Poema de Millôr Fernandes. Prêmio de Ery Roberto Corrêa

POEMA para grande orquestra parada – um silêncio bem alto
dancers_stuck.jpg
Dancers -by Franz von Stuck

Você já amou uma mulher brilhante.
Você já amou uma mulher formosa.
Você já amou uma mulher
Silenciosa?
Que fala pouco.
E bem,
E baixo,
Que não eleva a voz por raiva
Nem má educação,
Que anda com seus pés de seda
Num mundo de algodão.
Que não bate, fecha a porta,
Como quem fecha o casaco
De um filho
(Ou abre um coração)?
Que quando fala, se aproxima
Ao alcance da mão
Pra que a voz não se transforme em grito?
E que absorve o mundo
Sem re-percussão
Num olhar de preguiça
Num colchão de cortiça
Como um mata-borrão?

Mas um dia ela sai
Levando o seu silêncio
De pingüim andando solitário em
sua Antártica
(ou Antártida),
No eterno
Gelo sobre gelo
No infinito
Branco sobre branco
E dos cantos e recantos
Onde habitou calada
– entre oniausente –
Brotam aos poucos,
Os ruídos
Pisados,
Colocados embaixo do tapete
Guardados na despensa
Na gaveta mais funda
De uma vida em comum.
Os trincos falam,
A cafeteira chia,
A espreguiçadora range,
O telefone toca,
As louças tinem,
O relógio bate,
O cão ladra,
O rádio mia,
Toda a casa ressoa, reverbera
e brada
E a orquestra em pleno do teu
dia-a-dia
Ataca a algaravia
Fabril
Escondida no lençol de silêncio
Com que ela partiu.

MILLÔR FERNANDES . Do seu livro POEMAS. Contido no CD-ROM “Millôr – Em busca da imperfeição”- 1999 .

=-=-=-=-=-=-=-

Dois registros:

1- Agradeço, emocionada, Ery Roberto. Muito importante para mim esse gesto sensível e valioso vindo de você..
*****
2-Impossível deixar de mencionar a notícia:
Heath Ledger- (R.I.P)

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

6 Responses to Poema de Millôr Fernandes. Prêmio de Ery Roberto Corrêa

  1. rose marinho prado disse:

    – Que silêncio alto! Ninguém aqui? i i i i i i i

    (eco)

  2. O'Sanji disse:

    Meio desaparecida… mas vim aqui dizer-lhe que tem lá um pequeno presente no Desafios (no plan(o)alto).
    Beijo

  3. Lilla disse:

    Olá ! To começando um blog agora, então tenho passeados por varios pra ter ideias e conhecer alguns blogueiros…
    acabei batendo aqui no seu ai to deixando um recadinho…Belo poema!!! E sobre o Heath ledger: foi uma perda pro mudo, era lindo demais.. esperar pra ver qual foi mesmo a causa…
    beijo
    ;***

  4. Tocou-me o poema do Millôr!

    Não o conhecia!

    Essa mulher eu a tive por trinta e três anos!

    Incrível, ao cabo de trinta e três anos a vida a levou!

    Ou foi a morte que a levou!

    Nem sei, mas hoje a cama ficou imensa!

    Luiz

  5. Júnia disse:

    Millôr está incrível neste poema, não é, Meg?
    Hoje, na página da UOL, tem um texto muito bom do Carlos Alberto Dória sobre Belém. Imagine se ele tivesse tido você e a Selma como cicerones! Ele iria gastar páginas e páginas sobre só para falar do que vocês mostraram… Beijos!

  6. Júnia disse:

    Meg, me atrapalhei um pouquinho (um pouquinho? ) com o português na última frase, mas deu para entender, não? Quando a gente escreve com emoção, é um problema…

%d blogueiros gostam disto: