HQ e incentivo a leitura II – publicando resultados. Hear! hear!

books_hq

“o senhor mire e veja”: alguns desses livros são o que se chama de clássicos. Ou têm relação com os clássicos. Como é o caso do livro do historiador e professor (USP) Marcos Antonio da Silva, “Prazer e Poder do Amigo da Onça” . Paz e Terra, 1989…
classicos_novos_e_antigos
… mais William Blake : The Marriage Of Heaven And Hell and The book of Thel (1987), um Livro de Cabeceira do Homem (hohoho -vocês nem imaginam o que cabe na definição de ‘clássico’) da extinta Editora Civilização Brsileira, a original do Ênio Silveira, ah o Ênio, que falta faz! e se descobrirem outros, por exemplo uma gramática do Grego Antigo (com maiúsculas para impressionar hohoh again) é minha exibição. Porém, o que é mais importante do que seja mais importante: ele, Nietzsche, numa edição da Max Limonad do Ecce Homo; uma edição da Gallimard dos Fragments e…uma, olha só uma edição da antiquíssima editora Brasiliense, do Caio Graco Prado (oh! my gosh, sôdade) chamada Nietzsche para principiantes.
Bem, esses principiantes foram contemplados com uma edição da Découvert e… vejam só é Nietzsche pour débutants, é de 1979 (vcs nem tinham nascido) por Marc Sautet e Patrick Boussignac ( tradução por Sonia Goldfedr) e também um livro chamado não “A Relíquia” mas the best is yet to come…
nietzsche_strip
Bom, se houvesse justiça neste mundo, aqui deveria ficar a linda dedicatória do Marcatti para mim, (ei, eu!) mas eu estou numa fase de não me expor muito pisc* pessoalmente e isto implica deixar de ser exibida, o que é ‘a mooorte’ para mim, mas…esperem, não é que tá lá o Nietzsche aberto e … sim, em quadrinhos!!!! . Na maior moral. Literalmente. (Cliquem e verão) . E aquilo abaixo é o que , o que é? pensem e respondam: quem fotografou era uma anta e pegou só um pedacinho do Nietzsche e do livro … agora sim, estamos prontos para ver a catalogação da BN e é “A Relíquia de Eça de Queirós” por Marcatti
Pois é, é disso que estamos falando: o livro A Relíquia, que agora em formato HQ ou graphic novel mudou de título para A Relíquia de Eça de Queiroz, por Marcatti.
Entenderam? mesmo? Diverdade? É o mesmo livro? É outro? É um avião?

E olhem o que nos diz Marcatti, o estupendo desenhista das histórias em quadrinho escatológicas e de gosto duvidoso: *a-do-ro este aposto que ele arranjou*

Adaptar A relíquia de Eça de Queiroz foi mais prazeroso do que um desafio. Logo de início, a história me sensibilizou por sua força e sarcasmo. Acabou por ser muito fácil construir seu roteiro. Simplesmente roubei a trama original e a tratei como se a idéia original fosse minha. Reescrevi todo o texto a meu modo, mas procurei manter o mesmo espírito e a mesma contundência original do mestre. Somente em duas ou três ocasiões utilizei trechos escritos pelo Eça. Destaco o recordatório do primeiro quadro da página 196 do livro. O conteúdo é demasiadamente ousado e eu não poderia ocultar tamanha coragem de Eça de Queiroz em escrever tal coisa no final do século 19.”

Pois é isso, por uma questão de … talvez de “grace under pressure” (onde que eu fui arranjar isso?) mas não queria expor a opinião de meus queridos amigos que responderam a respeito, e ficar muda e queda, calada e sem *me dizer*. Sem dizer, nem que fosse de forma sub-reptícia;-) que A Relíquia de Eça de Queirós por Marcatti, é um livro bonito. Mas não é Eça de Queirós.
É o que eu tenho a dizer e claro, por extensão, isso responde a terceira pergunta que fiz.
BTW, estas foram as perguntas e tomei o silêncio de alguns como uma recusa (Gente, tenham cuidado com o que fazem do seu *SILÊNCIO* -é a linguagem mais perigosa, pois dela pode-se inferir t-u-d-o, coisas antinômicas, inclusive. (já pro dicionário:-)) e não me venham com outros “dicionários”, mas no mínimo o Caldas Aulete, e no máximo, o máximo BLUTEAU, the Real Mc Coy)
De modo que agora posso publicar a primeira resposta-interview. Não há ordem, a não ser a de chegada e mais ou menos aquela que eu falei, de um sim, outro não. Certo? Então como eu publiquei aquela bem sucinta , publico uma longa, bonitona:-) que me deixou de bom humor por uns 4 dias:)
É do Claudio Boczon, como não poderia deixar de ser, e na segunda, publico outra que é uma loucuuura. Menino bom de serviço!
Voilà, ipsis verbis:

“Vamos lá, quiném o Jack, por partes:1- Vc gosta de história em quadrinhos? Já gostou em alguma época?
Não só gosto como aprendi a ler antes de ir à escola graças a elas (e à Vila Sésamo também)
2- Se sim , quais seus personagens favoritos, mesmo que tenha um dia gostado e depois não mais?
No início, mesmo antes de saber ler, gostava muito do Tio Patinhas e do Superpateta; depois migrei para o Peninha/Morcego Vermelho, também era fã do Horácio e do Bidu (do Maurício de Souza); quando comecei a frequentar a Gibiteca de Curitiba, devorei tudo do Asterix, conheci a Heavy Metal e com ela o Ranxerox e a Valentina – ai,ai! (suspiro!). Bom, minha última “ídala” dos HQs foi a Druuna e agora não tenho lido muito não, infelizmente.
3-Você acha que história em quadrinhos (HQ) ajudaria as pessoas (principalmente os adolescentes) a lerem mais, (inclusive os clássicos, como Machado e Eça e outros?
Craro, Creuza!
Lembro de ter lido Ivanhoé, o Corcunda de Notre Dame e alguns contos do Poe em quadrinhos, sem falar na versão das “20.000 léguas” do Julio Verne que saía em partes nas revistas da Disney

ps: sobre folhear histórias em quadrinhos sem saber ler, tem uma do Tio Patinhas em que ele e os sobrinhos vão até Atlântida e lá descobrem como os habitantes foram se adaptando à medida que o mar ia subindo (ou a terra descendo, sei lá) – eu havia criado uma versão toda minha, e quando aprendi a ler de carreirinha, tenho bem viva na memória a descoberta que foi conhecer a história verdadeira, tenho até hoje uma certa fixação com a idéia de escafandristas que um dia irão descobrir nossas ruínas; daí você pode imaginar como me senti quando ouvi “Futuros Amantes” do Chico ou assisti ao final do “I.E” do Spielberg…
beijocas
Claudio

=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=~=
Queridos nessas horas “baixa de frente” a entidade que gosta mas não quer mais fazer blog e que só quer ler, ler, ler e claro, rir , rir, rir.
Mas perguntar também, certo? what a hell é esta Druuna? Eu ia perguntar pro meu amigo que sabe tudo, mas ele está meio aborrecido comigo. Logo não faço mais perguntas, nem sobre Nick Cave, nem sobre o deus Tom Waits (gente, não quero desviar a atenção das respostas do Claudio, mas aqui pra nós:quem é o ser (humano ou não) *vivo* que não gosta do Tom Waits e do Lou Reed, Good God!? Eu num sei não…;-)
Pronto, o afilhado meu é todo de vocês para receber aplausos, vaias não sei se estão liberadas.
E andem, senão eu publico o escritor Ricardo (Ramos) Filho. Cujas respostas tiveram um efeito devastador no meu implacável mau humor.
Ah! e além de Druuna, o que é I.E. de Spielberg? É o A.I.?
=-=-=-
AINDA dentro do tema leitura e literatura mas não só:

SE VOCÊ quer conhecer um blog descolado vá até aqui.
Mas voltem, hein, seus ingratos;-)
Esse pessoal do Paraná, não sei não..mas;-)))
MARTA BELLINI ! ponto de exclamação. Bookmark, OK?
De nada, de nada. Só não esqueça que vc leu aqui… assim pra não quebrar o costume… Comme d’habitude:-) Ah! ela concorda comigo – e como podia ser diferente sobre a importância da Lulu, viu? Eu a do rei!

DOMINGO!!!!!

música de hoje e forever; para você que duvida do Tom Waits.

Tudo bem é com Diana Krall, mas pode ver (ver?) Tom Waits aqui. Ok, ok, you’re welcome, mas escolha, por favor, a versão BETA.
[odeo http://odeo.com/audio/2130444/view%5D

=-=-=-=-=

IMPORTANTÍSSIMO: Diana Krall está aqui, graças ao querido Fausto Rêgo, do UMOREMIO. Claro!

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

28 Responses to HQ e incentivo a leitura II – publicando resultados. Hear! hear!

  1. Carlos says:

    “Druuna is a popular erotic science fiction and fantasy comic book character created by Italian cartoonist Paolo Eleuteri Serpieri, featured prominently in Metal Hurlant and Heavy Metal magazines.” (Fonte; Wikipedia). A arte é muito boa (e a Druuna idem:-), de frente, de lado e principalmente de costas), e em algumas histórias beeeem…. explícita. As histórias, aquela coisa bem Metal Hurlant, quem se importa com histórias, o que interessa são os desenhos.

    ======
    Wow!
    Oh boy!
    How enthusiastic!

    Também, pra que que eu fui perguntar?
    Mas me diga, Heavy Metal , ou melhor, a Metal Hurlant não era edição francesa da Heavy Metal?
    Ou são revistas independentes?
    Tá bom, Ok, eu mesma devia ir pesquisar, mas… vcs também podiam facilitar um pouquinho.
    Aqui não é o blog do Pedrinho Dória, não é:-o)?

    O que esse Claudio andou aprontando:-)
    Aliás, é nisso que parece estar a fonte de um certo preconceito contra HQ, não acha?
    beijo
    M.

  2. Carlos says:

    Druuuuuuna!:

    =-=-=-=-=-=-=
    Speakin’ on depraved…
    She has an severe escoliosis,
    Oh these lads, las!:-o(

    :p
    M.

  3. Carlos says:

    Irrelevância. “Hear! Hear!” imediatamente me remete a West Side Story, “Gee, Officer Krupke”:
    “Hear ye, hear ye. In the opinion of this court, this child is
    depraved on account he ain’t had a normal home.”

    =-=-=-=-=-=-=-=
    Oh!!!!!!
    this apparent and enticing irrelevancy remembers a gap in my cultural life.
    Shame on me.
    Thx
    x’s
    M.

  4. Carlos says:

    “Scoliosis”, M. E eu pelo menos não estou vendo qualquer severa torsão *lateral* na moça. Uma certa lordose talvez, mas no caso se inflói só contribói na hora de… dar uma abaixadinha, e como ela se – aw, forget it. Taradinho o Serpieri, não?

    =-==-==-=-=
    Excuse me???!!!!
    Who is … aw, forget it.
    Frankly, dear!

    Scoliosis, yes.
    My mistake.
    thanks a lot!
    I’m not a expert;-))

    Hey, SNL , now on Sony, if you like.
    Do you?
    M

  5. Lucas Rocha says:

    O Carlos está pegando leve, Meg :)
    Esse reino das heroínas eróticas é populoso.
    Saiu aqui no Brasil há cerca de uns 5 ou 6 anos uma versão em quadrinhos da obra do Marques de Sade incluindo JUSTINE , toda feita pelo Guido Crépax, na ótima coleção Opera Erotica que inclui mais dois outros trabalhos de Crepax: A Vênus de/das Peles, do Sacher- Masoch e Emmanuelle, de Emmanuelle Arsan
    Mas as mais importantes, acho eu, foram Barbarella do J. C. Forrest Valentina do Guido Crepax.
    Acho que estão esquecendo um mestre que é o Crumb.
    Há mesmo um linha Disney porn: Wendy, Alice, Dorothy et caterva
    Como eu te disse pelo telefone, esse mundo é um novelo emaranhado, como diz a Clara
    Existe uma Aurelia Schwarzernagger , no traço e que era projeto de filme do Carlão Reichenbach.:)
    Há comic books até de personagens não-literários, mas reais como a Bettie Page.
    Quer minha opinião? Literatura e HQ estão entrelaçadas há muito tempo. Esta questao não é nova e nunca houve problema.Exatamente porque fica nesse terreno do erótico que para mim não tem diferença do pornográfico.
    Acho que agora o que está havendo é uma espécie de onde dos prude : os clásicos são intocáveis. Tô com o Marcatti, o Eça era muito ‘avançado’ pro tempo dele. Vais deixar de falar comigo, mas acho Eça superior em muitas coisas ao Machado.
    Se ajuda ou não ajuda a ler mais ? Nem uma coisa nem outra. Cada um na sua prateleira da estante.
    Um beijo

    =-=-=-=-
    beijo.:-)

  6. denise says:

    Meg, querida, é só eu dar uma sumidinha e você produz textos desvairadamente, ui! Não dou conta de tanta informação. Meus neurônios andam meio avariados, sabe? Quanto ás HQ, acredito que sejam um ótimo incentivo para a juventude se interessarem por literatura.
    beijo, menina

    =-=-=-
    Oh Denise querida..
    Não é que eu produza texto desvairamente.
    O negócio é que você, com justa razão não lê os meus posts, querida

    No harm done, eu também não leria se visse posts tão grandões assim.
    É que não sei escrever.
    Sou prolixíssíma.
    Beijos e fique bem:
    adorei sua opinião que tem mais valor ainda por vc lidar exata e justamente com o tema, não é?
    AMANHÃ, prometo esta saga termina:-)))

  7. Sophia says:

    Queria saber como foi a experiêcia de Claudio entre o que imaginou quando não sabia ler e como foi a história real quando aprendeu a ler.
    Foi muito diferente ou era parecido?.
    Eu acho muito bela a cancão Fututos Amantes.
    Um abraço
    Sophia

    =-=-=-=
    Sophia K, putz, ula la!
    seja muito bem-vinda.
    Saudades de você.
    Não desapareça
    Vou escrever email para cOK?

    ===Agora é esperar o CLAUDIO pra ele responder.
    bisou
    Maria.

  8. Orlando says:

    Querida Meg
    Gostoso encontrar seu blog navegando pela madrugada, quando imaginava que já tinha se perdido. Seus amigos estão ganhando com isso. E os leitores tambem!
    Way to go!
    Para não perder a viagem, pergunto ao Claudio o que ele acha dessas adaptações? Porque para o desenhista, o artsta grafico o que importa não é o traço? Será que o comteúdo será prejudicado(nem todos vão se ilustrados pelo marcatti aí de cima.
    E outra, que livros ele escolheria para serem ilustrados e que artista (s) ele indicaria,
    Claudio e Carlos, a Druuna está firme e forte, Mas ouvi dizer que trocou de time)
    Agora vou ler o blog descolado:)
    Forte abraço
    Orlando

    =-=-=-
    Ueba!!!!!!!!
    Vc por aqui qué rico!;-) Vamos esprar o Claudio para responder, não é?
    V~e se agora volta sempre, não é?
    beijos
    meglyn

  9. Eduardo.P.L says:

    Meguita, obrigado pela dica da Marta Bellini. Muito bom blog, e de lá fui ao Solda, igualmente bom! Obrigado e beijos de bom Domingo.
    =-=-=-
    Obrigada, querido:
    O SOLDA foi tema de um post aqu no SUBROSA;-)
    e devo a indicação , ao Claudi Boczon
    beijos
    Meguita

  10. rose prado says:

    Autorização

    Autorizo Elisa D. que não é Adèle H. Nem G H da Paixão a publicar quaisquer textos medíocres ou não que eu, Rose Marinho Prado, colocar, falando de educação ou falta de educação. Ainda mais aquele texto em que eu afirmo que lia Luluzinha e Peanutz – e omito que lia tudo do Disney – quando criança – e omito que sempre tive preguiça de ler Mafalda e omitototototo que não gosto de Maitena( que nem HQ é direito) tenho sempre enjôo quando vejo o traço daquela mulher e leio as histórias- que deprimem qualquer mulher passada dos digamos rs 40 anos. Odeio Maitena, aproveito a escrever. Mas isso não tem nada a ver.
    Omiti também que tenho inveja quando vejo a produção dos cartunistas e de alguns desenhistas de HQ cujos traços são tão bons que fico humilhada. Isso porque pensando bem não gosto mais de HQs, acho que por pura frustraçã ~~~~~~

  11. Marta Bellini says:

    Meg!

    Nossa, ontem fiquei super em descobrir teu blog e o da Lula. Diletos, estão indicados… Sei lá de onde saiu Metro… vou corrigir, hehehe

    Obrigada pela indicação…Vc está nos favoritos!

    Bjs
    Marta

  12. Rose;-))))))
    bem, eu *TAMBÉM* te adoro, só não sou é genial, como você.
    Beijos
    M.

    A todos , fiquem felizes, ouvindo e vendo Tom Waits
    A Diana Kral é presente do Mosca, mas não sei fazer quelas players bem pequenos e delicados.
    Bom fim de fim de semana.
    M.
    Queria dizer que sinto imensa saudade do Nelson TWO;-)

  13. Não é KRAL é DIANA KRALL !
    Dammit!

  14. “Temptation”

    (TOM WAITS)

    ( Diana Krall)

    Rusted brandy in a diamond glass
    Everything is made from dreams
    Time is made from honey slow and sweet
    Only the fools know what it means
    Temptation, temptation, temptation
    Oh, temptation, temptation, I can’t resist
    Well I know that she is made of smoke
    But I’ve lost my way
    He knows that I am broke
    But I must play
    Temptation, oh temptation, temptation, I can’t resist
    Dutch pink and Italian blue
    He is there waiting for you
    My will has disappeared
    Now confusion is so clear
    Temptation, temptation, temptation
    I can’t resist
    Temptation, temptation, temptation
    I can’t resist

    [ http://www.azlyrics.com ]

  15. Carlos says:

    Lucas Rocha dixit:
    O Carlos está pegando leve, Meg :)
    É, como dizia a (personagerm da) Liana Duval no Rei da Vela josecelsiano, “eu sou uma lady, p%**@!”.
    “Então, eu vou brincar de jacaré com o americano…” (Dina Sfat, op. cit., como Heloísa de Lesbos, de biquíni prateado, aaaai).
    Barbarella e Valentina (e Jodelle, e Paulette) foram marcantes não só pela nudez (muito antes delas, nos anos 30, a Jane, do inglês Norman Pett, já aparecia peladona nas tirinhas); principalmente porque, parafraseando Vinícius, “eram moças que davam, deixavam, mesmo no mar”.
    As moças euenses começaram a dar / deixar com os comix, ou comics “underground”, em grande parte influenciados pelos europeus, mas até mais pelo Zeitgeist (aliás, existe uma personagem chamada Phoebe Zeit-Geist, se bem que, embora passe praticamente toda a história em sua dela “birthday suit”, *não* dá / deixa, está mais para “damsel in distress” tipo Perigos de Paulina) dos 60. A grande diferença era que os desenhos dos comix eram propositalmente caricaturais – o Crumb é típico, com suas negonas adiposas -, enquanto os dos europeus eram mais… realistas.

  16. Carlos says:

    >Bettie Page
    Pra ver como as coisas “pop’ se embricam. A “redescoberta” da Bettie, três décadas após ter saído de cena, se deveu a uma HQ, The Rocketeer, do Dave Stevens. O qual tomou os traços fisionômicos (e anatômicos) da própria para criar a personagem Betty, “pin-up” e namorada do peronagem-título, Cliff Secord.
    Mas quem *posou* para os desenhos do Dave foi sua então esposa Charlene “Brinke” Stevens (formada em biologia marinha!!!!!!!) e depois atriz de filmes B a Z (e dulcíssima pessoinha, esteve no Rio em 1986, por aí). Ironicamente, quando a Disney fez uma versão cinematográfica da HQ, obviamente pra lá de açucarada, a Brinke foi *rejeitada* para o papel de Betty com a alegação de não ser suficientemente “quatrocentos talheres” (e não era, é, mesmo); e olhem que, claro, a Betty do filme é uma lambisgóia esquálida, nada a ver com a dos quadrinhos ou a Bettie, que tinha(m) um corpaço de violão.

  17. Lucas Rocha says:

    Carlos
    Não estava fazendo ironia.
    Interferência apenas pra tranqüilizar a Meg, minha amiga, que insinuou que o Serpieri era “perv”, ou coisa assim
    Estava assegurando que há muito mais coisas do que sonha… a nossa filósofa.
    Eu estou provienciando, para ela, um exemplar do Lost Girls do Allan Moore :)

    Sim, o filme fez água, chato porque a Bettie Page (ainda está viva? soube que ela virou evangélica ) merecia ser conhecida. Desperdício!

  18. Carlos says:

    Nem eu supus semelhante isso, Lucas. Se a gente for adentrar esse pantanoso terreno das perversões, explícitas ou não…
    Tanto quanto eu saiba – pelo menos não me lembro de ter lido obituário – a Bettie ainda está viva, já octogenária. Ao que parece, pirou. Teve uma vida pessoal complicadérrima.
    Ícones petencem a seu tempo. Alguns(umas) sacodem a poeira e dão volta por cima, outro(a)s não. O que não lhes diminui o valor icongráfico.
    (La Signorina Valentina Rosselli- la Signora Rosselli-Rembrant? -, se real fosse, estaria hoje com meia quatro muito brm vividos e mais ainda sonhados. E a Modesty Blaise estaria – presumivelmente, nem ela sabe ao certo sua própria idade – emplacando setentinha, ou perto disso.)

  19. Magaly says:

    Nossa! Tem gente sabida demais no assunto por aqui, o que me mostrou que sou muito mais ignorante do que eu própria me imaginava. Continuo a pensar limitadamente que HQ é uma forma de linguagem, como o é a linguagem do cinema, a da televisão, cada uma com suas caractríticas próprias e suas regras, mesmo que uma se imiscua no terreno da outra, caso do Relíquia de Eça, do Alienista de Machado. Deixo a palavra com quem tem conhecimento da matéria

    Fiquei impresionada com a categoria do blog da Marta Bellini. Ela respondeu lindamente à questão dos 20 livros que a marcaram. O dela como o da Lulu são blogs exemplares.

    Gostei da interpretação do Tom Waits, mas não fique triste que me bandeie para a Krall. Faz tempo que sou fã de carteirinha da Diana. Aliás, há algum tempo gravei um DVD do show dela em Paris. Se não tiver , posso tirar uma cópa e mandar pra você, é só falar.

    Já falei além da conta pra quem não tem muito o que acrescentar à matéria.

    Bom final de domingo.

  20. Carlos says:

    Tanto quanto eu saiba, a Bettie está viva, já octogenária, pelo menos não lembro de ter lido obituário Parece que pirou, não sei se já se recuperou. Teve uma vida pessoal complicadérrima, esteve em cana, passou por traatamento psiquiátrico, the horrors.
    Ícones pertencem a seu tempo. Maldade nossa com as (os) sobreviventes, fantasiar que seriam hoje o que foram décadas atrás, e em outro contexto(tira esses oião de mim, Brooksie, ou eu viro seu retrato de cara prá parede).

  21. Magaly, minha querida, minha linda, minha amorinha:
    olhe, estou num chat aqui com uma pessoa que está fazendo a mesma coisa que vc e me desculpe, vou dizer também a mesma coisa par você: mas não conte comigo como cúmplice para falar *mal* de você;-)))). Você além de ser uma das minhas mais preciosas comentadoras/comentaristas(?),- um favor inestimável que me dispensa, mesmo tendo o seu maravilhoso blog o EU PENSADO aqui: http://eupensando.blogspot.com – é uma das pesoas mais cultas que eu conheço, e com gostos até muito mais elevados do que os assuntos aqui tratados, por exemplo: Elvis Presley (hohoho) musica pop , filmes , seriados de TV. E eu a invejo por isso.
    E neste caso, das HQ eu já dise e repetirei que vc fez um tratado sobre as HQ no Brasil. E foi bárbaro!
    Agora, de fato, numas duas ou três coisas eu concordo com você: tem gente que tá sabendo dimais da conta, ou melhor, além de eles saberem, EU, a ragazza aqui, não sabe nada.
    E, por incrível que pareça, tudo o que eles estão falando, inclusive esta coisa do meio erótico e meio pornô, é muito interessante e altamente enriquecedor na minha cisão crítica acerca do nosso “atual assunto atual. Indeed!
    Sabe, pelo que pude inferir até o momento, acho que se tem um preconceito tipo assim: ah se for HQ então é um facilitador , um barateamento da leitura ( moi, Meg, y comprise).
    Ou então como um formato mal visto que não sustenta ou comporta a excelência (entre aspas)
    confesso que pensava assim. Mas, agora estive falando com pessoas amigas e realmente estou mudando de idéia.
    Resumindo: a relação entre HQ e literatura é divida em duas posições (ops): 1-ou a HQ é banal demais, muito simples, naif, ou coisa de baixa extração. (Lembre a resposta do meu querido Eduardo Lunardelli, que só agora tomou conhecimento do Suelda. E gostou.
    ou então de fontanarossa:-o(
    Mas é interessante ver como há arte nos cartnistas, nos desenhitas, autores das tiras etc.
    Poucas mulheres, praticamente só homens .
    2- ou assimétrico, o contrário: é muito picante, o dsenho é tão preponderante que ou se prescinde de um texto com qualidade ou então é preciso um texto específico mas onde vigore os temas com viés sexual,
    ou coisa semelhante.
    E isto eu vi, pesquisando as opiniões dos próprios desenhistas, artistas gráficos /adaptadores.

    Sabe, Magaly; vou confessar a você.
    Pra mim mesma eu estava achando que a discussão estava se tornando boring, chata e que não ia a chegar a lugar nehum.
    Agora, com essa visão, eu estou achando que *EU* é que fui a maior beneficiada.

    E, finalmente, no que diz respeito à questão de fundo, se isso leva ou não a um incremento:-) do gosto pela leitura sou forçada a concordar com meu amigo Lucas.

    E você teve um papel *DECISIVO* ao fazer aquele histórico, que se permite, gostaria de publicar lá no “Textos especiais”. E sou-lhe muito grata por isso.
    =-=-=-=
    Agora, Maga, quanto à última questão sobre a indicação do blog da marta, modéstia às favas, posso até não ter mais o antigo prestígio (que, aliás só quando eu o perdi é que descobri que tinha hoho e pisc*)mas o *Sub Rosa* AINDA se orgulha de só indicar o que é bom.;-)
    Não menos. E às vezes até mais que bom.
    Afinal, nunca foi outra a vocação e o objetivo maior do SR : ser um blog de divulgação.
    E vc é testemunha de quantos blogs começaram e evoluíram e quantos e tantos talentos foram revelados;-)))

    Fora a fábrica mundial de exportação de modéstia, que estou implantando. tee hee!
    beijos, minha beloved friend.
    Sua
    Meggy
    ===
    PARA O EDUARDO: (e todos)
    FONTANAROSSA:
    http://www.negrofontanarrosa.com/main.htm

  22. Meg, querida,
    É certo que hoje é segunda-feira. Falando em HQ, é o dia em que me sinto Garfield. Nada é capaz de dar conta de meu mau humor. Ainda faltará uma semana inteirinha para que possa me afastar do trabalho e ficar quieto em meu canto, lendo. Droga! Mas ver essa mesa cheia de livros adaptados para HQ, toda essa disposição infernalmente bem arrumada, meu deu ganas incendiárias. Vontade louca de botar fogo em tudo. Foi a primeira vez que concebi, com certo agrado, a idéia de uma fogueira de livros.
    Beijo

  23. Yvonne says:

    Meg, respondi o questionário somente hoje, mas valeu a pena. Beijocas fofíssima.

  24. Pingback: Um dia a menos

  25. Meg, troquei as bolas, quer dizer, as letras. O filme do Spielberg é I.A., ou A.I. (aí no original) desculpa o trocadilho ;-) e a Druuna já foi devidemente apresentada a todos pelo Carlos

    Bom, o Media Player está no modo aleatório e quando começou a tocar uma do Tom Waits na vitrola binária (Telephone call from Istanbul), tomei tento de responder.

    Sophia, as versões que criava sobre as HQs me pareciam melhores que os originais, já que como a leitura era apenas visual, meu enredo era baseado nos símbolos que conseguia identificar e neles eu depositava minha própria experiência e anseios; e, quando aprendi a ler, lembro de sentir certa frustação por não assimilar as imagens que via com o texto que as acompanhava. (claro que, à época, nem sabia o que era isso de significado e significante – pensando bem, até hoje me confundo).

    Orlando, talvez possamos pensar a compressão da obra para os quadrinhos como um processo semelhante ao storyboard dum roteiro para cinema. É bem provável que o artista releve alguns aspectos da obra literária e deixe outros de lado, a menos que seja passado a ele o quê deve ou não abstrair. As obras “quadrinizadas” que citei foram as que lembro de ter lido na puberdade, e tenho para mim que foram influências sim para que eu buscasse ler os originais. Quanto a indicar livros, um que me ocorreu foi a “Ilha do dia seguinte”, do Umberto Eco – e para uma tarefa dessa monta, chamaria o Laerte ou o Luiz Gê que têm, na minha opinião, cacife para saber ler, interpretar e correr o risco.

    Abraço pros moços e beijos pras moças.

  26. Incríveis os resultados. Eu não tinha muita opinião a respeito.

    The piano has been drinking. Adoro quando Tom Waits senta no piano e saúda a platéia com o mais trovejante dos good evenings que já escutei. Credo!

    Beijo.

  27. Oha só, gente, não é por eu estar na minha própria presença e nem na prsença do meu maravilhoso e humilde blog;-)) porém, sinceramente, se este blog não fosse “meu”, eu ia ficar com um bruta inveja de mim mesma.
    UaU..
    Olha só de novo.
    Eu estou tendo um probleminha para entrar nos próprios comentários e responder abaixo dos próprios comments.
    Mas logo vou entrar aí e respondo,
    Por ora, eu deixo milhões de beijos para a Marta Bellini (parente do capitão que erguia a taça ou copa do Mundo, Marta?
    Digo ao Claudio que o dia em que um comment dele ou um email não tiver trocadilho ou eu vou desconfiar que não é autêntico “Boczon email” ;-) ou corto os pulsos. E ai, não me mate de inveja. Vc tem o ‘callI from stambul do e com Tom Waits…? espere aí ;-) que vou ali desmaiar e talvez volte, talvez não. Vou responder com se responde aqui na minha terra e na terra do Ancelmo Góis: “Mentiiiiraaaa!!!!!!!!!!
    Este mundo é injusto mesmo. E olhe, é dele Girl from New Jersey ou New Jersey Girl que é do sound track quase inteirinho do filme do mesmo nome do meu quilido Kevin Smith? Hein? Hein? Lindo film, aliás, apesar do Ben Affleck!
    Eu havia me decidido a só ouvir música brasileira, mas não posso. (Marco Sacrramento, Caetano Chico e Gil e Olivia Byington , a Oliby e Aracy( mas assim não dá, néanh?
    ===
    Lord, eu entendo como se sente, eu entendo mesmo, oh my Lord.
    Mas providenciaremos um escape para vc.. ;-))))
    Beijos.

    E agora o meu queridíssimo ninguém, pelo menos eu acho -http://umdiaamenos.bandolo.net/2007/08/27/jules_feiffer_culpa/Krig -Ha Bandolo!
    Way to go, guys.
    Volto djá ou amanhã.
    Afinal , o que é o tempo, né?
    Beijos a todos
    Meguita
    ==
    P.S Os últimos serão os primeiros: Oh Milton!!! Oh Milton!
    Dizer que é por isso que eu gosto de voc~e seria verdade, mas não seria justo.
    Mas … que bom que vc gosta dele.
    Tom Waits na veia, Sempre.

  28. Luma says:

    Meg!! Quanta informação!! Esses clássicos apresentados não são incentivos para crianças ou adolescentes lerem. As crianças hoje estão na fase anime mangá, o apelo visual é grande! Não só nas crianças mas também adultos. Estamos numa fase visual, onde a estética é o centro do universo. A complexidade das histórias dariam um giro em Nietzsche. As histórias precisam de dinamismo, muita sequência e ação!
    Eu sou de outros tempos, mas sempre fiz coleção. Comecei com Maurício de Souza, até que um dia me deram de presente um exemplar de Tintim. Fiz um postezito http://luzdeluma.blogspot.com/2006/01/tin-tin-minha-infncia.html – O universo é grande, várias teias, cabe Homem Aranha que de tão popular está vulgarizando! hehehe liga não! É fã de Batman falando! Beijus

%d blogueiros gostam disto: