HQ (nona arte?) e incentivo à leitura (I) (UPDATED)

Queridos todos, todíssimos:
little_king_soglow.gif
The Little King, criação de Otto Soglow. Para saber a respeito dele e ver uma “tira” , clique aqui.
(“tira”? strip? bande? Ah! não, não há glossário aqui, eu não ia ser doida de tentar fazer;-)”No hay banda!”

Sabemos que não tem nada a ver, mas bem que podia: Sois rei:-)
Maravilhosa lembrança do não menos UMORE MIO REPORTER (esse nome é*irado*)
bunch of thx

Então;-) tentar dividir com vocês pensamentos idéias e opiniões à respeito de como e se as HQ influenciam, se ajudam ou não, se incentivam ou não a leitura, principalmente um público mais jovem, a saber os *teens e pre-teens*, nome que engloba os adolescentes, a ler, a terem mais gosto para a leitura, inclusive de clásicos como Machado e Eça de Queirós? foi mergulhar no Estige (Στύξ Stýx) .
(Hiistória em quadrinhos, no Brasil, e aos quadradinhos, em Portugal (oh!) , mas depois que eles entraram … bem mudaram e agora em Portugal chamam de banda desenhada, chupando, em tradução ao pé da letra,  os franceses , que desde que o mundo é mundo já chamavam as HQ de Bande Dessinée (de Astérix, Obelix eteceterrá até o grande Moebius, de quem eu tenho uma carta que lhe foi dirigida por Federico Fellini. Em inglês nem precisa dizer e conserva o nome em alemão, e possivelmente no Japão se pode chamar anime ou mangá. Pois bem, ao tentar entrar nesse mundo, vi que não havia salvação. Como Dante, eu precisava de um Virgílio ou vários, pois de HQ eu sabia era nada! Mas… noblesse oblige, e eu resolvi então, não esperar mais pois esse tal mundo maravilhoso estava me fazendo não dormir (e eu já sou insone de primeiro grau): mar encapelado. Quanto mais me falavam, mais eu esquecia, sei e não sei quem é um tal de Corto Maltese, The Spirit , aquele gato krazy:-), de graphic novels, e – deixei-me ficar com meu personagem favorito, que é desenhado mas em livro … que é o meu amado Petit Nicolas, criação imortal, não de Péricles, mas de Gosciny que também cirou o Astérix) e do ilustrador Sempé.
(merci toujours, Aliki). And enough is enough!
Aceitam-se correções;-)
Bem, como sabem, enviei a pessoas que têm afinidade com o Sub Rosa (c’est moi -))) três paupérrimas perguntas para os meus chics leitores. Com endereços de email expostos, e peço perdão por isso, para que as pessoas soubessem quem mais estava me ajudando.
As pessoas foram generosas em suas respostas e algumas, a quem agradeço vivamente, foram gentis o suficiente para declinar da tarefa. Obrigada a essas pessoas maravilhosas que como diz o poeta, vivem “num tempo de delicadeza”. Obviamente, isto não diz mal das pessoas que não responderam e não se manifestaram. Sinceramente, quando fiz a enquete:-) fiz a medo, medo de importunar, medo de roubar o tempo das pessoas e – sim, também – medo de depois não saber usar os dados. Afinal, quem foi que me disse que eu trabalhei no IBGE;-) ou no CNPq?- (gracinha, com meus colegas pesquisadores).
Pois nesse medo eu estava, quando hoje ao ler os jornais, fui brindada com isto:
assasinato_campo_golfe.jpg.assasinato_expresso_oriente.jpghercule_poirot.jpg
Sim, senhores e oh yes, milord!
Na merry old Albion, como (nem) todos sabem “os livros da escritora britânica Agatha Christie, já imortalizados em filmes (cinema), televisão e palcos, foram transformados em histórias em quadrinhos […] mais de um bilhão de cópias de seus livros já foram vendidas em inglês”. Apenas William Shakespeare (oooh!) já foi mais lido que a autora segundo o Livro Guinness dos Recordes“. E para que mesmo? Ora quem diria? fechem a boca: “O relançamento das obras nste formato é um esforço para fazer com que Agatha Christie – a segunda autora mais vendida no mundo – seja mais conhecida de uma geração mais jovem de leitores”.
Sim, quilidos: Agatha Christie Comic Strip

I rest my case;-)))
—-
OK, vou publicar as respostas mais *maneiras*, não porque as de todos não sejam, por exemplo, uma escritora, a advogada mais maravilhosa do mundo (bom, um pouquinho depois da minha brave tyger, que essa é maior que o Denny Crane), pois bem, Paula Abreu, minha amiga queridíssima, mantém o mais acessado site especializado – melhor blog jurídico, o Dynamic Layers, e mais o favorito das multidões no Blogworld:  Epinion .Em ambos, ela trata enfaticamente do valor da leitura: mantém Clubes de Leitura -estão lendo agora o Tristram Shandy de Laurence Stern e – interesantísimo, ela ainda não chegou aos 30 anos. Era, portanto, para mim, muito importante perceber, sentir reações de pessoas como ela (ainda se evitam cacófatos?) bem como a opinião de pessoas que, como eu – (Valei-me Santo Ambrósio!) cresceram lendo livros como O Processo de Fanz Kafka, o Crime e Castigo de Dostoiewski  (Iswear) mas ainda sonhando que o Fantasma (Phantom) viria me buscar, um dia, ah! um dia largaria da Diana Parker e viria. E quando não veio, eu dei-lhe o mó desprezo e apaixonei-me perdidamente por Tarzan, cuja foto vai aí abaixo, e que esteve com Jane só para disfarçar. Mas este Tarzan que lançava aqueles uivos para a lua (saibam todos, por amor a mim) – bem, é um personagem que veio da literatura. Da mente de Edgar Rice Burroughs. Mas quem lembra disso? Quem sabia disso? Talvez porque para nós, uma coisa era uma coisa e outra coisa era… outra coisa. Talvez.
weiss_maureen.jpg

E eu volto assim que puder, e então, já publicando as respostas.
Ah! sim: muito embora eu tenha perguntado por personagens favoritos e foram citados desde os er..Katzenjammer Kids, maldade de um grande e muy amigo;-) são Os Sobrinhos do Capitão, Luluzinha, (Bolinha não foi citado por ninguém), Mafalda do Quino (como se houvesse outra), Valentina, e campeã absoluta, Mônica, e sua turma, do bom Maurício de Souza e muitos, muitos outros, ah sim, o Woodypecker (O Pipacapu), Tio Patinhas que ganhou do Pato Donald (conhecido como Pato Donaldo, em Portugal) e outros, mas o quente mesmo é a última pergunta: “3-Você acha que história em quadrinhos (HQ) ajudaria as pessoas (principalmente os adolescentes a lerem mais, (inclusive os clássicos, como Machado, Eça, e outros?)

Bom, por ser uma jóia de tão sucinta, publico logo a resposta do Antônio Augusto, a quem tanto devo e que é meu maravilhoso amigo de Orkut:
“Nãããão ao 3!”
Obrigada, Antônio. Valeu!;-)

E reforço minha gratidão por todos aqueles a quem incomodei.;-)

(*) grifo meu)

ATENÇÃO : NAO ESQUEÇAM: HOJE , último episódio da 3a temporada de HOUSE, MD que eu acho que todos já viram, bitorrentiado, but me. :o-((( . Mas quem viu diz que é do barracobasco .-)))))))))))) © TeClaudio BocSON

ATTENTION,  PLEASE: “Zérramos”, oh my gosh!

1– O autor do ensaio  “SHEENA e as  tarzanas” é Carlos Eduardo A. Martins e não outro a quem,  eu, certamente, indignada com o look da Jane ali acima, erradamente,  atribuí  a autoria, no post anterior. Mea culpa . Desculpem, sim? Foi publicado na prestigiosa revista on line La Insignia. Insisto na importância e riqueza do conteúdo, notadamente, pelas preciosas notas.

2- Sono felice dipinto di blu: Comemore comigo, as letronas são coisa do passado, nunca mais virão me atormentar: a partir de hoje, graças à pessoínha , a minha querida  Cat, o Sub Rosa passa a ostentar  l’élégant *font* Georgia. Merci, ma belle. Iuhuuu! Felicidade, enfim!;-)

3- Desculpem, mas eu mando um beijo (ok, ok, eu sei…é terrívelmente XuXa) para a minha linda amiga O’Sanji e claro, para o Nelsinho, El Gran Señor   e  sua lady, a doce e linda,  N.
Claro, que eu também concordo com vc que está lendo, mas what can/could  I do? I’m happy! That’s that! e como diz Sir Elton John, esq. :”That’s What Friends Are For”.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

19 Responses to HQ (nona arte?) e incentivo à leitura (I) (UPDATED)

  1. palpiteira says:

    MEG, o Bolinha! Isso mesmo. Esqueci-me do Bolinha e acho que do Riquinho. :)
    Bom, bem cá entre nós, eu sou do tempo da – ai, meus sais! – fotonovela. Eu passava tardes com a cabeça afundada em revistas de todos os tipos, graças a uma tia que não vivia sem elas.
    Querida, reforço o que disse no e-mail: não foi incômodo, mas um prazer e estou sempre à sua disposição. É o mínimo que posso fazer por quem tão amavelmente me ensina sobre tantas coisas diariamente.
    Eu é que agradeço, tá? ;)
    =-=-=-=-=
    Iuhu, linda!
    pisc*
    Bom, digamos que eu também adorava fotonovela (uma pena que isso não seja HQ, embora eu tenha lido, sim, eu acho sim , sim, numa revista de fotonovela a “fotonovelização” de “O Conde de Monte Cristo”. Not bad, huh?. Mas eu adorava:Eu sei bem a pessoa que me emprestava, e quando não emprestava, ora, lia escondido e a-do-ra-va a transgressão hohoho. Agora falando sério, não era permitido para nós, meninas. ler aquelas revistas Grande Hotel, Capricho e Sétimo Céu…e outras: eram proibidas, o que fez muito mal para a nossa educação, pois conheci meninas que me disseram que um beijo na boca, ah! a misteriosa entidade do *beijo na boca* poderia ter sérias conseqüências;-) E, pior, acreditei!
    Aliás , eu lembro sempre do meu querido Lord Broken Pottery – e nem sei como passei todo esse tempo (entro no sétimo ano de blog, no dia 19 desetembro), sem ler o blog dele: não perca o conto brevíssimo que ele publicou na terça feira. Corra, nem me leia mais.
    No mais, linda, você é uma prova de que ser educado/a não dói:-). Eu é que agradeço.
    Beijos
    P.S. Agora veja, não obstante (putz! não obstante, sinceramente, bon!). However, eu sou uma colecionadora audaz e voraz, voracíssima e tenho revistas *Scena Muda*, *Cinelândia* e as americanas PhotoMovie, Confidential e outras que obviamente, o dono/a delas quando eu comprei, nos sebos mais mais maravilhosos de Ipanema, já não estava(m) mais entre nós… Ah! e uma coisa ótima e engraçada, às vezes triste: é a gente ver uns rostos desconhecidos: foram atores e atrizes que prometiam…mas não ficaram. Não aconteceram. Um dia falrei sobre elas e eles. Uma delicia colecionar. Poucas coisas dão tanto prazer. pisc*

  2. gugala says:

    Salve Sempé!
    bj
    =-=-=
    Guga!!!! Oba, oba!!!!
    ;-))))))
    Que bom! quanta saudade!
    Esse negócio aqui não é nada bom sem você, Gugala!
    Sempé maravilhoso, não é.
    E o Wolinski?
    Maravilha, né não?
    Beijos, montanhas pra vc e pro Pedro.
    Meguita

  3. Matilda says:

    Eu falei no Bolinha sim!
    Luluzinha, Bolinha, a Bruxa Nemeia (era esse o nome?)
    Como esquecer o Bolinha?
    Mas esqueci Asterix, por Tutatis!
    São loucas essas matildas, esquecer Asterix, como pode?
    E também li fotonovelas, :)

    =-=-=-=-=
    Ué! foi mesmo, Matilda, você foi a única a romper o “menino não entra” hahahah. Vc sabe das coisas, né.?;-)))
    Agora, eu acho que a bruxa Meméia, com *M*, (lembre Dial M for Murder – que não em nada a ver com quadrinhos mas me lembrei que um dos Hitchcock que mais a-d-o-r-o!!!! É suspense até o ultimo segundo do segundo tempo e o melhor: bastante inverossímil hohoh)
    Pois então, Meméia era uma bruxa tipo *tadinha dela, feiosinha* mas a Maga Patalógica que ninguém citou hellooooow! não me venham dizer aqui… ei, eu citei….que eu piro hahaha) era bonitaça e mais: tinha um ar tipo Diabo veste Prada!
    Estou boba!
    Também digo: Como, mas COMO, Matilda, pode? Segundo minha querida amiga Fer Guimaraes Rosa, coisas assim devem andar …em bocas de Matildes, e de Matildas também.
    Agora uma que ninguém citou…. foi a… Pois é:-)
    beijocas
    Meglyn

  4. sandra says:

    Puxa! O cara respondeu assim mesmo? “nããããããããããooo”?? Magoei! Vou trazer o moço aqui para conversar com meu filho, que se apossou da MINHA coleção!!! hahahahahahahahahahahaha

    Não incomodou, não, flor! E se precisar de ajuda para programas infantis, tipo “padrinhos mágicos”, “mansão Foster para amigos imaginários” e outras coisas, bate na minha porta!!!

    beijos
    =-=-=-=-=-=-=-=-=
    Hahahah!
    Sandriuska:-)
    Hahahahahahh
    Eu não sei é o que seria de mim sem vocês.
    Estou agora pensando se coloco por ordem de chegada ou se coloco tipo assim: um a favor e outro contra.(*)
    O Mirtowski (Milton) escreveu…bem não vou quebrar a supresa, mas que ele escreveu bonito, escreveu. E falou do filhote também como vc, olha só a coincidência!!!
    É isso bright minds think alike – nem sei se isso existe e se escreve asim, mas me lembro de já ter dito e OUVIDO uma frase marromeno assim
    Beijocas muitas.
    Meguita

    P.S e (*) Só posso te adiantar que tem coisas, respostas, inflamadas:-))))

  5. Aí Sandra

    Esse desenho da mansão é do barracobasco, pena que agora é meio tarde preu arrumar um amigo como o Blue (é esse o nome do bichin, né?)

    beijo pras moças
    =-=-=-=-=-
    Mas, afilhado e Sandra:
    Uotarel é o Blue?????? Blue? (Betty Blue?)
    Putz, tenham piedade e clemência…;-). Já admiti, confessei publicamente que em matéria de HQ quem entende é a Magaly.
    Magalyyyyyyy, ajuda, help?
    Gentem, agora foi que li: a Magaly escreveu tratado sobre as HQ, inclusive, citando o *metonímico* GIBI (ela escreveu assim mesmo, viram? Gibi, que era um gibi, ops, uma determinada revista, e aí , tal como Gillete, que era nome próprio (de pessoa) e virou um substantivo genérico, por exemplo: “ei, me traz uma gilete pra eu coratar os pulsos, pois não entendo nada de Blue nem de HQ”) – a revista *GIBI*, passou a denominar tudo quanto era revista de HQ… tenderam?
    Se não entenderam, estarão cravando um punhal no meu coração e outro nas costas e vão se queixar à Magaly!
    beijos
    já volto, hoje o dia tá plenty of hot mess.

  6. Magaly says:

    Oi, comento amanhã Tenho que acordar cedo pra ir a um curso que começa amanhã. Conto tudo depois.
    AMANHÃ (à tarde) , estarei aqui “rente que nem pão quente”(conhece esta?)
    Beijos

    =-=-=-=
    Maga querida, claro que sem seu comment a coisa não anda, até anda, mas não tão bem.
    E depois, como você viu e não viu :-) vocezinha já tem um eleitorado aqui.

    Assim que voltar do Curso, nem respire, venha direto para cá.;-)))
    Conte tudo depois, antes comente, plz. Plz?
    *Rente que nem pão quente*???!!!!
    Hahahah, essa eu não conhecia, mas profetizo: essa tem tudo pra pegar;-))) pisc*
    beijocas
    Sua Meggy

  7. sandra says:

    Cláudio.. Me inspirei exatamente no Blue para criar um amigo imaginário com direito a “categoria” só dele no site. E eu o amo!!! hahahahahahahahahahahaha

    =-=-=-
    For Pete’s sake: Sandra, querida: what a f* é o Blue?
    Já tô ficando nelvosa;-)
    pisc*
    Juro, eu não sei e estou desfilando, trazendo pra passear a minha ignorância.
    Dá para serem amáveis, e dizerem…oh Sandrotchska?
    Já conseguiram fazer chacrinha e botar os outros com complexo:-)
    Conta, conta…
    beijocas *amuadas*, mas *iradas*;-)
    Meguita

  8. P.Q.P. Bach says:

    Nosso texto de abertura acaba de ser alterado. A homenagem silenciosa ao final do curto texto ecoará por longo tempo.

    =-=-=-=
    Carísimo e excelentísimo Herr PQPB:
    Uma subida, subidíssima onda de alegria percorre o blog todo.
    Estive o tempo todo a preparar o que escreveria como Boas-Vindas.
    Só me ocorreu a fórmula latina, em português.
    “Dominum, não sou digna, o blog não é digno, mas faça dele a vossa casa….!”

    Estou nas nuvens:-)

    Até já estive em território da Musa Therpsicore;-) in the Island of Love.
    Ave!

  9. P.Q.P. Bach says:

    Sim, Meg e Guimarães Rosa. Te mete!

    =-=-=-=
    Dominus tecum… pecatoribus…
    Hallellujah:-)
    Mais não falo, por violenta emoção

    Sim, a sétima maravilha será o PQPBach
    Ave!

  10. Alma says:

    Ah, Meg…
    Ando com tristeza aguda.
    Mas isso passa.
    Volto amanhã me situar em tudo de novo que tem por aqui e que eu ainda não li.

    Beijo grande
    =-=-=-=-=
    Minha amorinha, minha amorinha
    Vc sabe que pode contar, pelo menos com a minha mais completa compreensão.
    Ah! e solidariedade contra os sabiás:-))
    beijocas, carinhosíssimas, minha linda
    M

  11. Fausto says:

    Nada a ver, eu sei, mas… essa imagem do “little king” aí em cima me fez lembrar imediatamente de outra realeza: http://br.youtube.com/watch?v=Z0YAkCMiL3w

    Beijos :-)
    =-=-=-=-=-=-=
    Querido Rporter Fly!!!!!
    Putz, é mesmo! é mesmo!
    Putzgrilo, como é que não lembrei?
    Vou já colocar no post, querido, uma vez que ninguém a não ser você falou da nobreza!
    Fausto,…desse solo onde eu piso…e da blogosfera… que qu’eu sou?
    Beijos (dia 5)
    ;-)
    Meglyn

  12. Eduardo.P.L says:

    Meguita, sabe porque não respondi sua pesquisa? De vergonha.
    Sim senhora, nunca li HQ, porque minha mãe, não sei a opinião do meu pai sobre isso, mas ela era dos que advogava que leitor de HQ em criança perdia o interesse por leitura mais tarde. Hoje sabemos não ser verdadeiro, e até pelo contrário, mas foi assim. Em casa dos nossos pais, eu e meus irmãos nunca lemos uma HQ. E por falta de conhecimento, nem na casa dos amiguinhos tinhamos curiosidade. Desde cedo não nos faltaram livros, mas revistinha nunca!
    Essa a razão de não ter respondito nenhuma das três perguntas. espero agora estar colaborando com sua pesquisa, da qual nunca duvidei.

    Beijos de carinho,

  13. gugala says:

    passei minha adolescência dentro de MAD e ANIMAL. Dizer mais o quê?
    Só que HQ é básica.
    bjs

    =-=-=-
    Perfeitamente! Gugala, aguarde os posts seguintes. Muito riso e ranger de dentes:-o)
    beijos
    Meguítala

  14. Magaly says:

    Voltei, Meg. Gostei da primeira aula. Falaremos disso por e-mail.

    Seu post está um barato .Vc parece um criança redescobrindo essas coisas e se surpreendendo com a opinião de cada um.Tomara que a turma tenha conseguido satisfazer suas expectativas,
    Confesso que nunca fui muito de HP, mas me lembro de que o Téo era caído pela Graúna , a ponto de ir ler as tiras antes de tomar conhecimentodas notícias do Jornal e olhe que política e economia eram seus cadernos obrigatórios E lia a Radical Chic, aquela enjoadinha e outros mais. No entanto foi um adolescente que começou pelo alto com Sthendal (O vermelho e o Negro); com Dostoievski( quase toda a obra), Gorki (A Mãe), Romain Roland (Jean Cristophe) e por aí. Homem feito, não perdia o Asterix e adorava o Garfield.
    Bom, estou por aqui para festejar com você. Depois vou querer um tempo pra lhe relatar minha novas posições. Mudanças à vista.

    Agora vou fazer o que Aliki me pediu.

    Beijos

    =-=-=-=-
    Uia!
    Eu acabei de responder a vc lá, ali embaixo, abaixo…(que coisa!
    Leia lá quer que eu traga para cá?
    Bom, não era pra fazer nadinha depois do curso, mas se Aliki pediu, então é uma ordem.
    Bom, vá e volte.
    Mas vá, tudo bem, ninguém gosta mesmo de mim;-o(((

    P.S. Tenho certeza de que vc só escreveu isso de *Aliki me pediu* pra me fazer ciúme, mas eu não sofro das investidas desse mostro de olhos verdes…
    Todos os meus ex- tudo, sabem disso. Sou absolutamente imune ao ciúme., tá bem?
    Nah! , nessa eu não caio,
    Vá, Flor Bela,

    assina:
    Spanky
    Quanto a eu parecer criança, não pareço, não, eu sou!;-) hoho pisc*
    Spanky

  15. Calma, Meguitar

    O Blue é personagem dum desenho animado que passa nas manhãs de sábado, pelo SBT – ainda não é um clássico, mas sua cara-de-pau e amicisse-da-onça com certeza o são.

    Como disse a Sandra, o nome do desenho é “Mansão Foster para amigos imaginários” e vale uma sabatina de catecismo.

    Peraí que tem uma vã de entregas batendo palmas aqui no Portão…
    =-=-=-
    Hahahahahahah!!!!!!!!!!
    *ler de carreirinha* e agora *amicisse-da-onça*???!!!!
    quaquaraquaquá!!!!!
    Eu já devia esperar por um dessas: amicisse -da-onça!
    Incorporadíssimo no meu vocabulário a partir de sempre;-)
    Speakin of it, pra ver como eu sou mais vel, ops, pra ver como os entrevistados to-di-nhos são pouquinha coisa mais novos que eu, ninguém citou o Carlos Zéfiro..hahah o quê? what? vai dizer que aqueles catecismo usados por gente finíssima como a adorável e chiquerésima e doce Marisa Monte na capa do Barulhinho Bom não é HQ?
    Putz ,Claudio, até o Guto Lacaz falou duas coisas numa entrevista: que uma exposição de pinturas do Dudi Maia Rosa, nosso amado Dudi, mudou a cabeça dele, (Guto) e a outra coisa foi dizer (acho que mais pra ser voz discordante) que os desenhos do Carlos Zéfiro eram excelentes (enquanto todos dizem que era o menos importante, pouco elaborados, e repetitivos:-))).

    Mas do quem eu queria falar mesmo, obviamente é do Amigo da Onça
    Este eu até tenho teses de mestrado about… sim, sobre o atormentado Péricles, este sim, imortal:-)
    E mais: a Maga falou , de nariz pra cima, mas falou, na Radical Chic.
    É quadrinho, né não
    Menino, mas não é que essa história de falar em HQ…nunca imaginei ia ter ese flood… Beza Deus;-)
    Nem quero falar muito.. Tock Tock
    beijo
    M.

    Psssiu! sealed lips about Portão, ok?
    M. M (madrinha meg;-))

  16. Meg, querida,
    ‘Você, tenho certeza que sem querer, me deixou nostálgico. Onde andará minha coleção do Edgar Rice Burroughs? Eu tinha todos os livros do Tarzan. Um dia escreverei à respeito. O que acontece com os livros que somem de nossas vidas? As capas eram magníficas. Lembro quando meu pai trouxe o primeiro: “Tarzan: O rei das Selvas”. Coisa mais linda o amor da macaca Kala pelo macaquinho imberbe, sem pelos, homem branco. Era um tempo em que eu vivia gritando pela casa, batendo no peito, exigindo respeito dos animais. Mandava no cachorro, nos peixes do aquário, nas gaiolas de passarinhos, cada vez mais rei dos animais. Não precisei de HQ para conhecer o Tarzan. Embora mais tarde, no cinema, tenha encontrado o Johny Weissmiller (não garanto a grafia), o melhor dos Tarzans da tela, nunca nenhum chegou as pés daquele de minha imaginação.
    Beijo carinhoso

    =-=-=-=-=-=-=-

    Dear Lord (of all rings)
    Ficamos, então, os dois, nostálgicos, mas mais que isso, eu fiquei bastante pensativa a respeito do que me disse um grande e querido Professor de História da Arte, o professor Francisco Paulo Mendes, de uma excelência tão grande quanto imenso era o seu humor.
    E, por humor ou não, ele me disse certa vez (bom, creio que dizia a todos): “Não se deixe enganar, Maria Elisa, alguém, não se sabe quem, enfiou-nos essa de que os livros (e outros objetos) são objetos inanimados. Pois sim! Eles fingem que são, para quando estivermos distraídos eles ficarem ‘animados’ – nos dois sentidos – e fazem o que querem dos nossos nervos e imaginação.”
    Foi tão profundo o que ele disse, ou eu estava propensa a isso, que nunca mais deixei de olhar o mundo dos reinos mineral e vegetal, com profunda desconfianaça :-))))
    E é aí que acho maravilhosa, estupenda a sua pergunta:”O que acontece com os livros que somem de nossas vidas?”.
    Pois eu respondo: eles se teletransportam, metem-se com outros donos de livros, saem quando não se está olhando e vão-se embora. Pra não mais voltar, uns e outros, com alguma malvadeza, ainda voltam, quer para tripudiar ou para dizer que ainda estão vivos.
    Pois vou contar-lhe a história de um certo livro em particular, não era o mais bonito, o mais rico ou mais caro, era apenas um desses. Chegou às minhas mãos (sim, porque asim como uns vão, outros vêm) não sei como e fiquei logo apaixonada: o livro era: “Brasil para Principiantes” de Peter Kellerman (não me responsabilizo pela grafia do nome do autor). Eu era meninazinha infantil :-) e comecei a ler. Era um polonês, ou checo, ou coisa parecida (desculpa aí Boçonzinho) que chegou no Brasil e narrava coisas que -segundo ele – só acontecem no Brasil. Um olhar fino, malicioso e agudo. (Claro que na época eu não conhecia esses adjetivos) Duas ou três coisas chamaram a minha atenção para sempre:
    1- que brasileiro (carioca, suponho) sempre dizia : “Apareça lá em casa para tomar um cafezinho!”
    E ai de quem tomasse esse conselho, digo, convite ao pé da letra.
    Era tudo mentira, digo, era tudo protocolar… as pessoas diziam mas não queriam dizer. De verdade.
    E quando ele descobriu isso ficou triste.

    2- Que ao visitar um apartamento mesmo que estivese pegando fogo , ele devia dizer: que lugar aconchegante e tão ventilado! esta fórmula tinha efeito devastador e abria … muita coisa:-))

    3- Que só no Brasil ele tinha visto o tal desconto de “meia para estudantes” (demorei demais até saber o que era isso.
    E que ficou tão surpreendido que se pôs do lado dos donos de cinema e outros locais que sofriam com o tal desconto e contava um piada judaica:
    Que os judeus- alguns judeus, ressalto, ao sofrerem tanta coisa e irem de um lado por ouro (bons tempos, ele Kellerman parece que era judeu) rezavam assim: “Senhor, somos há cinco mil anos o Teu povo eleito. Será que não daria para elegeres outro povo?
    hahahah, rio antes que vcs digam que a piada não tem graça.
    Pois bem esse livro eu amava. Adorava. Mas ele desapareceu. Aliás tudo o que eu gostava desaparecia.
    Bom, pasou muito tempo, e uma dia eu estava na Faculdade já e uma grande amiga recente, chamada Estrela que eu não conhecia nem mais alta, nem mais baixa, nem gorda nem magra e não tinha, juro, Lord nenhuma conexão com ela, pois sou filha única -sempre fui -, parou, olhou para mim e disse Meg teu nome é Maria Elisa Guimaraes e eu, claro, confirmei e, Lord de Deus, eu juro, ela me disse: “Pois olha na minha casa tem um livro com teu nome escrito.” Era o bendito livro. Ela me devolveu(?) o livro e ele voltou para mim. Para desaparecer algum tempo depois. Juro, Lord.
    Para assegurar a veracidade disso: O meu querido e grande amigo João Antõnio Bührer, do blog GRAFOLALIA e que mora em Campinas, e é o rei da cultura pop e dos livros em particular (amigo do Mindlin)
    tem livre acesso a todos os sebos de Campinas e Curitiba. pois bem, depois de ouvir esse meu relato, condoído, conseguiu que eu tivesse o bendito livro. Pela terceira vez.
    Conclusão: O livro está num lugar, sob minha rígida vigilância, nunca o abri, pois tenho medo de mexer com ele e ele sumir mais uma vez.
    Desta vez, para sempre.
    =-=-=
    Isso acima é verdade. Eu ia mentir e dizer que conhecia o Edgar Rice Burroughs, mas acho essa história verdadeira dispensa qualquer mentira.
    Juro.
    Beijos
    Meguitar;-)

  17. Yvonne says:

    Meg querida, vir aqui é certeza de que vou ler matérias muito interessantes. Beijocas e um lindo fim de semana.

  18. Meg,
    Sua história, verdadeira, deixou-me arrepiado. Eu queria apenas um dos livros da coleção do Tarzan de volta. Acho que existiam oito no total. Bem que unzinho deles poderia reaparecer, do mesmo jeito que o seu já voltou mais de uma vez.
    Grande beijo

  19. Yvonnew querida, minha linda, já escrevi quatro vezes para o seu email e volta com estranha mensagem de erro.
    Meu amor, minha flor, vc é uma pessoa especialíssima para mim.
    Adoo você.
    Muitos beijos.
    Quero mais histórias envolvendo a mitologia, Ok?
    Beijos
    =-=-=-
    Lord do meu coração, eu juro, falando sério seriíissimo.
    Imagine se eu tosca como sou iria ter capacidade de inventar um coisa desse talante, como dizem os nossos queridos portugueses amigos.
    (aliás a O’Sanji querida, citou a Maga Patalógica e a Madame MIM:-)
    Não sei, isso é com ela.
    O que mais existe é bruxa, eu só conheço, xovê, nao a Mortícia (que nome lindo!) é só assombrada não chega a ter filtros e poções, não é?

    Mas vou reparar essa mancha no meu resumé!
    Beijos, Yvonne e Lord.

    P.S Lord, a maior fonte de sumiço dos livros (diferentemente das canetas BIC) é a gente emprestar aos amigos queridos.
    Pois se são queridos temos vergonha de pedir e se seles forem inteligentes, seria estranho, devolver hoho)

    M

%d blogueiros gostam disto: