Machado dixit

” – (…)  upõe tu um campo de batatas e duas tribos famintas. As batatas apenas chegam para alimentar uma das tribos, que assim adquire forças para transpor a montanha e ir à outra vertente, onde há batatas em abundância; mas, se as duas tribos dividirem em paz as batatas do campo, não chegam a nutrir-se suficientemente e morrem de inanição.
A paz, nesse caso, é a destruição; a guerra é a conservação. Uma das tribos extermina a outra e recolhe os despojos. Daí a alegria da vitória, os hinos, as aclamações, recompensas públicas e todos os demais efeitos das ações bélicas. Se a  guerra não fosse isso, tais demonstrações não chegariam a dar-se, pelo motivo real de que o homem só comemora e ama o que lhe é aprazível ou vantajoso, e pelo motivo racional de que nenhuma pessoa canoniza uma ação que virtualmente a destrói.
Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas”
(Machado de Assis (1839-1908). In: Quincas Borba, cap VI}

♣♣♣

“Um historiador de nossa língua, creio que João de Barros, põe na boca de um rei bárbaro, algumas palavras mansas, quando os portugueses lhe propunham estabelecer ali ao pé uma fortaleza, dizia o rei que os bons amigos deviam ficar longe uns dos outros, não perto, para se não zangarem como as águas do mar que batiam furiosas no rochedo que eles viam dali.”   In: Dom Casmurro, cap. CXVII)            pisc*

Queria dedicar este post que – claro – é de todos, para o Benedito Cirilo, que nem por eu ter só falado virtualmente com ele há poucos dias, já não lhe dedique uma afeição incipiente por ser amigo de uma das pessoas que mais admiro e de quem gosto neste mundo, o amazing and dearest Guilherme Resstom.

Bem, Machado é todo dia, todo o ano e toda a vida.
Até à  volta. (tem crase ou não tem crase?) pisc*

DIGA…

“…Você me abre seus braços
e a gente faz um país.”

Parabéns!

=-=-=-=-
P.S. irresistível: João = a perfeição existe.

ETEL FROTA, CONSUELO DE PAULA, LUHLI : 3 MULHERES -UPDATED

Ai de quem não for!;-)

Etel Frota, Consuelo de Paula e Luhli

Etel Frota, Consuelo de Paula e Luhli + clique para aumentar

Etel Frota, uma das vozes mais importantes da *autêntica” poesia contemporânea em língua portuguesa. Poeta, é também produtora. Autora dos livros ARTIGO OITAVO e LYRICAS; a construção da canção. É liricista, faz letras de música e une poesia e música…Chique a não mais poder…

*****

mistério e entrega sem entregar-se

mistério e entrega sem entregar-se

Luhli: compositora, cantora, em careira solo, nova grafia de nome (lembram de Luli e Lucina?). Pois é!

Aqui o site oficial de Luhli Aqui, uma palinha da voz, violão e talento de Luhli

Luhli é uma das pioneiras da produção de discos independentes. Você nem vai imaginar quantas músicas você sabe, conhece e gasta e não sabe que é da  diva Luhli ;-)

******

Consuelo de Paula, magnífica cantora, compositora e pesquisadora, repertório ímpar, bastante conhecida de quem lê o Sub Rosa nestes últimos anos. Conhece e canta praticamente todo o folcore do sul até centro-oeste do Brasil, mas precisa vir à Amazônia. Juro. Aqui vou colocar o samba da Portela, do seu CD Samba, Seresta e baião.
Bem na pancada do ganzá:-)

Mas eu vou pedir o borderô, ai de quem for amigo do Sub Rosa e morando ou estando em São Paulo não chegue até lá, no Paiol.:-)
Vai haver barulho no chatô, simplesmente porque você deixou de ver um dos melhores shows de todos os tempos. Repito: chique a não mais poder.

Ah! sim, vale a pena ir depois do show até o camarim da Etel, você fala nela, fala em mim que sou a abelhinha-mor e Generalíssima da Banda dos Fãs da EsTrELada. Pode crer!;-)
Volto daqui a pouco. Voltei.
Consuelo:

ETEL FROTA – Vejam, leiam o que eu já dizia dela. E ouçam. Este é um poema que foi publicado no Sub Rosa em 2002: (clique, por favor)

C I R C A D I A N A

***

Circulam em mim sete humores
sabores, cheiros e cores

Tem um redondo, doce e cor-de-rosa
que sabe cantigas de ninar
sacia-se na pele macia das crianças
dorme pesado
queima-se ao sol, ri de qualquer besteira
é generoso
leite de peito, florada, saúde.

Tem um que é vinagre e fel
Vendetta

Tem um que é muito bem comportado
supermercado, trânsito
bons dias!, gentilezas
me ajuda a ganhar a vida
(trottoir da alma)

Tem um que é pura luxúria
língua, tesão, gemido
(e que fica guardado
numa caixinha de veludo vermelho
no fundo da gaveta
no meio de calcinhas cor de champanhe)

***

Circulam em mim sete humores
mandam em mim, fazem lei.
Uns conheço. Uns se escondem.
Sobre estes uns nada sei.

****

Sonho algas e serpentes.

Tua mão de explorador
Meus lábios entre teus dentes

Sonho então tua língua afoita
Estudando minhas dobras

Sonho lagartos e cobras

Sonho com um orgasmo louco
gemido obsceno e rouco.

Sonho todas as volúpias.

Teu falo, triste e cansado
jaz, inerte, ao meu lado

Do livro: FROTA, Etel- ARTIGO OITAVO ; poesia escrita, falada e cantada . Curitiba, 2002.

Ah! a poeta Etel Frota, voz escrita , falada e cantada da Poesia Brasileira, da mais alta qualidade.

6- I Circadiana / II-Sonho algas e serprentes

Voz – Etel Frota
Baixo elétrico e baixo acústico- Rodolfo Stroeter
Sax soprano – Teco Cardoso

ANTONIO RAMOS ROSA

INCÊNDIO BRANCO

Não, não era o inacessível

na brilhante brisa.

Não, não era o indizível

ou era e tudo se dizia.

Era a vasta planície de amendoeiras

como uma mesa viva. Esplendor absoluto,

presença de uma essência transparência,

terra como oferenda, brancura branca,

torre horizontal, coroa de mil coroas,

alba de nuvens alvas, mar e bosque,

instante absoluto de aparição perfeita

que não treme, fulguração tranqüila,

palácio transparente, constelação da terra,

palavra e fada, joelhos de donzela,

imagem incendiada só pelo branco,

única, toda, amendoeira e fábula,

pétala de mil pétalas, ó sono da inocência!

Antonio Ramos Rosa ( *1924, Portugal)

DAS GRAÇAS. Minha hagiologia particular (I)

Santo Expedito.Obrigada pelas graças

Santo Expedito.Obrigada pelas graças concedidas

SANTO EXPEDITO – ORAÇÃO

Meu Santo Expedito das causas justas e urgentes interceda por mim junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo, socorra-me nesta hora de aflição e desespero, meu Santo Expedito, Vós que sois um Santo guerreiro, Vós que sois o Santo dos aflitos, Vós que sois o Santo dos desesperados, Vós que sois o Santo das causas urgentes, protegei-me. Ajudai-me. Dai-me força, coragem e serenidade. Atendei meu pedido (Fazer o pedido). Meu Santo Expedito! Ajudai-me a superar estas horas difíceis, protegei de todos que possam me prejudicar, protegei minha família, atendei ao meu pedido com urgência. Devolvei-me a paz e a tranqüilidade. Meu Santo Expedito! Serei grato pelo resto de minha vida e levarei seu nome a todos que têm fé.

(Rezar 1 Pai Nosso, 1 Ave Maria e fazer o sinal da cruz)

Prayer to Saint Expedito

Feast April 19. Celebrated every 19

If you have any PROBLEM OF DIFFICULT SOLUTION and need URGENT HELP, ask Saint Expedito for help, who is the saint of businesses that need ready solution and whose invocation is never too late.

Prayer – My Saint Expedito of the just and urgent causes, help me in this hour of distress and despair, intercede for me before Our Lord Jesus Christ! You who are a warrior saint, you who are the saint of the distressed, you who are the saint of the despaired, you who are the saint of the urgent causes, protect me, help me, give me strength, courage and serenity. Heed my request: “Make the request.” Help me to overcome these difficult hours, protect me against all those who can harm me, protect my family, heed my request urgently. Give me back peace and tranquility. I will be grateful for the rest of my life and I will take your name to all those who have faith. Thank you.

Pray 1 Our Father, 1 Hail Mary, and make the sign of the cross.

Prière à Saint Expédit

Bénit soit mon Dieu, mon Protecteur, mon Créateur.
Bénit soient tous les Saints.

Béni soit SAINT EXPEDIT qui soulage les peines,
Qui aide dans les moments difficiles et désespérés,
Qui résous rapidement tous les problèmes.

O Toi, SAINT EXPEDIT que je vénère, que je glorifie.
j’ai besoin de ton aide, de l’harmonie et de la Paix.
Pour agir avec les forces du bien
pour le progrès du monde.

Aide-moi dans ma souffrance SAINT EXPEDIT,
Accorde moi (exposer votre voeux)

MERCI SAINT EXPEDIT
MERCI, MERCI, MERCI

Pour voir la neuvaine correspondant a cette prière, cliquez ici

—— to be continnued;-)

Não riam do fervor da ex-agnóstica e ex-atéia. Cada um sabe o que perde. E  do que necessita. Ah, sim, e do que recupera, mil vezes diferente e milhões de vezes melhor. Ah! o fato de estar em 3 línguas tem sua razão particular.

Clique em more….

Leia mais deste post

Robert Frost

Duchamp, Nude

Duchamp

The Road Not Taken

Two roads diverged in a yellow wood,
And sorry I could not travel both
And be one traveller, long I stood
And looked down one as far as I could.
To where it bent in the undergrowth.

Then took the other, as just as fair,
And having perhaps the better claim,
Because it was grassy and wanted wear,
Though as for that, the passing there
Had worn them really about the same.

And both that morning equally lay
In leaves no step had trodden black.
Oh, I kept the first for another day!
Yet knowing how way leads on to way
I doubted if I should ever come back.

I shall be telling this with a sig
Somewhere ages and ages hence:
Two roads diverged in a wood, and I –
I took the one less travelled by,
And that has made all the difference.

Robert Frost, 1915

Jean, santa, diana, caçadora

diana a caçadora solitária

“Não tentarei descrevê-la. Era indescritível. Era uma incitação, uma dádiva, uma loucura. A qualidade das rendas e das sedas, a maneira de se entrelaçarem, o modo de se abrir e se fechar, revelar e ocultar, imitar e transformar, parecer-se e desaparecer, tudo isso contrastava maravilhosamente com aquela simplicidade guerreira, andrógina de que já falei: Diana, a santa combatente, Diana, a gamine parisiense. Censurei-me. Ela odiava essa palavra. Désolé.”

FUENTES, Carlos.   (v. o site do escritor)
In: Diana [ou] a Caçadora Solitária.
sobre o seu romance com a atriz Jean Seberg.
*****
“Em 1957, após ser escolhida entre 18 mil candidatas, Jean Seberg – na época com 17 anos – estreava no cinema interpretando Joana D’arc, em Saint Joan, dirigido por Otto Preminger.
Dois anos depois, protagonizou Acossado, de Jean-Luc Goddard, tornando-se um mito da década de 60. Aí foi “aquela coisa que todo mundo sabe;-) até hoje.

Considerada a primeira estrela desglamurizada do eixo Paris-Hollywood – pequena, cabelos curtos e ar despojado –, ela tornou-se ativista de causas populares, ligada aos Panteras Negras americanos.

Foi no reveillon de 1969 que Jean Seberg e Carlos Fuentes se conheceram. Ele com 41 anos e ela com 30, filmando no México. A partir de então segue-se um tórrido romance que não durou mais de três meses, mas foi o bastante para marcar profundamente o escritor. Até o lançamento do livro, quase ninguém sabia da história. Carlos Fuentes conta desde a noite em que a conheceu até o dia em que ela foi encontrada, em 1979, dentro de um carro, numa viela de Paris, duas semanas após sua morte.

Algumas passagens são reveladoras, como a campanha de desmoralização movida pelo FBI, divulgando durante sua segunda gravidez que o pai da criança seria negro – fato inverídico que a abalou e resultou num aborto espontâneo. Um ano após a morte de Seberg, em 1980, o FBI rendeu-lhe homenagem póstuma, admitindo que a caluniara dez anos antes como parte de um programa de contra-inteligência. E comprometeu-se, a partir de então, a não mais utilizar a calúnia e nem combater os ativistas de movimentos populares.

O insólito encontro de Fuentes com Romain Gary (o marido), após a morte da atriz, num labirinto do jardim de um palácio europeu, traz à tona um diálogo duro e cruel, recheado de machismo e humor negro.”

Da edição brasileira do livro pela Editora Rocco.