PEDRO MATTA-(España, 1875-1976)- Mario Carneiro(R.i.p)

CELOS
inthebox_ruth_bernhardt.jpg
by Ruth Bernhardt
Tengo celos de ti, por qué negarlo,
tengo celos de ti, celos rabiosos,
celos de la sonrisa de tu boca,
celos de las miradas de tus ojos,
cuando yo no te oigo… cómo hablas?
Cuando yo no te miro… cómo miras?
Cuando no estoy delante… cómo suenan
los raudos cascabeles de tu risa?

¿Tú sabes que en las miradas de los hombres
hay miradas impuras?
Que unas veces parecen que acarician
y otras parece que desnudan?
Cuando te envuelve una mirada de esas
y sientes que resbala por tu cuerpo
…Qué es lo que piensas?… Dí,
qué es lo que piensas?

Cuando tengo tu mano entre mis manos,
yo sé cómo tu carne se estremece,
cuando es otra la mano que te oprime,
qué es lo que sientes? Di,
que es lo que sientes?
Yo puedo adivinar qué pensamientos
laten en ti cuando de mí te acuerdas.
Cuando es de otro el recuerdo que te asalta,
qué es lo que sueñas?…Di,
qué es lo que sueñas?

Yo te he visto mil veces temblorosa
ante el fervor de mis ardientes frases,
con los divinos ojos entornados
y los húmedos labios anhelantes,
imbuida de amor desvanecida.

Cuando yo soy el amor, el que te habla,
si las palabras son las mismas…dime,
cómo te suenan de otros las palabras?
Tú juras que me has dado
tu corazón, tu cuerpo y tu cariño,
pero nunca sabré si tras tus ojos
se esconde un pensamiento que no es mío.

Y qué importa tu cariño entonces?
Qué vale la escultura de tu cuerpo
si son los pensamientos de tu alma
como villanos que arrebatara el viento?


PEDRO MATTA (España, 1875 – 1976)

ME DA MIEDO QUERERTE


Me da miedo quererte. Es mi amor tan violento
que yo mismo me asusto de mi modo de amar;
de tal forma me espanta mi propio pensamiento
que hay noches que no quiero dormir por soñar.

No sé lo que me pasa. Pero hay veces que siento
unos irresistibles deseos de matar:
respiro olor a sangre y luego me arrepiento
y me entran unas ganas muy grandes de llorar.

¡Oh, si en estos momentos pudiera contemplarte
dormida entre mis brazos!… si pudiera besarte
como nunca hombre alguno a una mujer besó…

después rodear tu cuello con un cordón de seda
y apretar bien el nudo, ¡para que nadie pueda
poner los labios donde feliz los puse yo!

 

PEDRO MATTA

Uh la la: Mira, qué fuerte!
Algumas pessoas (só duas) reclamaram por causa da ausência de poesia, poemas, aqui no Sub Rosa. Então eu escolhi este poeta, extremamente passional , um canto extremado, um poeta amante!. Notem o segundo poema que tem a forma de SONETO. O que acharam do soneto, a forma? E se alguém entre vocês, tiver mais dados biográficos e puderem fornecê-los, oh my gawd! ficaria muito grata, que bom seria. Só sei que nasceu e morreu em Madri, mas mesmo assim tenho dúvida sobre as datas de nascimento e morte. Se estiverem corretas , então podemos inferir que consumir-se de amor, faz bem à Vida: ele morreu com 101 anos!? Decididamente, Victor Hugo tinha razão quando disse “Vós que sofreis por amor, amai mais ainda. Morrer por amor é viver dele.” Las!


Tanto a ilustração da magnífica Ruth Bernhardt (In box) quanto esta música foram escolhidos levando em conta a força dos arrasadores (e raivosos -ohmaigûdiness) lamentos do Pedro Parra, que na sua longa vida, jamais pensou em sair no Sub Rosa. Modesto, ele.
Nevertheless, eu amo as músicas do R.E.M e adoro o bandleader;-)

♣♣♣

Réquiem para Mario Carneiro

Não posso deixar de falar da minha tristeza com a morte de Mario Carneiro. Além de muito importante pela estética “francesa” numa época em que Paulo Emílio Salles deplorava o gosto e o que era feito no Brasil, Mario era também um importante fotógrafo e não só: Era tambpem, montador e diretor. Ele é o autor das célebres fotos de Irma Alvarez para o filme Porto das Caixa. Ela, argentina/brasileira, linda e … careca.
Jamais poderei lamentar suficientemente: Onde diabos, 77 anos é idade para se morer?! Dammit!
Vejam aqui: Entrevista com ele.

E mais esta: aha! o Eduardo Lunardelli, que de propósito me faz sofrer deixando de vir aqui, (que pena, Edu) deve conhcê-lo ele era também pintor e gravurista.

(Acho até que deveria merecer um post só para ele). R.i.p!
(De presente para vocês q- poucos talvez que não conhecem o imprtantíssimo site Cena por Cena)
divisor21.gif
E, claro é dia de parabenizar pelos 5 aniversários completados, o Marcos VP Cheers!

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

10 Responses to PEDRO MATTA-(España, 1875-1976)- Mario Carneiro(R.i.p)

  1. Meg, muy fuerte!
    Impressionante como a língua hispânica, a sonoridade, y tudo, más empresta um outro ar, impregna de força o poema. Não conheço, mas julgo de grosso calibre o poeta.
    A pergunta que faço: onde encontras tanta informação, mulher? Mostre suas fontes.
    Um beijo, menina

    =-=-=
    Beijão writer, quase colocando o filho no mundo;-)
    Vi esse poema, como absolutamente avassalador e como o único outro que vi era também assim. Intenso, apaixonado, e denotando um furor amoroso, que até estou desconfiada
    Não deu para nehum juizo crítico.
    Sabe como é, né?
    Ahora, guapo mancebo: Eu encontro tudo por acaso.
    Por isso não gosto de devolver para a Internet as coisas do mesmo jeito que tirei.
    Empobrece a blogosfera. Não acha?
    beijos, writer
    Meguita

  2. Magaly says:

    Ai, que post gostoooooooso, Meg! Redondinho, redondinho.
    Primeiro, os poemas são encantadores, paixão à flor da pele. Lindos, fortes.
    Quanto ao soneto, reconheço que o poeta o compôs com versos dodecassílabos (alexandrinos), usou rima alternada(ou cruzada) nos dois quartetos e, nos dois tercetos, rimou o primeiro verso com o segundo, rimando o terceiro do prmeiro com o terceiro do segundo. Se me escapou alguma coisa, volto depois pra observar melhor. Tudo composto com muita arte e paixão.
    De pronto, não tenho dados a acrescentar, pois o conheci agora por sua mão. Posso pesquisar a ver se acho algum detalhe a mais complete as informações que vc já reuniu.

    Gostei da música também, muito..

    E o Mário Carneiro, que pena! Conhecia-o de nome e referências, A entrevista acrescentou muito.

    Enfim, gostei de tudo neste posto redondo e gostoso.

    =-=-=-=
    Maga: sua opinião importa muito, assim como a de todos claro, mas vc muito especialmente, pois já vi quando vc *NÃO GOSTA*;-). Então, agradeço. Não cometeria a suprema indelicadeza de dizer que vc não tem razão;-)))
    Eu não entendo néris, chérie, desses coisos de redondilha maior e menor, cenotassíbalos, alexandrino e felipicos:-) e dodeca.

    Quem está fazendo os melhores onetos no Brasil e no mundo cham-se GLAUCO MATOSO!!!!!!
    Beira a perfeição. A forma…
    Até eu vejo:-)
    Mas se vc diz.
    Eu creio.
    Nunca vi o proceso criativo de um único poeta sequer.
    Então, pedi ajuda.. mesmo!

    Mil beijos
    O Colar, my necless é Liiiiiiiiiiiiiiiiiindooooooooooo!
    Vou tirar fotografia de mim mesam e mando, mando sim]Que delicadeza, que bom-gosto.
    Ajh, mas eu não vou ficar por abaixo, não
    Me aguarde, vc e a Laurinha, minha sobrinha querida
    Tô achando vc muito linda e certeira.
    O cirso? está bom?
    beijocas, meu mor querido
    Sua Meggy

  3. rose prado says:

    Magaly está explosiva em seus comentários, sabe tudo.
    Gostei do poema. Mas isso de amor é perigoso, ainda mais pra quem viveu tanto – será que foram 101 anos mesmo, Meg? Deve ter sofrido em dobro. Credo!

    =-=-=-=
    Como você escreveu antes, eu não posso dizer que tirei as palavras da sua boca;-))
    Mas pensamos igualinho.
    A Magaly é fera, feríssima e quando aparece a coisa fica relament sinistra. Os commnts todos super irados
    Magaly roolz!!!!! ruleia, mesmo.
    Agora, vem cá, em mat´ria de sofrer por amor, eu não tenho a menor moral;-)))) para falar.
    Tõ com o Cartola:
    Não quero mais/
    amar a ninguém/
    lembra?

    Vai telefonar ou não?
    Tô esp’rando
    Quero rir muito!
    beijos enormes, do tamnaao de nós duas juntas.
    Meguita

  4. Eduardo says:

    Tenho vindo sempre! Acompanho com muita atenção tudo. Tento ir aprendendo o que não sei e se não deixo minhas pegadas é para não passar por um pintorzinho despreparado. ( Agora lembrei do Volpi)!

    Beijos querida Meg, e sinta-se sempre muito querida!

    =-=-=
    Grande Eduardo, aproveitou e com sua classe habitual, ” inseriu lucidamente e no contexto”, o grande Volpi … ah umas bandeirolas daquelas.

    Sinto-me querida, sim, mas as visitas escassearam… Coments, então;-))) Olhe lá:´-)
    Obrigada por ter vindo hoje: nosa amizade estpá cima de algumas faltas eventuais.
    Pasando mará braba de trabalho, volto laí, imediatamente;-)
    Beijos, ainda estou na quota dos cem mil ou um milhão dos beijos?
    hohojo
    ;-)))
    Um beijo para a sua amada,
    M

  5. Eduardo says:

    Meg, não conheci pessoalmente, mas acompanhei seu trabalho no cinema, onde seu nome era legendário. Mario Carneiro , grande fotógrafo. Pinturas nunca vi.!

    Obrigado pela dica, vou procurar saber mais. òtimos links!
    =-=-=
    Você não sabe minha tristeza por não ter mais o tempo que tinha antes de ver t.o.o.d.i.n;h.o.s os blogs do meu coração.
    Mas, espero que não deixe de , ao vir , comentar algo.
    Eu adoro você e você sabe.
    Na bio dele tem lá que ele era pintor.
    Pensei logo em vc e no queridíssimoDUDI MAIA ROSA! Meu ídolo.
    Beijos, querido
    Meguita

  6. Ery says:

    Meg, a poesia espanhola soa como música, é verdade. E é tão pura, tão real, tão doce. Chega-se a sentir o aroma do amor ao transitar por versos tão magníficos. É mesmo, eu pouco vejo você postar poesia. Em compensação, quando resolve fazê-lo, sai de baixo hein?!!!

    Nosso cinema deve muito a Mario Carneiro. Sua carreira, iniciada com o cinema novo, continha um referencial nobre.

    Meg, mandei e-mail e postei hoje um tributo ao seu recente trabalho com a HQ. É uma forma de me penitenciar pelo que me fez a falta de tempo, ou seja, não ter lhe respondido aquelas perguntas. De qualquer forma, está lá minha homenagem a você. Grande beijo.
    =-=-=
    Ery , querido amigo, a sua opinião é importantísima para mim; não fosse por eu gostar mesmo de voce, mas também porque qualquer amigo meu que queria publicar um livro, já sabe o trablaho, o conceito, a concepção terão que ser seus.
    Não vejo as respostas e o seu fantástico post como excludentes, são, como bem disse o Lord uma contrapartida, excelente, ao que se discutiu aqui.
    Mas, da proxima venha, senão eu vou pensar que cê não gosta de mim.
    Estou indo à convite da UFPr, aí em Curitiba. Só falta agendar. O convite chegou hoje, digo, ontem. ( eu aninda não dormi então ainda ‘estou’ *ontem*)
    Vamos marcar alguma coisa?
    Beijos
    Meg.

  7. Luma says:

    Meg, sua postagem está emocionante! Não sei espanhol mesmo assim a poesia soou como disseram acima, como música.
    Sobre essa música, já ouviu com “The Coors”? Fiz uma brincadeira aqui e ouvi em dueto. Liguei o seu player e no meu tocador de cd a outra versão. Ficou uma coisa!
    Fui lá no blogue da Cássia fazer o convite! Vamos aguardar!
    Sofrer por amor faz viver? Vou morrer cedo! :)
    Boa semana! Beijus

    =-=-=-=
    Luma, luz nossa de todo o tempo: Que puxa! Quer dizer que vc não sofreu nem um niquinho assim, por amor?
    Pois eu vou já lá na Yvonne, do http://bloggente.blogspot.com – que vou ver você ter coragem de dizer não:-)
    Ah! sim e eu já fui lá na Cásia, putz, Luma ela não vai nem sequr querer saber de mim. Se fosse em outros tempos, lembra?
    Mas…
    buááááááá
    Beijos
    Uai, e eu lá conheço os Coors? são os Doors? Ou what?!
    Mas vc sabe que estou agora comprando, tipo assim, tudo legal, legal.;-)
    Manda, que eu vejo. Agora me diga, existe melhor rndition que essa aí?
    Boa semana pra vc, e para todos.
    Meguita

  8. Luciana says:

    Meg, a partir do dia 14 de setembro (sexta que vem) vamos escrever sobre o Círio? Não precisa ser todo dia, mas de vez em quando até o Recírio, que acha? Como forma de todo mundo saber da festa, da cidade, da santa…
    Vou “convocar” os blogs que conheço que são daqui… faça o mesmo…
    Eu sei que qualquer coisa que vc escrever sobre o Círio vai ficar lindo.
    Beijo.

    =-=-=-=-
    Sim, claro, claro, Luciana. Estou à sua disposição: seu pedido é uma ordem;-) embora em matéria de nossa amada terrinha é você que sabe tu-do!
    Se quiser passar tarefa (pauta, para mim, eu aceito… sou sua escrava!
    beijos e muitas, mas muitas saudades.
    Meguita

  9. nelson says:

    Querida Meguita, gosto desse paixão toda da poesia que voce escolheu, ela que nos aproxima e se faz amar.
    Muitos beijos,

    =-=-=-=
    Que bom que gostou , meu querido . Estava muito querendo que vc viese escrever aqui.
    Seus acenos têm sido todos de uma voracíssima paixão.
    Obrigada, meu anjo.
    Um beijo. imenso. carinhoso.
    Tiadoro.
    M.

%d blogueiros gostam disto: