CHARLOT – 30 anos sem…

charlot.jpg

Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade.
Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura.
Sem essas virtudes, a vida será de violência
e tudo será perdido.

Charles Spencer Chaplin

(16 abril 1889-25 dezembro 1977)

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

7 Responses to CHARLOT – 30 anos sem…

  1. ma então foi o Carlitos que escrevinhou isto?
    tempos atrás recebi o texto como sendo de um autor brazuca, tipo Veríssimo, Millôr, não lembro.
    putz, esta nossa vida de informações internéticas é hoax que não acaba mais.
    por coincidência, hoje (entre um m’arroto e outro após o nababesco almoço naftalino) meu brôu Silvio estava mostrando umas imagens que fez num museu em Buenos Aires, e dentre elas uma pintura a óleo do supra citado
    uma paisagem meia-boca, é certo, mas não é que o gajo jogava em todas posições mesmo?

    -=-=-=-=-=-=
    Claudio, querido:
    Então, foi confirmado que aquele texto foi mesmo *ESCREVINHADO* pelo nosso mais maravilhoso clown de todos os tempos.
    Realmente é uma praga essa coisa de autorias apócrifas! Ixi… Putzgrilo!
    O pior é que quem faz não está nem aí, e quem pesquisa, fica com pruridos, nunca sabe o que fazer, tem que pedir ajuda.
    Bah!… Enfim, o que eu queria mesmo era o discurso final do filme O Grande Ditador (The Great Dictator, 1940). Em alguns momentos da década de 80, havia pôsteres a dar com o pé;-) em todas as feiras de origem riponga. Na década de 60 deve ter sido mais. É um peça muito bonita.
    Enfim, como diz mesmo a Dani (Daniella Thompson, Chaplin teve uma vida cheia de percalços desde a infância e soube aproveitar iss e seus caracteres. Eum talento que lhe permitia fazer o que bem quisesse. Tinha material *inside* e fora dele mesmo pois viveu uma época muito rica de situações-chave para o mundo, para liberdade e destinos do Homem.
    Mas valeu pela lembrança.
    Um beijão para você e para o seu irmão, claro.
    Meg

    (ALTERADO)

  2. Morreu num Natal, né? Que coisa! Raramente será lembrado no dia de sua morte.

    Beijo.
    =-=-=-=

    Não tão raramente assim, Milton. Pelo menos, espero;-)))

    Pelo menos em datas chamadas *redondas* ele tem sido muito homenageado.
    Bom, de qualquer modo se se pode fazer essa separação: Chaplin talvez… mas Carlitos será sempre lembrado, penso eu.
    Neste ano houve exposições importantes, a de Madrid por exemplo. A de Bologna…
    Anyways…
    Beijo

  3. Very timely. a couple of weeks ago I read Chaplin’s autobiography, which is very well written and gripping. His recollections of childhood are particularly moving.

    When I finished the book, my mother started reading it and couldn’t put it down. Highly recommended.

    By sheer coincidence, the Pacific Film Archive here in Berkeley has just completed a month-long retrospective of Chaplin’s films — a fine way to become acquainted (and reacquainted) with his body of work.


    =-=-=-=-=
    Hi D. !!!!!:-)

    Sim, você tem razão, é verdade: uma vida intensa, fascinante. Controversa.
    Tenho pena , nunca li a autobiografia. Mas eu também não iria querer parar de ler.:)
    Aliás, nem sei se existe essa biografia em português.

    Quanto à retrospectiva, não tivemos essa sorte aqui no Brasil:-o(((
    Aliás, incompreensível, principalmente se pensarmos que no Rio e em São Paulo, há pessoas com prestígio suficiente para conseguir fazer uma semelhante.

    beijos, sweetums.

    Maggie.

  4. Sim, a autobiografia de Chaplin foi editada em português, na tradução de Rachel de Queiroz, R. Magalhães Júnior e Genolino Amado, sob o título “História da Minha Vida”.

    Eis alguns sebos listando exemplares usados:

    http://www.estantevirtual.com.br/mod_perl/busca.cgi?estante=Biografias&alvo=autor&pchave=Charles%20Chaplin

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-61847095-chales-chaplin-historia-da-minha-vida-_JM

    http://www.traca.com.br/seboslivrosusados.cgi?mod=LV154113&origem=resultadodetalhada

    Outros sebos:
    http://www.google.com/search?q=%22história+da+minha+vida%22+charles+chaplin&hl=en&start=10&sa=N

    =-=-=-=

    Esta é a minha Dani.;-)

    Olhe só: achei essa informação tão relevante que fiz destaque no post. Há uma quantidade enorme de pessoas procurando – aqui no blog – por Chaplin, Oona e Geraldine.

    Muito obrigada, D.
    Um beijão.

  5. denise disse:

    Meguita, nunca me aprofundei na obra de Chaplin, limitei-me a assistir aos filmes, a que adorava.
    Um ano abençoado pra ti e com muita saúde e amor, viu minha linda.
    beijo, menina

  6. valter ferraz disse:

    Meg, passando para desejar a voce um 2008 bem levinho, feito pluma de ganso.
    Fique bem,
    Um beijo do
    Valtão

  7. Esse pensamento do Chaplin, além do imenso teor filosófico, possui também beleza e lirismo profundo. Não é só uma verdade, é também um poema!

    Feliz 2008!

%d blogueiros gostam disto: