PROJETO VOLARE: palavra, imagem e pensamento

parabola_quatro_filhos_001.jpg
Reinterpretação da Parábola dos Quatro Filhos, Wolloch Haggadá, David Wander, 1988.

Perguntaram uma vez ao Dubner Maggid:
— “Porque razão têm as parábolas um efeito tão grande nas pessoas?”
Ao que o pregador respondeu:
— “Posso explicar contando uma parábola.”
E foi esta a parábola que contou:

Há muitos, muitos anos, a Verdade caminhava pelas ruas, nua como no dia em que nasceu. O povo recusava deixa-la entrar nas suas casas naquele estado. Qualquer pessoa com quem ela se cruzasse fugia a sete pés. Vagueava a Verdade com grande tristeza quando um dia se cruzou com a Parábola, que se vestia com roupas de esplêndidas cores. A Parábola perguntou-lhe: “Diz-me amiga, o que te faz andar tão triste?” Ao que a Verdade respondeu: “É terrível, minha irmã. Sou muito velha e por isso ninguém me liga.”
“Não é por causa da tua idade que as gentes não gostam de ti. Eu também sou velha, mas quantos mais anos passam mais as pessoas me apreciam. Deixa-me dizer-te um segredo: o povo gosta de adornos e encobrimento. Vou emprestar-te algumas das minhas roupas e verás como o povo também vai gostar de ti.”
E assim foi. A Verdade seguiu o conselho e vestiu as roupas da Parábola. Desde esse dia, a Verdade e a Parábola passaram a andar sempre juntas e o povo gosta das duas.

Rabino Yakov Krantz (1740-1804), conhecido como “o Pregador de Dubno” (Dubner Maggid), Ucrânia.
in Jewish Preaching 1200-1800, Marc Saperstein, Yale University Press, 1989.
Retirado do excelente, (mais até, se se pode dizer) blog: Rua da Judiaria.
XXXXXXXXXXXXXX

Queridos: leiam e comentem, se me querem fazer um agrado, :-) É tão bom ter comentários.
Mas ficarei ainda mais feliz se além dos comentários vocês fossem visitar esta página, criada em conjunto pela minha queridíssima Thata Fabris, uma geninha (está na faixa dos 20, ou seja ‘na aurora da minha vida’, como diria o poeta ) e sou (sou, não sou, Lil’ Tha? madrinha do PROJETO VOLARE, criado por ela e por um grupo de pessoas, artistas da palavra (?), que, cada vez mais, se torna mais crescente e numeroso . Gostaria de ter feito uma entrevista para saber e dividir com vocês tudo sobre o projeto. Porém como Thata é muito ocupada, e não quer privilegiar os fundadores do projeto… (uma pena!, não? acham? mas fazer o que?)
Eu, particularmente, acho que tudo, tudo é visual. Na internet, um poema é visual sempre, já que se vê e lê o poema . Então, com exceção da Música praticamente *TUDO* é visual, na nossa cultura, neste estágio em que estamos, principalmente, em que para tudo solicitamos o OLHAR. E somos solictados a OLHAR. E, aparte isso, há aquela história de que uma imagens diz mais que mil palavras, não é CLAUDIO BOCZON e EDUARDO LUNARDELLI, meus dois artistas plásticos mais importantes e interessantes?

(Aliás, o Boczon, está fazendo trabalhos em metal e madeira, creio que mais uma bela parte do capítulo FUSÃO, em ARTE, sobre as PARCAS. Objeto de post na próxima semana, mas nada impede que corram todos para lá. Corram sim, o trabalho vale cada minuto de espera…)

Eu acho que a imagem não diz tudo…e nem pode se desvencilhar da palavra. E vocês? Olhem aí o exemplo da parábola:-). E há também a célebre frase axiomática de Millôr Fernandes a respeito.(*)
Agora quanto às imagens – suas relações com a leitura , com a palavra e com o pensamento , isso será motivo de um post/conversa, pra muito breve.


Saio agora, pedindo imensas desculpas por ter escasseado minhas visitas aos blogs que adoro: estou na reta final de dois projetos, e tenho emails para escrever e responder. Mas estou de olho, em vocês, heins? Como vcs sabem I have connections, I have my people;-)))))). 1. Anyway:: os intervalos de freqüência nas visitas não implicam uma redução de afeto e amizade, OK?

(*)Diz a lenda que foi MIllôr Fernandes, mas pode não ter sido ele, entetanto, diz a lenda que quando lhe disseram pela milionésima vez: “Uma imagem vale mais do que mil palavras”, ele respondeu:
— Tá! Então diz esta frase em imagem.
Pano rápido!

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

11 Responses to PROJETO VOLARE: palavra, imagem e pensamento

  1. Meg, querida,
    Sei que a resposta é velha e não fui eu quem criou, mas se uma imagem vale mais que mil palavras, diga isso com apenas uma imagem. Ando meio sem tempo mas um pedido seu é uma ordem. Irei visitar a geninha.
    Beijos

  2. Maria Elisa says:

    ah, Lord não tinha ainda lido seu comentário.
    E imaginei que essa resposta era do Milôr.
    Assim, não sendo:-), já tendo caído em domínio publico, vou retirar a observação.
    Beijos
    Meguita

  3. denise says:

    Meg, estou esperando a visita, humpf… Minha linda, visitei o volare e realmente é lindo! Vale muito mais que mil palavras.
    beijo,menina

    Ai, ai, ai, ai, ai, Dona Dê.
    Eu fui lá de madrugadinha, que hoje só fui dormir às cinco de la mañana:-)
    Fui, sim, senhora
    Beijos, garota!
    M.

  4. Eduardo.P.L says:

    Meguita, muito obrigado pela citação ao lado do seu afilhado! Hoje lembrei de como nos conhecemnos. Lembra??? dou risada e conto sempre. Eta gafezinha feliz! Muitos beijos.
    Vamos ficar na média:” Uma imagem vale por 500 palavras”, tá?

  5. Hahahahah!
    OK ! OK
    Vale sim, vale sim..muitas vezes vale por todas as palvras.
    Algumas por ex… hmmm
    Bom, há várias, não e?
    Beijos, querido
    M.

  6. Tudo tem sua hora e lugar.
    Uma imagem vale mais que palavras, uma atitude, um olhar.
    Se observarmos, as vezes um olhar diz muito mais.
    As palavras podem ser ditas de acordo com a situação, podem ser verdadeiras ou não. O papel aceita tudo, o teclado também e até os ouvidos. Um olhar dificilmente pode ser mentiroso.
    E no caso das parabolas e verdades, a verdade pode ter sido camuflada, mas continua nua, e na maioria das vezes ela continua sendo difícil de ser aceita. Perfeita a comparação.
    Você é dez.
    Vou lá ver a menina.
    Beijos.

    PS: Não era para fazer inveja que falei da Magaly como vovó, nem prá te provocar, afinal como tia-avó, você teambém merece parabéns. E aliás merece parabéns sempre.
    Beijos
    =====
    Ueba!!!
    Aninha: EU NÃO TENHO INVEJA: EU TENHO É CIÚME, tá ligada?;-)
    quanto ao que vc diz, eu não poderia concordar mais com você do que eu jpá concordo
    mas, como uma ressalva: isso de verdade, é outro departamento de lojas:-) eu costumo dizer que quem quer mentir, mente olhando pra gente e olhando firme dentro dos olhos hahah

    Mas também devo dizer que sinto inveja…ah! como sinto…principalmente de quem toca algum instrumento, quem sabe escrever bem, dos gênios, de quem sabe tudo sobre o Heidegger, tenho inveja da mulher do Clint Eastwood (inveja e ciúme, combinação explosiva hahaha) por aí etc etc..É… também tenho inveja, sim hohoho
    beijões
    Meguita

  7. AV says:

    MEGa amiga,
    O meu mundo é o das palavras – escritas, ditas, cantadas, lidas. Claro que as imagens são muito poderosas, sobretudo hoje em dia em que ninguém tem tempo para nada* e a preguiça também é muita. Mas não concordo totalmente com essa tese, e a prova de que tenho razão é a brilhante resposta dada por Millôr ou por Milord, ambos sábios. :))

    *A propósito deste ponto, os orientais dizem uma coisa muito inteligente: Como se pode dizer que não se tem tempo? Isso é um total disparate: temos “todo o tempo que há”, podemos é não saber gastá-lo da melhor maneira.

    Um MEGa beijo para você
    Ana

    =-=-=
    Ana V.,
    uff! que bom, ver vc aqui.
    MEGalegria!
    Concordo sempre com vc , porque vc é a poeta mais lógica que conheço.
    Acho que Platão não expulsaria vc da Cidade, da República:-)
    E ó gente, além de poetisa, a Ana é compositora, só para que saibam, pois a clientela aqui transa com música, certo?
    beijos
    Meguitar:-)
    P.S: Uau!!!! Nós , aqui em casa, hoje discutimos montes com essa sua(oriental)reflexão sobre o tempo.
    Merece um post, sabia?
    Da hora!

  8. Meg querida,
    sou mais palavras que imagens. Perco-me tentando decifrar o que vejo e nem sempre consigo ver o que todos vêm.
    Uma pintura, por exemplo. Às vezes passo batido, não percebo detalhes.
    Já com as palavras, sou mais cuidadoso. Vou e volto, procuro entender. Pesquiso também.
    Admiro muito o olhar do artista. O fotógrafo que capta um instante. O pintor que captura também um flagrante. Agora, o escritor, para mim é o mestre na arte. Captura tudo e transforma em algo inteligível.
    Vou conhecer o volare, vou sim.
    Um beijo grande

    =-=-=-=-
    Valterrrrrr!!!!
    Magina se vc ia responder diferente;-)
    hahahah
    Não podemos mesmo desentranhar uma das outras.
    Também seria impossível um mundo sem imagens
    Pois é – e aí chamo a atenção para vc o escritor: Não à toa , existe algo chamado de *FIGURAS* da linguagem, Não à toa, uma linguagem não pode deixar de ter seus signos e ícones.

    Vamos tratar disso aqui, espero.
    Se eu contar com vocês seis , pelo menos hohoho.
    Beijos, beijos
    Meguita

  9. Yvonne says:

    Meg querida, não conhecia essa história da Verdade. Realmente a parábola surgiu para nos mostrar verdades com visões diferentes. Para mim a Verdade é como a Medusa que você não pode ser olhada de frente, então, tal qual Perseu, temos que lançar mão de um escudo para poder saber onde ela está.
    Essa do Millor é dez.
    Beijocas e visite´-nos quando puder.

    =-=-=-=-
    Putzgrilo.
    Essa foi quentchi! Hot hot, Yvonne

    Mitologia aê!
    Gostei demais.
    E sobre as Parcas , já foi lá?

    Isso das Górgonas – Medusa é muito interessante.
    Vou me atrever a falar um niquinho sobre ou de mitologia.
    Beijões
    Meguita

  10. Lou says:

    Adorei …quer dizer…adoro, essa amizade eterna entre a Parábola e a Verdade! Raciocínio inteligentíssimo, não?
    E quanto às mensagens das imagens…como são valiosas! E sua riquesa maior, acho, está na infinidade de interpretações que podem originar. Afinal…uma imagem, por mais Verdade, sem a fantasia… fica nua?…
    Beijos!

  11. Magaly says:

    Belíssimo projeto , Meg ! A nossa amiguinha Thata é demais! E você sempre por trás de tudo que se faz usando a cabeça e o coração. Bonita atitude.
    Seu post está maravilhoso, A par´bola com que inicia, magistral.
    Imagem, palavra, pensamento juntos , sempre juntos criando força total.
    Beijos.

%d blogueiros gostam disto: