Valter Ferraz – Lançamento e noite de autógrafos

convite_livro_valter.gif
Clique para ver ampliado.

Nunca aceitei a expressão “eu vou ser escritor”, larguei minha profissão para “virar escritor”. Todos sabem que sou pessoa delicada, calma e tolerante, uma flor de pessoa;-))). Mas confesso que viro uma jaguatirica quando ouço ou leio tais expressões. Ninguém “vira escritor”, ou “torna-se escritor” . Alguém é ou não é escritor. Acontece que no Brasil, por dá cá aquela palha todo mundo escreve, tudo é motivo de livro, parece até que há mais (pretensos) escritores que leitores. Daí ocorre que muitas vezes bons escritores ficam inéditos por muito tempo.
É o caso de Valter Ferraz. Demorou pra “enlivrar-se“, mas quando o fez, fez muitísimo bem. (Demorô para abalar)
E você pode conferir: Seu primeiro livro “Capão, outras histórias” pode ser visto, em praticamente todos os detalhes, aqui.
Eu nem vou falar muito. Só sei que o livro é muitíssimo bom, pois se não fosse não seria prefaciado pelo escritor Ricardo (Ramos) Filho e nem apresentado pela escritora Vivina de Assis Viana.
No projeto gráfico, a bela capa é de Ery Roberto, que também escreve *aqui*.

Então, meus queridos, de todo o Brasil, e mais especialmente os de São Paulo: Ai de quem não for à noite do lançamento e dos autógrafos! – (não esqueçam que I have my people, hein?, sei de tudo). E para comprar essa maravilha de livro é só seguir esas instruções aqui..

O livro é tudo, comovente, excitante, denunciador, realista e é uma grande crônica – no sentido histórico da palavra chronikós– narração de acontecimentos no bairro Capão Redondo, em São Paulo. Mas que poderia ser em qualquer lugar, perto de você, hoje.
Tão bem feita , a começar pela epígrafe de que gosto muito. Tudo o mais é tão eletrizante quanto.
SERVIÇO:
Capão, outras histórias
Autor:Valter Ferraz
Quando: Quinta feira- 6 de Dezembro de 2007
Horário: A partir de 19:00 h
Local:Bar Canto Madalena
Onde Rua Medeiros de Albuquerque 471 – Vila Madalena
Fone 11-3183-6814
São Paulo – Sampa.
Quanto: 20 bucks, pilas, dinheiros…
Valter, querido: Parabéns, todo o sucesso do mundo. Tenho certeza de que (por ectoplasma) Plínio Marcos e João Antônio hão de estar lá.
******
P.S. O noivo…ops, desculpem, o escritor, tem andado muito nervoso esses dias.;-))).
E peço a todas as queridas pessoas amigas paulistas ou não que divulguem este importante acontecimento, OK? Muito obrigada.

Oh , querida, obrigada ;p) . Viu só? fui falar do noiv, digo, do escritor;-) hohoho.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

18 Responses to Valter Ferraz – Lançamento e noite de autógrafos

  1. denise disse:

    Meguita do céu, o lançamento é na quinta! O pessoal vai chegar com 24 horas de antecedência? KKKKKKKKKK
    Eu estarei lá, com certeza, se Deus quiser!
    Estás uma beleza de animada, hein bichinha?
    beijo, menina

    =-=-=-=-
    Putzgrilo, Dêzinha, se não fosse você;-)
    Tá me achando animada, é?
    Isso é porque você é linda e tem me dado força.
    Mas mesmo animada, permaneço burralda;-)
    Me comovi tanto lá no seu blog.
    Devo confessar, tô com inveeeeja de você hoho, dê mil beijos na Vivina, e mais mil na minha Aninha. E 3 no Lord;-). Fale bem alto meu nome que é para se lembrarem de mim, certo? Assim como quem não quer nada, vc fala, a Meg isto, a Meg, aquilo;-) hahahaha… Putz, logo agora eu tinha que me mudar…tsc tsc…
    (Contados, mil em uma e mil na outra hahahah)
    Beijos, minha querida.

  2. Mário disse:

    Meg, mais do que oportuno o lembrete. O Valter merece esta força e o livro é mesmo excelente. Bom Domingo!

    Mario, querido
    E a *sua* resenha para o livro está muitíssimo bem-feita.
    Muito mesmo!
    Um beijo querido e obrigada
    Boa semana.
    Meg

  3. denise disse:

    Ah, Meguita, nem vou precisar me esforçar , pois você será assunto certo em nossas conversas, hehe!
    Pode deixar que darei todos os beijos e abraços e vou dizer: este foi a Meg que mandou, hehe.
    beijo,menina

  4. vivina de assis viana disse:

    Meg, querida,

    nunca tive dúvidas de que iria ao lançamento do Valter. Coisa mais que resolvida, compromisso mais que firmado.
    E agora, lendo seu post, meu proposito fica ainda mais firme, claro. Como é que vou deixar de receber mil beijos???
    Aninha e eu vamos brincar de “mal-me-quer, bem-me-quer, diante da Denise: um pra lá, um pra cá etc
    Quinhentos beijos da
    Vivina.


  5. Vivina, meu doce, minha flor-de-lis:
    Tenho uma amiga maravilhosa, mineiríssima, a Júnia que é médica e tem espírito literário, e que tive a felicidade de recebê-la aqui em Belém. Lembrei muito dela agora, por causa da emoção. e de uma expressão que ela usa:
    “Delícia de comentário!”
    Estou aqui feito uma boba, morrendo de rir, riso feito de sorrisos;-)

    Puxa, isso é que eu chamo de colorir a vida.
    beijos, minha linda, lindíssima e querida.
    Meguita
    P.S Hahahah -um acesso de tosse e mais risos- para esse “brincar de mal-me-quer, bem-me -quer;-))) na frente da Denise.

  6. aninha-pontes disse:

    Meg minha linda, está mesmo como a gente gosta. Animada, isso me deixa feliz.
    Já fui lá ver e agradecer a Palpiteira.
    O bem ainda não entrou no PC, temos que dividir, daqui a pouco vou costurar e libero aqui.
    Ontem domingo, também não viemos aqui, deixamos o Érickinho brincar um pouquinho, porque não tinha lição de casa, e domingo tem mais tempo.
    Eu e a Vivina já começamos a receber os beijos.
    Ainda sinto tanto vc não estar conosco. O Érickinho, disse que sente vc não vir, porque depois nem vai te conhecer.
    Obrigada pelo carinho meu bem, sentimos sua presença e seu amor.
    Ele já está calminho viu? Nada que um chamego não resolva.
    Beijos minha linda.
    Amamos você

  7. Eduardo disse:

    Meguita,

    muito bem posto.
    Postarei amanhã no Varal e no Drops na quarta!
    Vamos fazer dessa noite um encontro de blogueiros aqui do Sul.

    Parabéns pela CONVOCATÓRIA!

    1000 bjs

  8. valter ferraz disse:

    MEG, cê tá que tá, hein?
    E eu já vou avisando: eu TÔ Calmo, eu TÔ Calmo, viu!
    Bom, voce só se esquivou de dizer que fez as orelhas do bichim, né?
    Quanto a virar escritor, isso é coisa de funcionário de necrotério, né não? Eu, por aqui sempre fui escritor, apenas não tinha publicado nada. Aí veio o Lord, o Ery, a Vivina e Vocezinha, ficaram me aporrinhando e eu resolví: pronto, publiquei. Agora, fica essa coisa chata de ter que dar autógrafo, um porre!
    Querida, quero agradecer de coração tudo o que tem feito por mim e pelo meu livro. Com voces quatro como co-autores não tenho dúvida nenhuma. Vamos estourar

  9. valter ferraz disse:

    Meg, estourei o limite.
    Beijo, menina

  10. MEG,
    O Valter merece todo esse carinho. Vou me divertir vendo ele dar autógrafo. Curtir os brancos que acontecem, o nervosismo próprio da ocasião. Apenas para deixar ele mais nervoso, e por pura maldade, segunda-feira me deixa assim, com o cão no couro, conto uma história de minha primeira noite de autógrafos.
    Aproximou-se uma tia distante, que não via há muito tempo, livrinho debaixo do braço, e estendeu-me a porcaria para que lhe fizesse as justas homenagens por escrito. Lady Cordélia estava longe, não viu, não pode me socorrer. E então o pior aconteceu, nada foi capaz de me fazer lembrar o nome da dita cuja, que para me sacanear, tinha tirado o papelzinho com a próprio graça, expediente que os vendedores utilizam para nos ajudar. Informou que tinha certeza de que não eu precisava daquilo. Tentei disfarçar, perguntando se queria que dedicasse para os netos dela, pedindo para que confirmasse o nome deles. Resoluta, a filha da puta disse que fazia questão de que fosse para ela mesmo. Totalmente embaraçado, fiquei olhando para ela, suando, vermelho, espremendo as meninges para ver se lembrava como ela se chamava. Acabei cedendo e perguntado. Ela nunca me perdoou. Ficou brava, dizendo que não entendia como eu não conseguia lembrar o nome dela. A maior saia justa que já enfentei na vida, verdadeiro pesadelo.
    Tudo isso para dar um conselho ao Valter. Se tiver memória boa igual à minha, se os brancos nessa ocasião forem freqüentes, não deixe a Aninha sair do lado.
    Grande beijo

    =-=-=-=
    Lord, adoro sua malvadeza;-)))
    Esprememendo as meninges” é ótimo e vou passar a usar.
    beijo
    Meg

    P.S: Mas o melhor mesmo foi ***Resoluta, a filha da puta* hahahahahahaha
    Hahahahahaha
    Hahahahaah
    Estou perdidinha de tanto rir.
    Meg, que não sei por que adora rir disso.

  11. valter ferraz disse:

    Lord, não podemos esquecer que eu não conheço quase ninguém pessoalmente, portanto meus brancos estarão perdoados. Mas, por via das dúvidas não deixarei a Aninha sair do meu lado, ela tem memória ótima!
    Segunda-feira te deixa assim, é?
    Abraço

  12. Isto da memória dar tilt na hora do aperto me lembrou uma passagem da Escolinha do Prof. Raimundo, em que ele pergunta para a Marina Miranda (a “criôla difíci” do Tião Macalé):

    – Quando um ator está no palco e dá um branco, o quê acontece?
    e ela:
    – Nada!
    – Como nada?
    – Não acontece nada porque dá um branco, mas se desse um preto, o cara tava no olho da rua.

    “Ih, nojento!!!! Tchan!!!!”

    Sucesso aí na noite de autógrafos do Valter.

    Claudio;
    Eu adorava essa personagem e o par dela o Toninho Macalé, não era?
    Nojentos!!!!!
    beijos, querido

  13. Mutumutum disse:

    Putz… adoro participar de lançamentos de livros, mas moro longe pra carilho! De qq forma, sucesso para o noivo… ops, o escritor o/

    Ahhh… e valeu pela visitinha e comment tão simpático no meu blog meg-nífico, rsssss

    Abraços o/

    =-=-=
    Viva!!
    Gente, adorei o blog do Mutumutum;-)))
    Beijão.

  14. Walter Pinto disse:

    Querida MEG:

    Não sei se você lembra de mim. Sou o Walter Pinto, que um dia cruzou em sua vida. Fiquei feliz em encontrá-la, no Sub rosa.

    Beijos, muitos beijos, você realmente merece.

    Walter

    =-=-=
    Walter, Walter, mas como poderia esquecer, como?

    Só que eu pensei que não tivesse sido só um cruzamento;-)

    beijos e obrigada
    E volte sempre. A “casa” é sua!
    Meg

  15. peri s.c. disse:

    O noivo deve estar i-n-s-u-p-o-r-t-a-v-e-l-m-e-n-t-e nervoso, ah, ah.
    Iremos lá jogar arroz nele.
    Arroz cozido, evidentemente.

  16. gugala disse:

    Peri, nos vemos lá.
    Valter, onde fica a lista do casamento?
    Meguita, beijão e até

    =-=-=
    Peri e Gugal
    Ô dupla: eu sei que vocês não combinam antes, mas que é uma delícia
    ler seus comentários mau-vados, isso é:-)

    beijos, Peri
    Beijão, Gugla

    Meg
    P.S: Olha só: lembrem de mim lá, hein?
    Já soube que o Canto é muito importante.
    Grande reduto! hohoho

  17. valter ferraz disse:

    Peri, rola um feijão também? A crise tá braba, meu!//
    Gugala, a lista? No Carrefour, Extra, Empório Santa Maria. Pode escolher. Importados, de preferência.
    Abraços aos dois

  18. aninha-pontes disse:

    Peraí gente.
    Tem alguma coisa errada por aqui, afinal a noiva aqui sou eu.
    Ele é só o noivo e está sendo mais paparicado que eu.
    Pelo menos eu fui a noiva há 31 anos.
    Faz tempo, mas eu ainda me sinto “a noiva”.
    Beijos meus queridos.

    =-=-=-=
    Minha linda, que nada
    Tá tudo certo;
    A gete tá sabendo de tudo e está muito feliz, com o casalzinho.
    beijos, querida
    Meg

%d blogueiros gostam disto: