Deslumbramentos – Cesário Verde

Mylady é perigoso contemplá-la
Quando passa aromática e normal,
Com seu tipo tão nobre e tão de sala,
Com seus gestos de neve e de metal.

Sem que nisso a desgoste ou desenfade,
Quantas vezes, seguindo-lhe as passadas,
Eu vejo-a, com real solenidade,
Ir impondo toilettes complicadas!…

Em si tudo me atrai como um tesoiro:
O seu ar pensativo e senhoril,
A sua voz que tem um timbre de oiro
E o seu nevado e lúcido perfil!

Ah! Como me estonteia e me fascina…
E é, na graça distinta do seu porte,
Como a Moda supérflua e feminina,
E tão alta e serena como a Morte!…

Eu ontem encontrei-a, quando vinha,
Britânica, e fazendo-me assombrar;
Grande dama fatal, sempre sozinha,
E com a firmeza e música no andar!

O seu olhar possui, num jogo ardente,
Um arcanjo e um demónio a iluminá-lo;
Como um florete, fere agudamente,
E afaga como o pêlo dum regalo!

Pois bem! Conserve o gelo por esposo,
E mostre, se eu beijar-lhe as brancas mãos,
O modo diplomático e orgulhoso
Que Ana de Áustria mostrava aos cortesãos.

E enfim prossiga altiva como a Fama,
Sem sorrisos, dramática, cortante;
Que eu procuro fundir na minha chama
Seu ermo coração, como a um brilhante.

Mas cuidado, mylady, não se afoite,
Que hão-de acabar os bárbaros reais,
E os povos humilhados, pela noite,
Para a vingança aguçam os punhais.

E um dia, ó flor de Luxo, nas estradas,
Sob o cetim do Azul e as andorinhas,
Eu hei-de ver errar, alucinadas,
E arrastando farrapos – as rainhas!

Cesário Verde
(1855-1886)

(*) Um poeta que influencia Fernando Pessoa, segundo Fernando Pessoa.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

14 Responses to Deslumbramentos – Cesário Verde

  1. marie tourvel disse:

    Acordar com um poema desses já seria motivo suficiente para começar bem o dia. Mas passar pelo Subrosa da minha querida amiga Megleen é uma alegria ainda maior. Hoje teremos um dia maravilhoso, Megleen, tenho certeza. Bom dia, querida e obrigada por tuuuuuuuuuudo. Beijos

  2. James Emanuel disse:

    Lindo.

    Mais uma bela lembrança.

    Um abraço.


  3. OI, Marie querida,
    Hoje coloquei um Poeta. Importantíssimo, que conseguiu captar o Sentimento de um Ocidental, um verdadeiro clássico. De fato , Cesário para quem ver é perceber o que se esconde na realidade
    amplia esse real para o humano.

    Eainda neste é possível ver a influência de Baudelaire, que ele mais tarde deixaria.

    Eu amo Cesário Verde que me foi apresentado pela professora Leyla Perrone-Moisés.

    E o coloquei hoje por um motivo especial: talvez para homenagear o nascimento de outro Poeta.

    De fato o blog nos dá alegrias que nem suspeitamos.
    E obrigada querida pela sua presença. Estarei logo, logo indo lá.
    Muitos beijos
    Megleen.


  4. James, eu concordo com você.
    Este poema é belo. Uma composição perfeita.
    Mas queria que alguém me explicasse o que significa:
    Quando passa aromática e *normal*?

    E como sei que é aplicado, que tal um post seu com citações do Cesário?
    Ele tem muitas , era um rigoroso observador que depois iria traçar uma cartografia poética da cidade.

    Eacabo de observar que cometi um erro de datas , ali acima.
    Vou corrigir.
    Ah! Monterosso ficará para a próxima semana, nessa teremos dois aniversários.
    Um beijo
    M.

  5. Shi disse:

    A senhora volta com força ao blog e não avisa NADA – im=-per-do-á-vel!! Ainda bem que eu sou teimosa… rs
    Menina, num entendo muito de poesia não, mas gostei da imagem criada pelo poeta – especialmente a última! rs. O homem lia mãos, é isso? :-| Bjão, querida Super-Meg, coisa boa ver vc de novo na ativa, visse? E bom finde! :-D

    =-=-=-=-=

    Não voltei com força, voltei devarinho, Shizinha querida.
    Hahahaha!!!!!!!
    Tens muita razão, querida. Isso é que adoro em toda boa Pesia: ela permite leituras até de mão.

    brincadeirinha…., mas realmente ele está prevendo um futuro amargo para ela. A não ser que….

    beijinhos, querida. Feliz por estar aqui.
    E uma semana deliciosa pra você.
    Meguita

  6. L-I-N-D-O.
    Precisa dizer mais??

    =-=-=-=
    Não, precisar não precisa:-)))
    Mas.. se quiser dizer, diga, pois sempre admiro o que você diz.

    beijos, querida

  7. av disse:

    Cesário Verde… que coisa boa vir lê-lo aqui!
    Beijinhos, miúda.
    (obrigada pelo mail…)

    =-=-=-=
    Querida, desculpa a demora.
    Vamos esperar que tudo suceda bem, segundo o *fluxO* como dizia aquele personagem de Modesty Blaise.

    Não há como não dar, certo?
    ;-)
    beijos
    Meguita

  8. Epigrama. (a um acadêmico da Escola Médico-Cirúrgica do Pôrto) Gonçalves Dias, 1 d’outubro de 1844

    Olha, doutor, a poesia
    É donzela melidrosa
    Que aborrece a mal cheirosa
    – A nojenta anatomia.

    =-=-=-=-=
    Eêêê~hhh! Fernando, venha mais vezes por aqui, está bem?
    O nosso Eduardo está em terras portuguesas, não é?

    Ah! maravilhoso o epigrama. Embora , para ser sincera, não tenha entendido direito.
    beijos e uma feliz semana
    Meg.

  9. Nelsinho disse:

    Eu gosto do termo e uso, mesmo reconhecendo como é difícil determinar exatamente o que é ser-se “Normal” . Afinal, segundo Cae, de perto ninguém é!

    Engraçado que esse poema de Cesário sempre me arrasta, sem que eu resista, para “Os três Mosqueteiros”, cuja edição original (três volumes), eu li ad nauseam nos meus teen.

    Um beijo

    =-=-=-=
    Nelsinho, querido

    Pois então? É por isso mesmo.
    Acho que agora, então percebi. O *normal* aí é uma crítica ou uma ironia, talvez, não é?

    É minha mania de fazer insicões para examinar partes do Poema.
    Eu faço isso, lembra?
    E foi bom, pois vc respondeu and I think I’ve got it!)
    Ah! Nos meus tempos de eu-menina, lia sabe o quê?..(atenção..uma confissão): O Conde de Montecristo).
    Sempre adorei histórias de quem dá a volta por cima.;-)

    Três Mosqueteiros ( que na realidade eram quatro hahahha) li depois. Era grandão sim.
    Beijos , querido . Um especial para Helena.
    Meguita

  10. Cesário… tanto em tão pouco tempo! Parabéns pela evocação, Meg! Beijos…

    =-=-=-=
    Caro Huck, só hoje, manhã de 9 de julho, estou a responder.
    Obrigada pela visita, e sim, concocordo com o que diz, tenho sempre que posso, lido sobre Cesário.
    Encanta-me ver como mudou, como passou de um nível que já era bom, para um dos melhores poetas da geografia , da topologia de uma cidade, que se rflete no olhar e no sentmento de seu povo.
    Um beijo, e desculpe as “bócas”;-)

    Meg

  11. Penso, que a ‘” nojenta anatomia'” é o querer buscar o entendimento de tudo. Em poesia só aborrece a donzela melindrosa.
    f.

  12. Sofia disse:

    Desculpa a ausência!

    Mas o retorno ‘deslumbrou-me’.

    Sou fã de Cesário Verde. Foi, em parte, António Ramos Rosa que me ensinou a descobri-lo, pelo menos numa perspectiva diferente daquela que me ensinaram no liceu. Foi um amor trabalhado, mas valeu a pena, porque Cesário merece ser estudado!

    Gosto da simplicidade da sua poesia, das metáforas atentas e dos verdadeiros quadros que constrói nos seus poemas! Gosto da sua transformação e recriação do real… é sublime! Um dia destes também o ponho lá no Cais!

    beijinhos

    =-=-=-
    Minha querida Sofia, que bom vê-la por aqui. Volte, sempre, venha o mais que possa.

    Estou com tanto atraso respondendo e creio que foi exatamente isto que é mais ou menos por aí o que dizer na resposta ao seu Huck:-).

    E, mesmo gostando muito de Antonio Ramos Rosa (bela idéia para um post) eu encantei-me com a revelação de Pessoa, de que ele era influenciado por Cesário.
    Isso é maravilhoso.

    Beijinhos

  13. Sofia disse:

    Eu achava que tinha comentado isto… devo estar a ficar senil!

    Desculpa a ausência minha, mas estou de volta.

    Tenho uma paixão enorme por Cesário Verde, apreendida pelas palavras de Ramos Rosa. A beleza da simplicidade, da observação e da recriação. Perfeita inspiração!

    Gostei de ler este poema aqui!

    beijo grande

  14. Sofia disse:

    LOL afinal tinha ficado, mas eu não vi! Perda-me os disparates, a minha cabeça anda meia avariada!

    beijos


    =-=-=-=
    LOL….
    Foi bom, loorque veio aqui outra vez.

    E siparates se os há, deve ser por ótima razão LOL.
    beijos aos dois.
    Meg

%d blogueiros gostam disto: