PAULO MENDES CAMPOS (II) – UPDATED

Partilhamos (o Dudi Maia Rosa, o João Antônio Bührer, e eu ) uma tese: a de que o escritor mineiro PAULO MENDES CAMPOS (um dos quatro mineiros do Encontro Marcado) foi o primeiro blogueiro brasileiro. Publicado! hohoho
Eu sempre vivo prometendo sem cumprir:-( re-publicar coisas do Paulo Mendes Campos e sei muito dele, por causa do meu querido blogueiro de estima e eleição, o JOÃO ANTÔNIO BÜHRER; que me envia coisas maravilhosas sobre a Marilyn Monroe, claro, sobre HQ, discos, resgates de revistas, editoria, – ele é editor, e sobre o PMC e não só.

Hoje eu queria publicar uma coletânea de alguns dos livros do escritor, tradutor, cronista, poeta.
E para facilitar minha vida, o próprio Paulo escreveu a sua autobiografia. É uma autobiografia que é ao mesmo tempo um “Zeitgeist” (depois publico, ou acho até que já publiquei, isto é, transcrevi.)

Nao sei vocês, mas eu acho que Paulo sempre foi muito na dele e visceralmente diferente dos demais.
Eu acho, pode ser apenas impressão, que o Brasil não faz justiça a Paulo Mendes Campos que é praticamente desconhecido, fora dos meios literários e adjacências.
:o(
É ou não é?
Então eu resolvi transcrever, um exercício de estilo à maneira de Queneau.
É essa maravilha:
A MARQUESA SAIU ÀS CINCO HORAS

“Paul Valéry, com seu horror à vulgaridade literária, dizia-se incapaz de escrever um romance por não possuir a coragem de redigir uma frase como esta: A marquesa saiu às cinco horas.
Pois se dá que neste momento, em crise de frivolidade, fico pensando nas inúmeras maneiras de descrever um episódio tão banal. Tais como:

*********
* A marquesa talvez tenha saído às oito horas, talvez um pouco antes, talvez um pouco depois, talvez nem tenha saído. Eu pelo menos nem a vi (Tipo mineiro, à la José Maria de Alkmin)

* Ninguém poderia jurar que a marquesa saiu às cinco horas (Tipo agnóstico)

* Se a marquesa saiu às cinco horas, às cinco horas, logicamente, a marquesa não devia estar em casa. (T. policial carioca)

* Teria realmente a marquesa saído às cinco horas? (Cético)

* A marquesa, ô lá lá, saiu às às cinco horas (T. Pichador)

* A marquequequesa sasaiu às cicinco horas (Nervoso)

* Madame la Marquise est sortie à cinq heures (T. francófilo)

* A maphyeza saiu cay ac cihko gopac (Criptografico primário)

* Se a marquesa saiu às cinco horas devia estar ligada a movimentos subversivos (DOPS)

* A MARQUESA SAIU ÀS CINCO HORAS ! (Manchete de vespertino)

* A Marquesa deu a saída às cinco horas ( Repórter esportivo)

* Por que a marquesa saiu às cinco horas? (Marquês)

* A marquesa saiu at five o’ clock (Colunista social)

* A marquesa saiu às cinco en punto de la tarde (Associativo)

* A marquesa saiu , sem a mudança, às cinco horas. (Dono de transporte de móveis)

* A marquesa saiu às cinco horas, mas eu não fui. (Mitômano)

* A marquesa por cima saiu por baixo às cinco horas por cima (Débil mental)

*A-pa marpaquepesapa sapaiupiu aspas cinpincopo hoporaspas (Pueril)

* A marquesa saiu às cinco horas. Uma pouca vergonha. (Ressentido)

* A Msa. saiu às 5 (Sintético)

* Venho pela presente declarar, a quem interessar possa, que a marquesa saiu às cinco horas (Comercial)

* A marquesa saiu às cinco horas na tarde azul rumando ao Sul no barco em flor do meu amor (Bossa nova)

* A marquesa saiu às cincos horas gozando o favor do preceito constitucional que lhe assegura o direito de ir e vir (Bacharelesco)

* A marquesa tá um pavor, minha filha, saiu às cinco horas (Uma Amiga da Marquesa)

* A marquesa saiu às cinco horas como um raio de sol belo e terrível (Augusto Frederico Schmidt)

* &%$#%$@*%$§#%5&*§§£³ (Henry Miller)

* A marquesa saiu às cinco horas lançando pianos na tarde (Murilo Mendes)

* A marquesa saiu às cinco horas, mas posso garantir que aqui na casa do velho Braga ela não esteve .(Rubem Braga)

* Quando soube que a marquesa tinha saído às cinco horas, a macróbia de Boca do Mato me telefonou para dizer: “Essa bruaca já estava sobre a borocochô no baile da Ilha Fiscal” (Stanislaw Ponte Preta)

* A Marquesa! Saiu! Às cinco horas! Ba-ta-ta! (Nelson Rodrigues)

* Eu jamais escreveria: A marquesa saiu às cinco da tarde (Paul Valéry)

* A marquesinha, que gracinha, saiu às cinco horas (Vinicinho de Moraesinho)

* Salve a marquesa/ real turquesa do Brasil/ do Brasil do céu de anil /que saiu às cinco horas /de reco-reco e tamborim/ ai de miiiiiiim ( Escola de Samba)

****

CAMPOS. Paulo Mendes. O colunista do morro. Rio, Editora do Autor. 1965

========
Você quer continuar? Estão todos convidados, hahahah, ah! vamos nessa? Vai?;-) pisc*

Pode deixar, obviamente, aí nos comentários;-) E eu claro, publico aqui.

Pra incentivar começo eu mesma, nós duas:

**”A marquesa , tão querida, aquela maravilhosa criatura, muito sabiamente e após muita reflexão, decidiu sair às 5 (cinco) horas da tarde. Ora, quem pode negar, que essa fantástica mulher estava exercendo corajosamente o seu inalienável direito de pensar, escolher, decidir e finalmente, mostrar a autonomia que tem sobre suas decisões…Viva a marquesa e mil beijos para ela. Hohoho! (Meg – Sub Rosa, blogueira prolixa, encomiástica e muito meiga, tadinha…. hohoho)

Agora, você;-)))

UPDATE:

Meninos e meninas:-)))
Este blog é vosso – (sim, tenho que falar assim, porque – respeitinho comigo – o blog voltou a ser transatlântico, mas quem diria, não é? O que é a vida hohoho?
Ó tempora ó mores!!!!
Mas queridos, vim só pra dizer que não contem comigo. Prossigam se for o caso. Não o sendo, aguardem-me que neste final de semana farei o que é devido e se impõe: tal como o Ery Roberto, eu colocarei tudo, tudinho num outro post à laia de continuação. Afinal a marquesa merece e os marqueseiros mais ainda. hohoho!
Quero agradecer à queridíssima Ana Vidal e seus amabilíssimos leitores (não sei o que me deu, pois não sou dada a usar superlativos;-))) –
De facto, Rose, como falar em melhor ou melhores quando todos estão excelentes.
Embora , de coração eu destaque a do PedroSBotelho -o do PSB!!!!;-)))) -sigam o link.
Este gajo é porreiro, é tiro certeiro! Fiquei a chorar de tanto rir, “dar corda aos sapatos” é demais:-))))
Todos , todos os meus amigos foram maravilhosos. Finos, fantásticos e outros efes. Gugala, Gugalus;-) vc se superou… e eu agradeço. Antes de ir ao ponto final, quero agradecer a Teresa, uma lady graciosa – cheia de graça- que conta histórias idem e que me lembrou do que gosto -O meu querido Eça, n’OS Maias. E não só.

O ponto final é agradecer a todos que superaram as minhas expectativas, nuca as tenho – é bom dizer. Obrigada, obrigada aos que vieram, embora eu não tenha podido nesses meses ser constante nas visitas, mas a essência do blog é essa mesma nem tanta reciprocidade e nenhuma retaliação. Ops… estou quase a imbuir-me do espírito de tristeza e mal estar que me causam essas coisas mal paradas entre a Espanha e o Brasil… Que coisa, mas se nem entre pessoas que se conhecem não há generosidade… como esperar que haja em âmbito mais geral.? Sim, estou chateada. Nem Bob Dylan consegue me acalmar… Apetece-me ler novamente o Canto de Inês de Castro… o((( “Põe-me onde se use toda a feridade/Entre leões e tigres e verei/Se neles achar posso a piedade/Que entre peitos humanos não achei/”

Ah ! Marie e Rose nem me falem do Ruy, o homem que sabe DJAVANÊS;-)… Sim, ele é o maior, o maioríssimo, gênio, realmente gênio, mas ele deixou de gostar de mim. Mas eu gosto dele mesmo assim… Buááááá´!

Bem,, queridos, agora tanto o computador e sua dona vão para revisão neste final de semana
Já disse que (v)os amo?;-)
E falando em amor: Parabéns para minha adorável Amiga MAGALY CAMPELO DE MAGALHÃES !
E para que não haja dúvidas: Vocês AR-RE-BEN-TA-RAM! Iuhuuu!

Cuidem de tudo por aqui, por favor, sim? A casa é de todos. Sempre. Sintam=se à vontade, vocês sabem…;-)

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

60 Responses to PAULO MENDES CAMPOS (II) – UPDATED

  1. Já participei desse chamamento, há tempos – foi Vossuncê que havia conclamado?

    Em todo caso, segue outra:

    Às cinco horas, saiu marquesa (édito durante o Regime do Terror)

    pocalunkinhos

  2. marie tourvel disse:

    Vamos lá, Meglyn.
    “A empregada da Marquesa estava ouvindo um belo Odair José no radinho de pilha: “Eu vou tirar você deste lugar”, quando a patroa a chama: Suzineeeeete, tô saindo. E lá se foi a Marquesa às 5 pro bailão pra dançar ao som do Wando.” (Estilo Marie Tourvel)


  3. Hahahaha…

    Foi sim, eu digo mas quase ninguém acredita que os meus posts estão sendo re-pu-bli-ca-dos:-)))

    Você fez uma versão genial.
    Autoriza que eu coloque aqui as duas?
    Lá você fazia uma very, very existencialista;_)
    Se dedixar, digao que eu coloco logo pela manhã.;-)

    Wow, essa aqui, hein? Uia! que meda!
    beijos, afilhado querido. E merci, merci….
    Madrinha.

    P.S. Só estou esperando pra ver se a nossa querida Marie Tourvel, vem ou não vem;-). E o povo todo, néam?
    hohoho.

  4. Você, Marie!!!!, muitcho bem;-))))
    Mandou bem, vou passar pra lá pra cima… Gostei.
    Só queria saber como é o estilo Marie Tourvel: pensei que ia sair Yeats;-)

    Mas Odair José é muitchooo bom!
    beijos, querida.

    Pessoais, sintam-se à vontade para criticar o meu estilo;-)))
    Como diz a Marie: Maltratem;-)

  5. c’óf c’óf course que pode republicar, afinal tantas cabeças não iriam rolar à toa, né?

    e ainda mais porque fiquei curioso de lembrar a anterior.

  6. marie tourvel disse:

    Se eu fizesse ao estilo Yeats não seria a Marie Tourvel, mas sim, meu alter ego. Deixa o Odair José e o Wando mesmo…

  7. Professora da Semiótica da Puc

    Temos a presença da Internextualidade e também a primeiridade pierceana, quando trafegamos pela modernidade , flertando assim com as flotilhas malarmaicas , poundianas e, também !com o signo , por que não? o quali e ,mui digno, signo. Em ” marquesa saiu às cinco horas”, há o dialogismo do narrador personagem, o tempo, o qual em instantes verbivoco ( Ler meu livro, lançado pela editora do Cogeae. “Onde anda a onda de Haroldo?” – um excerto design literário e por que não? culinário, já que um signo envolve os órgãos todos do humano e também daquilo oculto”
    Tem-se que Baccthin, oculto, trafega e flerta ( sim o flerte existencial e materializado em signos palpáveis) com o tempo, no tempo e para o tempo. Tempo que pára engendrando a epifania (que também flerta com “O Búfalo”, de Cl. Lispector. O tempo, a Marquesa e a impossibilidade do ódio, nessas contemporaneidades dum texto que contempla autores como Domenico di Mazzi, em “O Ócio Criativo”.
    Fica evidente que , no ócio , toda a epifania clariceana vislumbra e atravessa num esgar a narrativa que, assim como um bailarina em pas-de-deux alça ao ar a Marquesa, sustentando-a em criaçoes que funcionam tal qual orgasmos múltimos, que também dialogam com o qualissigno pierceano , engendrando para o leitor a sedundidade que, febril caminhará paraa terceiridade, onde a Marquesa surge numa linguagem pictórica . O eme (m) de Marquesa delineiam suas pernas abertas, envolvendo o tempo que é o ponto G. Este que flerta com o dialogismo das flotilhas não só de Lispector mas também da Sousândrade.Este que coaduna com a criação, fechando o tempum, usando seu chapéu, símbolo fálico,marcando assim a presença freudiana ; Lacan também comparece, embora, não cobre nada à Marquesa que, num exato divã, ouve que sua analista que o tempo acabou.
    Cabe assinalar a cumplicidade da narrativa com o flerte que capta as sonoridades: o som esa em associação densa e em primeiridade capta o Guesa Errante .

  8. Pela primeira vez na história do Brasil , a marquesa saiu às cinco horas, porque, hoje, neste país, ninguém dá mole pra marquesa. A marquesa trabalha duro, minha gente. E pessimista nenhum vai dizer que a marquesa não faz parte do meu governo.

  9. Rose’s Management

    Conduzir o projeto ( tempo sobre marquesa) à linha de base é mudança de prioridades ou aumento de escopo. Aprenda como avaliar porque um projeto tornou-se problemático. Você investiu na marquesa, mas ela pode não ter dado o retorno sonhado. O fato de uma marquesa sair ,às 5 horas, não é solução para o mundo corporativo.
    Descubra como desenvolver, negociar e implementar uma solução que economize tempo, dinheiro . Acorde a marquesa mais cedo ainda. Alocação de recursos também é solução.
    Administradores, coordenadores e líderes de equipes que vão estar atuando, direta ou indiretamente, com sua empresa, seja ela marquesa, senhora, namorada. Otizando recursos e colaborando para o todo assim feito um todo vamos estar estabelecendo a sua inserção no mercado, com ou sem! a marquesa.

    Custo do curso “Otimizando e intimidando a marquesa” 3000 reais ( pagos no cartão corporativo ou outros). NÃO PERCA TEMPO. UMA MARQUESA QUE SAI TODO DIA PODE PROVOCAR BOLHAS NO SISTEMA CAPITALISTA.

    Custo:

    O custo é de R$ 300,00. Pagamento à vista ou em 02 parcelas de R$150,00 no cartão de crédito Visa.
    Nesse valor estão inclusos: estacionamento, lanche, material didático, certificado de participação com direito a 4 PDUs.

  10. aliki disse:

    O Wolfgang embarcou hoje! On dirait un message codé de la BBC à la Résistance ! Résistons donc. Foi registrado…
    E eu acho que a marquesa saiu foi às 5 da matina, pé ante pé e farta de tanta farra.

  11. Sá Megui

    Sinhá discurpi qui disagerei. Condo cumessu co lápisi disageru. Maisi a tar dona Marquesa cordanu cedo – co galu cantanu – midexinfezada, purque trabaio prela.
    Oje raiô cumigo, jogô us copu nus chaum. Quebrô uninol. Puriso garrei nesse brogui pra morde desaferventá u ispritu.
    Sardassaum a tudu mundu deci brogui

  12. Juliana (marques, não marquesa;)) disse:

    Cinco da tarde, hora estranha. Até a marquesa, sem dar explicação do porquê de tal decisão, saiu.;)

  13. Celia disse:

    Beleza, Meguita:
    Lá vai o meu:

    “A markz se mandoh as 5hs naum sei pq, vei. Vai ver entrou numas, o markz q se cuide, vei. (Garotão com culpa no cartório)

  14. Orlando disse:

    Se saiu, ninguém sabe ninguém viu, mas as inimigas da marquesa juram que ela saiu, como era seu costume de uns tempos pra cá, ás cinco. Vá saber se foi da manhã ou se foi da tarde (Testemunha ocular)

    Valeu, Meguita, fica logo boa.
    Beijos

  15. Ery Roberto disse:

    Roberto e Erasmo Carlos, juntos, diriam: “Se chorou ou se sorriu, o importante é que a Marquesa saiu…”.

    // Sou amarrado em teus posts quando resolves falar de monstros sagrados como o querido Paulo Mendes Campos. E concordo: O Brasil ainda não reconheceu o Paulo em toda sua plenitude.

    Voltando à Marquesa.
    Se 5:00 A.M.: “A Marquesa está chegando, mas finge que é saída”.
    Se 5:00 P.M.: “A Marquesa saiu e o Marquês foi visto tomando catuaba.”

    Beijão, Meg.

  16. Fabio disse:

    Faço parte do Brasil que ainda não conhece Paulo Mendes Campos. Mas agora anotei e vou atrás. Sempre pesco boas indicações por aqui. O seu blog é ótimo, preciso acompanhar sempre.

    (Se você quiser se aprofundar no mundo do Heinlein, eu mando para o endereço que você indicar uns arquivinhos com os livros.)

    Quanto à marquesa, não posso dizer nada. Nunca a encontrei, não a conheço e os dólares que ela levava não são do partido. O quê? Você pergunta como eu sabia dos dólares? Não, eu não sabia de nada, você entendeu mal, você está colocando palavras na minha boca. Vai acreditar numa monarquista como ela e me colocar assim contra a parede? Exijo respeito. Tenho uma biografia!

  17. “A marquise caiu às cinco horas, e a marquesa, oras, saiu?”
    (psicografia do Galo do Gugala, também vitimado pela laje)

  18. Isa disse:

    “A marquesa saiu as cinco horas da tarde?! Cortem sua cabeça!!!”
    (Tipo Rainha de Copas / Lewis Carroll)


  19. Pipol, é o seguinte, a duquesa aui está saindo (são 3 da tarde, hein?) para ir ao facultativo , no caso o médico;-)

    Quero dizer que hoje nem é meu aniversário e vocês já tão me dando presente.
    Perguntem se eu tô feliz?

    Agora, Ery Roberto: eu concordo com vc e adoro escrever sobre eles, mas a forma assim moderna, foi idéia da Rose. Você, Ery, como sempre, arrebentou.

    E o Fábio, gente?
    Todos estão me matando… de rir ;-)

    Ah! o meu afilhado, da outra vez – tre anni fa – escreveu assim:

    -“Às 5 horas, saiu marquesa mas, voltará a mesma à mesma? (filósofo existencialista e gramático;-))
    Eu anotei:
    Pelo artista plástico mais assediado da blogosfera, Claudio Boczon

    =-=-
    Volto pra colocar tudinho lá em cima.
    Gente, como tem gente com ódio da burguesa, digo, marquesa;-)

    Vamos esperar o Lord e todo mundo, os amigos * usual suspects*, OK?

    Tomem conta e volto logo depois das 6h;-)
    beijos proletários
    Meglyn & seu conjunto, acompanhando o Bob Dylan.

    P.S. Marie , pode mandar mais de um se quiser mostrar o seu alter ego pra nós.
    brincadeirinha querida.;-)

    Té.

  20. No meu caso seria :
    A marquesa saiu às cinco horas para tomar um delicioso café na Cristallo (ou na Di Cunto).
    Enfim, a marquesa saiu para tomar café.

    ;o)

    Beijo.

  21. AV disse:

    Só você, Meg, para estes desafios!
    Não lhes resisto, nem TE resisto.

    Para já, fica esta (assim sem pensar, porque a hiistória da marquesa me lembrou logo o poema de FGL):

    Às cinco horas da tarde.
    Eram cinco da tarde em ponto.
    A marquesa saíu
    às cinco horas da tarde.
    ¡Ay qué terribles cinco de la tarde!
    ¡Eran las cinco en todos los relojes!
    ¡Eran las cinco en sombra de la tarde!

    (Federico García Lorca)

    Não vou ficar por aqui… eu volto!
    Beijão
    Ana

  22. AV disse:

    Quem consegue trabalhar com esta brincadeira à espera de continuação? Ora, que se dane! Aqui vai mais uma versão, desta vez de um dos “meus” poetas:

    Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
    Muda-se o ser, muda-se a confiança;
    E muda-se a marquesa, pr’a festança
    Às cinco horas da tarde, em ansiedades!

    Alma minha gentil que te partiste
    Tão cedo desta vida descontente
    Às cinco em ponto dá-se o acidente:
    Morre a marquesa, ai de mim tão triste…

    (Luís de Camões, amante da marquesa)

    E mais este, que não podia ficar esquecido:

    A marquesa é uma fingidora.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que entra
    Quando sai, às cinco horas.

    (Fernando Pessoa, apaixonado platónico da marquesa)

    E pronto, querida, agora é que vou mesmo trabalhar!
    Mil beijos
    Ana

  23. gugala disse:

    “- A marquesa não saiu às cinco horas. ”
    (Depoimento de um conhecido politko brasuca à uma comissão de inquérito de alguma CPI )

    Pô! E eu tava perdendo a brincadeira, cacete!

  24. gugala disse:

    ” Aquela vaca não voltou ainda”
    (marquês marcão)

  25. gugala disse:

    “A marquesa trepou as 5 horas. Sem parar.”
    (Marquês de Sade)

  26. Ery Roberto disse:

    Gugala, assim você me inspira!

    “Se a Duquesa [cometendo mais uma gafe, era Marquesa] saiu às 5 era coisa dela, se saiu às 6 era coisa dela, se saiu às 7 era coisa dela. A única coisa que posso dizer é que não sei de nada.
    (Luiz Inácio LULA da Silva)

  27. peri s.c. disse:

    A marquesa escafedeu-se impávida, ali pelas 5 horas, afinal uma mulher elegante ao escafeder-se não pode ser lá muito precisa no horário.

    ( ou … afinal, ninguém se escafede em horários precisos )

  28. Teresa disse:

    Delicioso! A um desafio destes é impossível resistir.
    Cheguei aqui pela mão (pena, na versão moderna que é o teclado) da AV do Porta do Vento, ainda só li isto e já estou fã!

    Curiosamente, lá por 1984, uma das várias baronesas Rotschild – Nadine de Rotschild – publicou um livro (que não li) chamado La Baronne Rentre à Cinq Heures – estamos portanto a topar que a antiga actrizinha insignificante nos estar a dar uma piscadela de olho cúmplice e a subentender que até brinca com Valéry… Pormenor cómico: eu tenho um grande amigo multimilionário que vive verdadeiramente no jet set . Uma vez no Lipp (a Brasserie Lipp, em Paris), nós a entrarmos, a baronesa a sair, cruzámo-nos. Ela saudou o meu amigo muito efusivamente, meia duzia de larachas de circunstância, e a inevitável apresentação (o casaco dela estava a demorar).

    Vamos ao que interessa, a minha sugestão:

    «A desavergonhada da marquesa saiu às cinco horas do leito do adultério – já ia atrasada para o chá conjugal com o corno do marquês» – João da Ega para Carlos da Maia.

  29. 1970…
    Saiu a marquesa, a baixela, o tapete, os dois candelabros, a bergère, a banheirinha dos pés, o aquário. A televisão.
    À noite, o dela. Gritado. Eu, a um passo da meia-noite.
    Exaustos, no colchão. Amanhã, à estrada.

    …………………….FIM………………….

    – Chega, Meg, isso vicia. Por hoje é só, pelo menos da minha parte.

  30. AV disse:

    Vicia mesmo… o que eu me tenho divertido com isto!

    Aqui fica mais uma:

    “- Então, homem? Quando chega a nova marquesa? – perguntou o cirurgião, impaciente. – Como quer você que eu opere, se a velha se partiu ao meio??”
    – Daqui saíu às 5 horas, doutor. Mas, com o trânsito que está… – respondeu o fornecedor de equipamento hospitalar, atrapalhado.”

    E pronto. Por hoje chega, também para mim.
    Beijos

  31. marie tourvel disse:

    Mar
    quesa
    5
    saiu
    (Estilo Décio Pugnetari, o concretino mais amado do Brasil)

  32. Marie Tourvel disparou-me o escrito concretino…

    Não resisto…

    Marquesa
    Martelulia vibrilínica
    Babe lúdica , barbeirando
    Cloacacaquesa
    Cloalíndrigo
    Estrela dalvadando
    Vale publicitas
    Saindoindonde
    Marc, doramarca
    Doriana, dorilama
    Dore a cama
    Pé discreto pianolando
    Setas cinco viajando
    Vituperiana javanesa
    Piano piano
    Babe Coca
    Beba a marquesa

  33. marie tourvel disse:

    Rose, querida, concretinismo puro. Que maravilha! Parabéns, já ganhou, já ganhou.

  34. Elis disse:

    Sorte da marquesa ter saído às cinco horas. Às cinco e quinze invadiram sua residência, à rua Gusmão, arrombaram a porta, mataram o empregado, o gato e o canário. No cofre arrombado, não encontraram jóias ou dinheiro. Estavam na mala quadrada que a marquesa despachou mais cedo no porto.

    – Elis, depois de ver uns programas forenses.

  35. Magaly disse:

    A Marquesa, às cinco? Da matina? A pé ou de coche?Não, não diga mais nada. Como todos imaginavam, menos eu, claro, que não sou de muito falar, não é mesm… ? (D. Guará – mulher do barbeiro, este doublé de fotógrafo de Passaperto / Triângulo Mineiro .Da matina, sim, mas só vai embora. lá pelas cinco da tarde, depois que o Doctor House fizer os exames mais estrabóticos do mundo, ameaçar o Marquês de viuvez precoce, e, finalmente, diagnosticá-la com precisão meticulosa

    De manhã no eito e, de tarde, no médico para reavaliação, só saiu isso, por enquanto. Vou providenciar algo menos prosaico, tá bem?

  36. Magaly disse:

    Corrija:
    Com o Triângulo Mineiro’ termina o primeiro comentário;
    O outro começa com ‘Da matina ,sim’

    .

  37. psb disse:

    – Porra! – disse a Marquesa, dando um murro e batendo com as tetas na mesa.
    – São já cinco horas e tenho que dar corda aos sapatos…

  38. DO CONCURSO

    Não acho que será fácil para você, Meg, escolher o felizardo a abiscoitar o Sub-Rososcar, ou quiçá, Grande Prêmio Sub-Rosa no risque-rabisque frenético do dia
    .
    Aliás, o que você vai dar ao campeão? Se eu vencer, faço uma encomenda encomiástica,elogios, com fotos de pães de queijo, ao fundo.

    Cê já sabe como vai escolher?
    Quer sugestões? Vão… 1 – mando-lhe uma tômbola da China, à pilha. É um galo, aperta-se a crista, vêm cocoricós e cai uma bolinha de pingue-pongue, com o número vencedor. Coloque tanta bolinha quanto for o número dos particpantes deste convescote. 2 – cante o hino nacional, pode ser poema romântico ritmado, tá tá tá… Cante 3 ou 5 estrofes. A cada sílava você tange com um garfo( colher,faca) um número ( cortado em cartolina). Terminou no 20, por exemplo. Pára! Ele bate a contenda. 3 – jurados – você elege, no máximo 5, pra não dar briga. E, nesta plêiade!, podem estar , também, todos os jogadores ( ops! eu disse jogadores?); esses podem até votar em si, desde que argumentem o voto. A capacidade do cara , você avalia, Meg, já que entende de argumentação, haja vista a labuta na cátedra ( li seu perfil). 4 – todos podem ser premiados, melhores efeitos especiais, melhor coadjuvante…Marie Tourvel criou um novo mergulho na literatura brasileira, o estilo “Concretino”. Faço coro “Está fundado o Concretino. Nada aqui, nada ali. Eu verbivoco e tu, também”

    É isso, melindrosa Meg.

  39. AV disse:

    – Pães de queijo? Alguém falou em pães de queijo?????
    Ah, meu Deus!, – disse a Marquesa. – A sorte que eu tenho em ser brasileira… vou já ali, ao boteco da esquina, empaturrar-me deles!
    E saiu. O relógio marcava as 5 horas.

    (E eu morta de inveja da marquesa, porque ADORO pão de queijo, Meguita…)
    Beijos

  40. AV

    -Não, Marquesa, não vás empanturrar-te com pães de queijo. Se fizeres, troco-a por outra mais taluda.

    Então, AV, a Marquesa foi à academia , cuidar de seu bumbum. Depois, marcou o dermato. Pro botox.

    A marquesa está numa sinuca de bico. Marido, ou pão de queijo? Aff! AV!

  41. marie tourvel disse:

    Olha, Rose, querida, o estilo “concretino”, eu surrupiei do meu querido Ruy Goiaba. Ele inventou o termo e ainda por cima cometeu um poema concretino maravilhoso, digno do Haroldão, Pugnetari e até de Arnaldo Picaretunes. Isso tudo é puragoiaba. Ele é o maior. A Meglyn sabe disso. Tanto ele é minha inspiração, que até fiz um post em sua homenagem ainda ontem. Dêem uma passadinha lá no Letras. E não deixem de ler o Goiaba. Até em dias melancólicos ele consegue arrancar um sorriso meu. Beijos a todos. Beijinho, Meg

  42. AV disse:

    Rose,
    Entre um novo marido e um pão de queijo, eu não hesito um segundo… escolho o pão de queijo, claro!… e que se dane o bumbum, a academia e o botox!
    Mas não se pode dizer isto à marquesa…
    ;-) Beijo

  43. Marie: de tudo que R. Goiaba criou, o “Arnaldo Picaretunes” foi o mais efifânico.
    Ele, em mim, aplacou tudo que é ódio reprimido.
    * li o post ontem, lá. …………………..

    AV: cê tá certa. De todas as bolas ( até as bochechas botocutas), o pão de queijo vibra mais, é índice de felicidade. E as felicidades do Brasil são duas: pão de queijo e pão de queijo.

  44. E Meg? Onde anda?

    Meg Meg Meg!!!!!!

    Apareça aí, vamos!

  45. marie tourvel disse:

    Que história é essa de que o Ruy não gosta mais de você? Imagina que ele iria abandonar uma maravilhosa como você. Meg, há algum engano aí, tenho certeza. Beijos, querida. Aguardamos seu retorno, ansiosamente.

  46. James disse:

    Mais uma aula inesquecível.

    Um abraço.

  47. Ah! Meg…tem graça sumir?Uuuuuuuuuuuuuuu!

    O que farei, enquanto se diverte em Belém?

    O trabalho no fim de semana, por certo, abrandará a ansiedade, ó, marquesa. Se às 5, é certo que vai. Mas que 5? Ora, talvez.E quando volta?

    Até mais a todos. Beijos!

  48. AV disse:

    Até mais a todos, também.
    Meggy, tomámos bem conta do barraco na tua ausência? Espero que sim!
    Bom fim de semana a todos os marqueses, marquesas e dinamarquesas da blogosfera.
    beijos

  49. O Réprobo disse:

    Olá Meg,
    vim aqui pela «Porta do Vento».
    O meu contributo seria:
    “É evidente que a Marquesa não saiu às cinco horas, pois´essa é a impreterível altura do seu chá”. – O Fornecedor de Alibis.
    Ou:
    “A Marquesa saiu às cinco horas. Da casca, não da casa, como ficou por gralha tipográfica, sem ser notícia”. – A Redacção do Periódico, desculpando-se ante os protestos dos leitores.
    Ou ainda:
    “A única Marquesa que há hoje é a cama do consultório do médico. Como querem que ela se tenha posto a andar às cinco horas?” – O Republicano.

    Beijinho

  50. Carmen disse:

    Muito boas, todas

    A minha é:

    “A marquesa (aquela cabra) que não faz nada de nada na vida saiu às 5 horas. Da tarde. Às cinco da manhã é a hora que ela chega. Esse mundo tá perdido. Aliás, “Marquesa” é o nome de guerra dela. (Colega de ponto da marquesa)

    Beijos, Meg e se cuida.

  51. Orlando disse:

    Vou tentar outra, parece que o negócio vicia:

    “A Marquesa? saiu? às 5 h? Que Marquesa? Que 5 horas? Ainda existe marquesa no Brasil? (Moçoila com chiclete na boca, distraída)

  52. Eduardo disse:

    Meg,

    um beijo no DIA INTERNACIONAL DA MULHER!

    Claro!

    Bjs

  53. “Orlando:
    – Ainda existe marquesa no Brasil?
    Moçoila com chiclete de bola…”.

    Meg, sei que está a descansar.Descanse, mesmo, feito uma marquesa. Ou uma gata.

    Eu, cá dou aula e , enquanto um aluno escreve, faço ligeira pesquisa sobre as marquesas de antanho.

    Essa pergunta de Orlando- aí no topo, tá vendo? -sabe…não entendi bem a que marquesas ele se refere, então…Estou revirando aqui uns links. Felicidades.

    http://www.novomilenio.inf.br/santos/h0095.htm

    http://pt.wikipedia.org/wiki/T%C3%ADtulo_nobili%C3%A1rquico

    Belle Époque caipira:

    http://www2.fpa.org.br/portal/modules/news/article.php?storyid=1243

  54. ando:
    – Ainda existe marquesa no Brasil?
    Moçoila com chiclete de bola…”.

    Meg, sei que está a descansar.Descanse, mesmo, feito uma marquesa. Ou uma gata.

    Eu, cá dou aula e , enquanto um aluno escreve, faço ligeira pesquisa sobre as marquesas de antanho.

    Essa pergunta de Orlando- aí no topo, tá vendo? -sabe…não entendi bem a que marquesas ele se refere, então…Estou revirando aqui uns links. Felicidades.

    http://www.novomilenio.inf.br/santos/h0095.htm

    http://pt.wikipedia.org/wiki/T%C3%ADtulo_nobili%C3%A1rquico

    Belle Époque caipira:

    http://www2.fpa.org.br/portal/modules/news/article.php?storyid=1243

  55. aninha-pontes disse:

    Que esse dia, dedicado às mulheres tenha sido lindo e maravilhoso prá você.
    Um beijo grande.

    =-=-=-=
    Muito obrigada, Aninha ;-)))
    Beijos, muitos.
    Meguita

  56. Oi

    Meg!

    Andei pensando. .. Por que não deixa a marquesa ir embora? Não precisa se preocupar em fazer um post com a tal. Ele saiu e…melhor que vá. Endemoniada.

    Que tal virar a página? Eu estou satisfeita só com a leitura de todos os textos. Todos foram engraçados demais.

    * ah! |Outra coisa. Como você vai se sentir quando tirarem o acento agudo de Belém? Vai participar de alguma manisfestação a favor do agudo? A população está mobilizada em torno da questã?

    Beijos

  57. sum disse:

    Boa Noite Meg,
    Soube do “Sub Rosa” através de AV.
    Os desafios desafiam-nos e aqui vai o meu contributo para este:

    “Já a tarde ia longa
    Quando o cuco espreitou
    E cinco badaladas cantou.
    A marquesa levantou-se e desceu
    o seu cabelo ajeitou,
    Pegou no lulu e basou.
    Já a noite espreitava
    Quando a Marquesa voltou
    E o que fez, a ninguém contou.”

    A Marquesa deu de frosques por volta das cinco.
    Um embrulho trouxe quando voltou
    E no lixo o deitou
    Mas quem lho fez a ninguém contou

    A Marquesa vestiu-se, bateu a porta e sumiu.
    Eram cinco da tarde, mas ninguém viu.

    No limiar da porta a criada espreitou e avisou a sua senhora de que as cinco tinham acabado de bater. Calmamente a Marquesa levantou-se, deu um jeito no cabelo amassado, vestiu um casaco e dirigiu-se à porta. Sem dar explicações saiu.

    E por último, ainda bem que Paulo Mendes Campos não está cá para “assistir a esta vulgaridade”.

    =-=-=-=-=-=

    Sum. querida:
    Eu fico felicíssimda que tenha vindo.
    A casa é sua, você manda.
    E a-do-rei- o contributo.

    Quero saber o que é frosques (gostei do termo, vou investigar) e vou já já colocar tudinho lá no outro post, minha querida

    Um beijinho.

    Veja aí no boa-noite, sim?

  58. sum disse:

    mais uma vez boa noite
    sum

    =-=-=-=

    Sum,
    As primeiras vezes de um comentarista fica o conteúdo moderado.
    Perdoa-me não o vi a tempo.
    E pela manhã saí para o médico.

    Como sou baronesa, saí pela manhã ;-) e estou voltando agora.
    Desculpe, só vi neste momento

    Um beijinho querido para ti.

    E obrigada pela categoria.
    Meg.

  59. Saramar disse:

    Infelizmente, a flata de tempo para visitar os amigos me impediu de participar desse maravilhoso exercício.
    No próximo, talvez.

    beijos, saudades


  60. Sarita, querida:
    Quase eu ia lá convidar e *intimar* você: como viu, correu e rolou muita poesia.
    Bem ao seu gosto.
    Puxa, nós é que perdemos.
    Meu carinho para você.
    Você sabe que a casa é sua, sempre.
    Beijos

    Meguita

%d blogueiros gostam disto: