Oliverio Girondo – Poema 12

L. Kepinska

L. Kepinska

Poema 12

Se miran, se presienten, se desean,
se acarician, se besan, se desnudan,
se respiran, se acuestan, se olfatean,
se penetran, se chupan, se demudan,
se adormecen, despiertan, se iluminan,
se codician, se palpan, se fascinan,
se mastican, se gustan, se babean,
se confunden, se acoplan, se disgregan,
se aletargan, fallecen, se reintegran,
se distienden, se enarcan, se menean,
se retuercen, se estiran, se caldean,
se estrangulan, se aprietan, se estremecen,
se tantean, se juntan, desfallecen,
se repelen, se enervan, se apetecen,
se acometen, se enlazan, se entrechocan,
se agazapan, se apresan, se dislocan,
se perforan, se incrustan, se acribillan,
se desmayan, reviven, resplandecen,
se contemplan, se inflaman, se enloquecen,
se derriten, se sueldan, se calcinan,
se desgarran, se muerden, se asesinan,
resucitan, se buscan, se refriegan,
se rehuyen, se evaden y se entregan.

Oliverio Girondo in “Espantapájaros“. ( 1932 ).
assinatura
Oliverio GIRONDO – Argentina ( 1891-1967 ) .
*****

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

8 Responses to Oliverio Girondo – Poema 12

  1. Si, que me gusta :)
    Beijinho, Meg

    =-=-=
    Este era o espírito da coisa;-)))
    beijinhos, Cristina

  2. Nossa! Me deu um calor súbito! O que será?

    =-=-=-=-=

    MIRTO RIBERO DE DIÓS!!!!!!
    Você por aqui, amigo querido e ausente (como no poema de Woodsworth)?
    O que será, a causa desses calores…? Súbitos? Hahahah
    Bem, que tal:

    O que será, que me dá
    Que todos os meu nervos estão a rogar
    E todos os meus órgãos estão a clamar
    E uma aflição medonha me faz implorar
    O que não tem vergonha, nem nunca terá
    O que não tem governo, nem nunca terá
    O que não tem juízo

    O que será que lhe dá
    O que será meu nego, será que lhe dá
    Que não lhe dá sossego, será que lhe dá
    Será que o meu chamego quer me judiar
    Será que isso são horas dele vadiar
    Será que passa fora o resto da dia
    Será que foi-se embora em má companhia
    Será que essa criança quer me agoniar
    Será que não se cansa de desafiar
    O que não tem descanso, nem nunca terá
    O que não tem cansaço, nem nunca terá
    O que não tem limite

    O que será que será
    Que dá dentro da gente, que não devia
    Que desacata a gente, que é revelia
    Que é feito uma aguardente que não sacia
    Que é feito estar doente de um folia
    Que nem dez mandamentos vão conciliar
    Nem todos os unguentos vão aliviar
    Nem todos os quebrantos, toda alquimia
    E nem todos os santos, será que será
    O que não tem governo, nem nunca terá
    O que não tem vergonha, nem nunca terá
    O que não tem juízo

    Hahaha, note bem, essa é a versão do filme, não (NÃO) é a versão política.
    Beijos e saudades.

  3. Meg, dear

    A chicólatra agradece: pela música e pelo poema!!

    beijos e beijos

    =-=-=-=
    Como eu disse para a Cristina (fosse no Brasil e já a estaríamos chamando de Cris, era ou não era, Marilia

    beijos

    Meglyn?;-)

  4. av disse:

    Sumptuoso, Meggy! (e voluptuoso, também…)

    Beijos

    =-=-=-=

    Não é , minha Poeta querida?

    E grande figura, muito , muito importante no cenário argentino.
    Uma pena essa separação absurda do Brasil com a América Latina, tudo por causa da língua (idioma).
    Aliás vou até fazer uma indicação de um artigo de um grande amigo meu.

    Mas Girondo escreveu livros belíssimos e importantes e teve ampla participação na vida pública e política de seu páis.

    beijos, muitos beijos

    P.S Importantíssimo: Y donde está nuestro mui grande Amigo El Señor Réprobo?
    Me quedé en su olvido? o((((
    .

  5. Ateu Dispor disse:

    isto não se faz com uns gajos a perigo

    Kepinska de imagem!

    =-=-=-=-=-=-=-=

    QUA*QUA*RA*QUA*QUÁ!!!!!!
    Olha, se é você que está elogiando a imagem, eu fico TRIPLAMENTE feliz.

    Quanto à provocação, só pra incementar leia a letra do Chico, um gajo perigote, tipo o Zé Bonitinho, que eu deixei por Mirto.

    E livre-se já dessa condição;-)
    Beijo.

  6. A voz da Maria Rita tem tanto da da Elis…

    Ahá!!!!!!!!

    Molto bene!
    Obrigada fico eu por esse comentário gosto muito da letra e de praticamente todas as interpretações, incluindo aí a da Cyda Moreyra, que é um diava brasileira que por ser brasileira, claro, não é conhecida e aclamada.

    Mas a Maria Rita está perfeita aqui.
    Imagine, Cristina, que aqui a moça (que não gosto tanto como cantora, mas por outros motivos) é vilipendiada por ter a voz da mãe.
    Oh my gosh, será que eles já ouviram alguma vez falar de genética?
    Tsc.. tsc..tsc…

  7. Putz!!!!!
    Hoje a coisa está animada por aqui.
    6 (SEIS) comentários!!!!!
    ;-)))
    É a glória!
    Mas são de excelentes e queridos amigos.
    Volto, já , já para comentar.
    Beijos aos queridos.
    M.

  8. O Réprobo disse:

    Querida Meguxa,
    como se diz “fundem-se” em Castelhano? No sentido do que se faz aos metais, não no do percalço das lâmpadas, embora, depois de tanto esforço, haja um certo risco!…
    Beijinho grato

    =-=-=
    Querido Amigo:
    Sou fraquíssima nas línguas de Castella, mas podíamos experimentar “mezclam-se”.
    Sei que é pobre mas antes isso que menos que isso, não é?

    Estou com dores fortes, assim que melhorar passo por lá, está bem?
    Mas isto o Amigo já sabe, ainda que não pase, por favor não me da a punicção de Sua Ausência.
    Obrigada, pela generosidade suprema.
    Beijinho
    Meg

%d blogueiros gostam disto: