Aos meus amigos, três fragmentos, uma música e um link

[…]”Contar é muito dificultoso. […] pela astúcia que têm certas coisas passadas de (…) se remexerem dos lugares.(…) A lembrança da vida da gente se guarda em trechos diversos, cada um com seu signo e sentimento, uns com os outros acho que nem não misturam. (…) Tem horas antigas que ficaram muito mais perto da gente do que outras, de recente data. O senhor mesmo sabe; e se sabe, me entende.[…]

Guimarães Rosa: “Grande Sertão: VeredasLeia mais deste post

Uma homenagem aos meus Professores. Todos.

Hoje é o dia Professor!
Há pessoas que não gostam (ou dizem não gostar) dessas datas comemorativas. Eu gosto. E tenho explicado por que gosto.
Bem entendido, eu gosto de datas em que se *co-memora* ou *re-memora* a força pessoal, subjetiva ou coletiva, empregada pelo homem na transformação da espécie humana, do seu ambiente, e no melhoramento da Vida em geral.
Isto tem a ver, suponho, com o que Dostoiévski, em os Irmãos Karamázov, aponta:
Em todo homem, é claro, habita um demônio oculto: o demônio da cólera, o demônio da luxúria sem peias; o demônio do prazer voluptuoso frente aos gritos da vítima Leia mais deste post

O Círio de Nazaré por quem tem olhos para ver e escrever

“Quando na Vida sofremos
a mais atroz amargura,
de vossas mãos recebemos
a confortável doçura

Ó Virgem Mãe amorosa
Fonte de amor e de fé
Dai-nos a benção bondosa
Senhora de Nazaré”

Eu não sei mais escrever sobre o Círio de Nazaré por outra ótica a não ser a dos “males, as dores da ausência“. E é sabido, por pedagogia ou filosofia, que buscamos nos outros o que não temos dentro de nós. E foi o que fiz.
Desandei a procurar. E achei foto e textos do Breno Peck. Algumas fotos eu já conhecia e outras me surprenderam pela beleza, pela sutileza do inesperado, pelo humor, e até mesmo pelos questionamentos que Breno faz.. mas, de toda forma, é claro que contra argumentos não subsistem fatos;-)

Breno Peck? Ora, se não conhecia, conheça agora , ele é fantástico e tem um lado irreverente que é a cara do Círio. Do que me lembrava, pelo menos.

 

Por Breno Peck neste photoset: CÍRIO.

Não deixem de ler os textos (as captions) que Leia mais deste post

Um filme, links importantes de Eduardo Lunardelli: gifts galore!

caramel_Nadine_LabakiOi, beibinhos! (“beibinhos” é desavergonhada apropriação que faço da Falmark, . Believe it or not! houve uma época em que me apresentava com o sobrenome da Silva Sauro. A que ponto se chega, vejo agora. Meu beijo para minha diva. Ela merece!)

-=-=-=-=-=-
Agora, queridos, tudo o que segue são coisinhas, hot stuff, enviadas ou sugeridas por amigos muito queridos. Eu estou , como se diz, no estaleiro e se não vier aqui por uns dias tomem conta da casa, OK? Mas, eu sempre venho, sou da turma dos resilients. Just in case!
O filme é Caramel de Nadine Labaki.
Segue a linha Vénus Beauté (Institut)(1999) , da francesa Tonie Marshall. que vi e adorei. Mulheres fantásticas num e de um salon de beauté. Imaginem. Tem de tudo, resolvem a vida de todos mas as suas próprias;-)… e as meninas são batalhadoras e têm uma vontade de mudar o mundo. Não, não são feministas. São apenas delicadas e generosas e meio loucas, o que é preciso. Havendo oportunidade e motivo sempre é bom perder a cabeça, quem disse que não? Desnecessário dizer que são almodovaretes! Se é que me Leia mais deste post

Some funny stuff and delusion;-)

Este aqui é da minha linda, ela que acha essas coisas e eu adoro:

Eu a-do-ro! Mas ela agora está mais lá.

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Clique para ampliar, senão você não vai ver nada.

Daqui:-)


Este aqui é um cara super clever. Eu adoro:

Sente essa. Devo dizer que é um rapaz dizendo pra uma moça, Nevertheless…;-)
Please, please me

Aqui o livro dele
please_pleaseme.jpg

Todo esse stuff foi (es) colhido no Leia mais deste post

FREE BURMA! October 4, 2007!

free_birmania
“La libertad, Sancho, es uno de los más preciosos dones que a los hombres dieron los cielos; con ella no pueden igualarse los tesoros que encierran la tierra y el mar: por la libertad, así como por la honra, se puede y debe aventurar la vida.”

-Don Quijote de la Mancha

*****

“And it’s true we are immune,
When fact is fiction and T.V. is reality,
And today the millions cry,
We eat a drink while tomorrow they die.”

Sunday Bloody Sunday – U2

*
www.burmacampaign.org.uk/
www.cfob.org/
www.altsean.org/
www.birmaniainfo.org/

No Flickr:

http://www.flickr.com/groups/479791@N25/pool/
*****
Espero firmente (e acredito) que mais uma vez se possa mostrar , com êxito, que blog é um (poderoso) instrumento e que é usado para o que melhor aprouver a quem usa.

http://www2.free-burma.org/

Leia aqui: LIBERDADE CERCEADA EM MIANMAR

NO NYT : Você precisa fazer login , mas é num minutinho e vale a pena, para tudo: Monks Are Silenced, and for Now, Internet Is, Too

Festival da Record: 40 anos e o violão de Sérgio Ricardo (updated)

“Prepare seu coração pras coisas que vou contar”:-)
Pessoas, não há ninguém neste mundo que não saiba, ou tenha ouvido falar do Festival da Record. Houve vários, no mínimo, três, 3, mas pode ter havido outros, afinal era MPB ( Música Popular Brasileira), ô raio de acrônimo e de idéia!, e era da TV Record (praticamente uma potência, sim, meninos, nem sempre a Globo foi esse polvo de todos os tentáculos) mas ninguém fala nisso, só fala “Festival da Record” -como se tivesse sido o único e aí já se sabe que foi *aquele* em que surgiu (?) Alegria, Alegria, do Caetano Veloso, que cantou com os BEACH BOYS – tô colocando em caixa alta, porque é injusto esquecer deles e Domingo no Parque, do Gilberto Gil que cantou acompanhado, de quem mesmo? ora, dos MUTANTES . Chico (aaai!) sempre com o MPB-4 cantou Roda Viva. Mas não ganharam. Sabe-se também, embora um pouco menos, da vencedora, a bela música *Ponteio* , do Edu Lobo com uma cantora megavilhosa, di verdade, chamada Marilia Medalha que, parece, sumiu e ninguém sabe, ninguém viu. Os dois acompanhados pelo maravilhoso MOMENTO4UATRO. Por equanimidade não vou dizer a formação do conjunto. Mas procurem saber, vale a pena. (Muito obrigada, C.)

OK, isso tudo é verdade, isto é, se vocês não contestarem, vai que tenha alguém que tenha assistido, estado lá no Festival?) . Então, até segunda ordem, ( eu quero logo avisar que apesar de eu ter 879 anos, não sei dessa época, meninazinha muuuito infantir -um “brotinho”, portanto) começava uma nova era na música brasileira. Estava sendo lançado as bases do que veio se chamar TROPICÁLIA.. Sim, pelo que dizem, um novo modo de pensar, novas formas de agir e de viver (dizem que a Elis Regina- ela mesma –saiu em passeata ou liderou protesto *CONTRA* – vejam só o que é a vida – Caetano Veloso e Os Beach Boys , e Glberto Gil com os MUTANTES, grupo do qual fazia parte Rita Lee, sabe por que? porque eles ousaram utilizar guitarra elétrica em suas músicas e Madame (e sua entourage) não gostou. Pois foi.

*Corte rápido, para eu dizer que “escutando e estudando” o Bob Dylan, eu tive que dar com as fuças no movimento ou geração beatnik e quem? Jack Kerouac, On the road William Burroughs, Allan Ginsberg, Ferlinghetti Leia mais deste post