellos
de la memoria antigua

Y los poetas celebran la fiesta
del lenguaje
bajo el peso de la invocación

Los poetas inflaman las hogueras
que iluminan los rostros eternos
de los viejos ídolos

Cuando los sellos saltan
el hombre descubre
la huella de sus antepasados

El futuro es la sombra del pasado
en los rojos rescoldos de un fuego
venido de lejos,
no se sabe de dónde.

“Babel bárbara” 1991

Sub Rosa

DISTANCIA JUSTA

En el amor, y en el boxeo
todo es cuestión de distancia
Si te acercas demasiado me excito
me asusto
me obnubilo          digo tonterías
me echo a temblar
pero si estás lejos
sufro entristezco
me desvelo
y escribo poemas.

“Otra vez eros” 1994

Sub Rosa

DEDICATORIA

La literatura nos separó: todo lo que supe de ti
lo aprendí en los libros
y a lo que faltaba,
yo le puse palabras.

“Evohé” 1971

Sub Rosa

Seu blog: El poema de la semana
Web Oficial: Cristina Peri Rossi
Notícia sobre o prêmio
Mais poemas

Sub Rosa

Eu volto ;-)

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

13 Responses to Čápová e Rossi

  1. marilia disse:

    O “Oración” é tão lindo… e tão verdadeiro!!!!

    Te adoro, meg.

    Fique bem!

  2. léo e só disse:

    oi moça.

    Torcendo e preocupado(sério) pra ver isso ;-) passar para isso ;-D!

    desses sorriso bem largões e cheios de dentes!

    abs

  3. Magaly disse:

    Meg, estou aqui só para constatar que já há post novo. Amanhã estarei em condições de ler tudo. Só assim gosto de fazer um comentário.
    Ainda bem que voltou rápido. A matéria de hoje parece interessante. A julgar pelo que consegui ler, devo gostar muito
    Beijinho e até amanhã, quando lhe mandrei um e-mail. Até lá, querida

  4. Magaly disse:

    Puxa, Meggy, que força de expressão que esta escritora tem! E não só na poesia, li rapidamente excerptos de páginas dela em outras áreas e me pareceu uma escritora de peso. Os poemas são impressionantes, tal a força da linguagem, incisiva, instigante.
    Visitei o blog El Poema de la Semana e gostei muito do poema La Noche, intenso, denso, magistral. Fiquei tão entusiasmada que que deixei lá um comentário em português, claro, que ficou de ser avaliado para publicação. Até aqui, não apareceu. Não tirei cópia e, para variar, nunca consigo reproduzir o que esccrevo. Mas isto não tem a menor importância.

    Mais tarde, mando -lhe um e-mail

    Um beijo.

  5. Yvonne disse:

    Lindona, na próxima segunda publicarei um post e mencionarei o seu blog. Beijcoas

  6. marie tourvel disse:

    Ai, que saudade da minha amiga…
    Ai, que poemas lindos que só aqui tenho oportunidade de ler…
    Espero que esteja bem e espero falar com você o mais rápido possível, querida.
    Um grande beijo!

  7. rose m prado disse:

    Meg

    Todos nós estamos ansiosos pela sua volta e …produção, claro.

  8. Luma disse:

    Meguita, eu entendo pouco o espanhol e mesmo assim fiquei besta com a sonoridade e a forma. Eu sei, a tradução nem sempre é legal! ;) Beijus

  9. ana vidal disse:

    Beijo grande, querida. As melhoras.
    Cá te esperamos, espero que muito brevemente.

  10. Fausto disse:

    Alive and kicking, mas ainda na correria, passo pra deixar o beijo de sempre e antecipar o feliz-natal-e-ano-novo de todo santo ano.

    Com o carinho de sempre,
    Fausto @)–,—–

  11. rose m prado disse:

    Meg

    Não é possível comentar o último post. Não faz o link, deve ser algum tipo de problema.
    Então, comento neste post.

    A tragédia da chuva me levou à tragédia da seca, matéria do livro de Graciliano Ramos que tantos comentaram. Repare que nesta foto que você colocou há uma cachorra, no meio dos restos da chuva, uma outra Baleia. Fabianos molhados, muitos, na afogada seca desta vida.

    Beijos

%d blogueiros gostam disto: