CRÍA CUERVOS… (e um R.I.P. para ACM)

Não poderia deixar de vir aqui e de algum modo dizer como eu me sinto em relação à tragédia que abala o país.
Abala? Bom , eu confesso que não entendi e nem quero entender: vejam por favor este vídeo aqui
Ou não sei se deveria dizer, não, não vejam, é pútrido. Obsceno, relembro aos meus poucos, mas maravilhosos leitores, significa “fora da cena“. É uma falta de pudor e de vergonha, ‘demais da conta’.

De toda a forma, tudo, mas tudo o que eu queria dizer está expresso na essência deste post de Lord Broken-Pottery , uma das poucas vozes lúcidas (SEM SENSACIONALISMO é bom acrescentar) , em toda, toda a blogosfera.
Só não posso deixar de acrescentar que o episódio das VAIAS ganhou muito mais destaque e as pessoas tiveram mais vontade, fôlego e entusiasmo para escrever, por exemplo, quando era a ocupação da Reitoria , a greve da USP, e quejandos, o que me deixa com algo atravessado na garganta.
Muito, mas muito estranho esse pessoal de blog, no qual me incluo, obviamente. Mas quando é para se meter na vida de pessoas, na vida íntima e particular das pessoas comuns, que pagam suas contas, sem pedir nada a ninguém, e cuidam de sua própria vida, coisas que, definitivamente , não lhe dizem respeito, ferem fundo e acorrem aos blogs que os acolhem, como farabundos.
Felizmente, Lord Broken-Pottery é sempre uma das raras exceções. Se quiserem saber o que penso, leiam-no.
=-=-=-=-=
No mais, Antonio Carlos Magalhães acaba de morrer (ou seria falecer, como mandam agora, os manuais?) e , sinceramente, espero que ele descanse em paz. O R.I.P. aqui não é protocolar.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

10 Responses to CRÍA CUERVOS… (e um R.I.P. para ACM)

  1. Acabo de publicar alentado post alusivo à morte de ACM. Um post-referência, sem dúvida.

    =-=-=-=
    Milton.
    bota alusivo e referência nisto.;-)
    Ah! parabéns pelo post sobre o acidente.

    Mas, tu sabes PER-FEI-TA-MEN-TE que és uma exceção.
    Beijos, muitos.
    Meg

  2. Ery Roberto says:

    MEG, sou um dos blogueiros que costumam expressar seu pensamento político sobre as mais controvertidas questões. Confesso-te, é uma seara muito difícil. Tudo que se diga, com conhecimento de causa, com argumentos realistas e amparado em fontes confiáveis, além do pleno sentimento de vivência, sempre parece “balela” e mostra de caráter “direitista” aos nossos nobres amigos solidários do poder. Hoje fui surpreendido com uma avalanche de e-mails em minha caixa de entrada (relato isto em post desta data), cuja origem era de pessoas as quais nem de nome conheço. Sua função? Linchar-me pelos comentários de apoio que fiz nos últimos dois dias em posts de outros blogueiros que lucidamente escreveram sobre a tragédia da TAM. Eles vêem e leem palavras que não escrevemos, interpretam da forma mais espúria possível e, obviamente, não aceitam seus erros. Não costumo premiar gente desta estirpe com respostas particularizadas. Ignorei todas as mensagens. Mas não me calarei na árdua luta da “liberdade de expressão”. Ninguém rasgará esta bandeira. // Li e comentei o post do LORD. Concordo contigo, uma voz acima dessas inconseqüências como as que me referi. A verdade dói naqueles que não têm a humildade para aceitá-las. Terminei meu post com este mesmo vídeo a que te referes. É infame. Sujo. Abminável. Pareceu-me mais “pútrido” (para usar tua expressão) do que a famosa “DANÇA ENFATUADA DO DESCARO”, que aliás, todos já esqueceram. Sim, muito mais agressivo e degradante. Triste é que aos olhos de muita gente, é lindo, verdadeiramente “wonderfull”!, um gesto duplo que “liberta da culpa e resgata o governo”. O salafrário já pediu desculpas. Sabe, MEG, existem coisas que não se devem perdoar. Esta, certamente, é uma delas. /// Quanto a ACM se vá em paz. //// Parabéns pelo magnífico “batismo de palavras” que você dá para aquele seu afilhado, o livro do Valter. Um beijo.

    =-=-=-=-=-=
    Ery,
    Compreendo perfeitamente o que diz e concordo.
    Eu , de algum modo, humilimamente, me zango comigo mesma por minha incompetência paralisadora em tratar dos problemas que me cercam.
    Calar, Ery, para mim, parece um acumpliciamento.
    Então, por absoluta ignorância , mas não por inoperância ou omissão, deixo de falar.
    Mas não me exonero de minha responsabilidade.
    Quanto a você, sabe perfeitamente, que é avis rara nesse mondo por vezes, mondo cane.
    Esses fatos são mínimos, diante da ira que se reveste a fala de *certos desconhecidos* que só existem porque vicejam no falso anonimato.

    Você tem sempre as palavras certas e um modo educado e elegante de nos fazer ver as coisas.
    Obrigada
    E agora, tendo ido ao Milton, estou mais tranqüila.
    Não resolve, mas é a parte que nos cabe neste latifúndio que é a Intenet e o instrumento *QUE NOS É DADO, DE GRAÇA*, que é o blog.

    Um beijo querido e obrigada.
    Só posso dizer que sinto muita pena de que vc não venha mais vezes, aqui em casa, comentar, neste meu sub sub rosa;-)

    Ah! e quanto ao meu afilhado, pois não é que o pai anda chamando-o de bastardinho?!?! Isso tem cabimento?
    Já passei-lhe, com toda a classe e elegância me faltam e sobram em você, um ..digamos, carão ou raspanete;-), como diriam o Velho Machado ou o Velho Eça de Queirós.
    Um grande beijo pra você, pra sua filhota, minha companheira de signo.
    Eprossiga, Ery: vc tem nosso apoio.
    Que você é um Leão! E Leões não são e nem podem ser enjaulados.
    Confio tanto, muito, em você!
    beijos
    Meg

  3. Queria fazer um post sobre a morte do ACM, mas não consegui fazê-lo mais cedo. Ainda bem que não o fiz, pois penso agora – passada a surpresa inicial – que se é para falar mal, melhor é, por vezes não falar. Também, já falaste aqui mais do que o necessário.


    =-=-=-=-

    Rafael, não sejas malcriado;-))))
    e tenta ter um pouco de amor no coração;-)))
    Vou falar com a Carol, olha lá;-)
    O que é que tu queres que eu tire do post, hein? hein?
    Beijos
    Meguita

  4. Magaly says:

    É,Meg, é de não se acreditar. A que ponto chegou a falta de ética. a compostura dessa gente. Dá uma indignação, uma revolta, uma vergonha! Suprema humilhação.

    O outro se foi. Nem quero imaginar as contas que vai prestar. Que consiga ser humilde no reconhecimento de seus erros.

    Não consigo apagar a lembrança das imagens de horror que a TV nos mostrou por ocasião do inearrável desastre aéreo. Que coisa tenebrosa! Quantas vidas.perdidas, quanto sofrimento em cada família vitimada!

    Faço a única coisa que posso fazer a esta altura: rezar pelos que se foram e pelos que estão em sofrimento.
    Que Deus os acolha e minimize a dor de cada um.

  5. Maria Elisa says:

    Belíssima e ponderadas palavras, querida Magaly!

    Aliás, não se poderia esperar de você, algo diferente
    Você a pessoa que mais admiro, a de que mais gosto e que é a a mais importante na minha Vida. E isso independe de blogs.
    Recomendo sempre que as pessoas , podendo, vão até o seu blog maravilhoso, o EU PENSANDO.
    Para o caso de não saberem, vejam ao lado (sidebar)
    Gostar de mim, significa por via de conseqüência e de extensão. gostar de você. Minha doce Magaly.
    ou simplesmente apontem aqui:
    http://eupensando.blogspot.com/
    Você é minha sábia sabiá que veio das Alagoas, onde Graciliano comeceu a escrever.
    Não podia ser diferente.
    Um grande beijo, minha amada, minha amorinha, Magaly.
    Da sua
    Meggy

    P.S. Recebeu meu email?
    Figliola não vem mais aqui, o que medeixa muito chorosa e la crimosa.
    É uma faca crava na minhas costas, mas mãe é assimmesmo é para essas dores.
    Momma Yiddish,;-)

  6. MEG/Ery,
    quanto aos patrulhas/petralhas: gente sem noção, noite e dia a defender um desgoverno espúrio, não merecem resposta mesmo. Evitei entrar em discussão à toa, não queria magoar e nem me indispor com amigos por causa dessa gentalha.
    Agora, apenas um pitaco nisso: pior, muito pior que o gesto obsceno e espúrio da cúpula do poder, é essa mesma cúpula “premiar” com medalhas de honra ao mérito ao presidente da ANAC em pleno velório, há famílias que ainda nem sabem se receberão seus mortos para chorar. Isso sim, o ESCÁRNIO. Não ví uma linha sequer sobre isso.
    Quanto ao livro, madrinha, o Ery está fazendo um trbalho magnífico. Junto às suas generosas palavras, do prefácio e mais da contra-capa só posso esperar que muita gente leia, que é o salário do escritor.
    E já te prometí: não o chamo mais daquele nome feio, tá?
    Fique bem,
    Um beijo
    Ps: ao amigo, Ery: relaxa!
    =-=-=-=-=

    Valter:
    Fique certo de que não é a previsibilidade da resposta, que sempre será a grosseria e a ofensa, o que deve nos fazer calar.
    Sei que dói muito, e dói mesmo. Mas é o que você diz ao Ery: temos que ficar frios, e apelar para uma serenidade que às vezes nos foge e faz com que o sofrimento seja maior.E vocês sabem que estou falando de cadeira!
    Então, eu acho que temos ser estóicos.
    Ainda é muito melhor que ficar incomodado com nosso próprio silêncio, com o grito parado no ar (como falava a música do Gianfrancesco Guarnieri.

    OUÇAM BEM e principalmente meu amigo Ery Roberto, pessoa de uma elegância rara, nessa Internet!: Essa acusação de direitismo, putzgrilo, que estreiteza de mente, que pobreza de argumentação, que falta de originalidade.
    E, mais que isso, quem fala assim, fala no vazio, porque miséria, desmando, escárnio, despreparo no trato com a COISA PÚBLICA (res = pública) não tem lado direito nem esquerdo.

    Falta a vergonha e dignidade, isso sim!
    E isso é coisa que não se apende a ter indo de um lado para outro.;-O(((
    Para esse tipo e gente, só um recado: Get a life!

    beijos
    Meg
    P.S: Isso mesmo: não o chame mais assim, é injusto! E depois, além da Aninha , vem a Madrinha.
    Nós mandamos, obedece quem tem juízo , está certo?

    Hahahahahaha!

  7. Madrinha, corrija por favor: “NÃO O CHAMO”,

    obrigado

  8. Meg querida, que bom que está em casa hoje.
    O que mais lamento nisso tudo, é que amanhã, a imprensa já não se interessa mais por esse assunto, fica apenas a dor dos que perderam seus entes queridos. A população também esquece, como esquece toda a sujeirada que está aí, sendo esfregada em nossas caras, e tudo isso é normal.
    Rouba, mas faz, nunca na história desse país, se viu um governo com tanto esforço. Não é assim o jargão utilizado?
    Eu não recebí mensagens na minha caixa de entrada, como o Ery, apenas fui instigada, sobre um comentário que fiz, mas não respondí.
    Se fosse no meu blog, se tivessem discordado da minha opinião, no meu ambiente, teria respondido. Mas essas pessoas nem me visitam, portanto eu não as conheço, apenas sei de quem se trata.
    E se defendem-se desta forma, é por que não querem perder as mordomias que conseguiram, mordomia de classe média, que ganharam com o desgoverno, que não importa se há problemas no país, importa é que está bom prá eles.
    Então o resto que se dane.
    Querida, gostei do “pito” que passou no Valter, quando eu falava, não adiantava, ele continuou a chamar o livro de nome feio, agora sim, valeu.
    Com licença: Ery, parabéns pelos argumentos usados no post do Lord, aliás nem esperávamos nada diferente de você, com sua lucidez, inteligência e perspicácia.
    Um beijo a todos.

    =-=-=-=-
    Aninha, meu raio de luz!
    Pois não é que vim encontrar este seu comment como SPAM…
    Esse programa é doido, pois colocou-me a mim como SPAM. Imagina só!
    Não faltava mais nada..
    Agora, a essas pessoas que não sei e também não me faz falta não saber, não creio que se lhes deva dar qualquer importância.

    VOU DIZER ALGO QUE CONSIDERO MUITO SÉRIO:
    Para o meu grande Amigo Milton Ribeiro, a quem considero muito e em quem louvo a capacidade de argumentação e de auto-crítica, eu, certo dia, expliquei-me quanto a minha posição política, pois não sou imbecil a ponto de achar que alguém pode conceber que seja APOLÍTICO. Isso não existe.
    Pois bem, para o Milton eu me expliquei, não por ele ter pedido isso, mas porque eu devia. Era um pré-requisito para algumas atitudes que estava tomando nesa época.
    Agora para outras pessoas eu não devo explicações do que quer que seja. Ponto final.
    Se gostam ou não gostam de mim, j’e m’en fous!
    Porque gostar não é rua de duas mãos: eu gosto de algumas poququíssimas pessoas que não gostam de mim e pouco me importa se não gostam. Ou se venhama a gostar. Na minha cabeça , no meu sentimento mando eu. O inverso é verdadeiro, posso NÃO gostar de quem gosta de mim, ser indiferente, e todas as variações e probabilidades dessa correlação.

    Mas um coisa eu lhe digo: tenho muitos amigos que são PETISTAS e são do que *O*U*T*R*O*R*A – costumava-se chamar de *ESQUERDA*.
    E alguns deles com cargos no Governo. Na administração petista como um todo, (estadual, municipal e federal)
    E não deixamos que isso interfira naquilo que o Ery falou: o legítimo direito à livre expresão. E não intefere na nossa amizade e possível admiração mútua.

    Por outro lado, tenho Amigos e conhecidos e pessoas de quem gosto que são conservadores, e são chamados e até mesmo intitulam-se, “de DIREITA”, que para mim é outra NESCIEDADE, pois se não faz sentido para aqueles , não o faz também para estes.
    Agora, que a auto-intitulada esquerda de hoje é mais acirrada, encrenqueira, desesperada, despreparada, ignorante *e* burra que os que se intitulam de direita, ah! isso é, ou melhor, são.
    Veja, o que a ‘soi-disant’ esquerda faz hoje é o que antes se atribuía à direita, mas sem nenhum charme da inteligência, apenas o MESMO ódio, a MESMA irracionalidade. Se duvidarem essa turma que faz isso ainda manda prender e TORTURAR, ah se…não! E isso, eu digo claramente, identifico na massa. Não viso a ninguém especial, nesta avaliação serena,, muito pelo contrário, tenho amigos petistas que são open-minded, inteligentíssimos etc.. mas a massa petista das que vejo e leio – não todos a massa, a maior parte, é ignara, é burra e é ameaçadora, amedrontadora (o que não significa que nós devamos ter medo deles) além de ditatorial, impositiva. U-ma ver-go-nha!

    O petismo exacerbado (redundância, se me permite) é uma aberração.
    beijos
    Não perca, não percamos mais tempo, com ninguém que não seja ARTICULADO, EDUCADO e INTELIGENTE. Seja de que lado, de que comprimento, largura e altura for!

    Um beijão
    Meguita

    =-=-=
    Hoje tô em casa à tarde grudada na maratona Desperate Housewives, mas lá pelas 9 da noite, vamos sair.
    nesse intervalo, podemos nos falar, OK?
    M.

  9. Meguita, querida,
    Você sempre generosa comigo, obrigado. Li as palavras do Ery com alguma culpa. De algum modo, as palavras de revolta que postei trouxeram-lhe dissabores. Assisti anfitrião, sem poder fazer muita coisa, as discussões que se estabeleceram lá no Lord. Ficou-me um travo. A defesa apaixonada que alguns fazem do Lula, a tristeza de uns e alegria de outros com a morte de ACM, os ataques que fazem ainda hoje ao FHC, ao Serra, ao Alckmin, fizeram-me pensar. Muitos gostariam de calar a imprensa e a acusam de marrom, outros criticam em tom mais alto esse governo. Como lidar com toda essa paixão? Cheguei à conclusão que dentro de um quadro como esse não mais irei discutir. Emitirei, é claro, minhas opiniões, afinal não sou de ficar calado. Evitarei, porém, o debate onde a razão não tem espaço. Não sou daqueles que acham que minhas idéias precisam prevalecer. Já estou crescidinho para precisar de apoio para elas. Só não posso embutí-las pois sufocaria. Não dá para discutir com quem idolatra as pessoas. É o que tenho visto por aí: idolatria.
    Grande beijo

    =-=-=-=
    Lord, nem sequer uma vírgula a acrescentar que não pode e nem deve se sentir culpado.
    beijo
    Meguita

  10. Matilda says:

    Ah! Meg, desde a vaia que um carrossel de emoções ronda esse país: foi a vaia, foi o estúpido desastre, foram os gestos obscenos e afrontosos, foram as medalhas merecidas para nossos atletas, foi a morte tardia, foram as condecorações indecorosas, foi o Sivam dando pane, foi o grande-lider não vir ao enterro por medo de nova vaia, foi o povo realmente choroso no enterro, enfim, o emocional anda aflorado e o racional indignado esses dias.
    Nessas horas mergulho dentro da poesia, da música, da arte, da dança para recuperar o equilíbrio, para me sentir menos desamparada, para amenizar a sensação de que ninguém liga para o humano, ligam sim para seus pares ou lideres, enfim, no ar nem os aviões de carreira ultimamente…
    Mundo torto esse…
    Beijos, :).

%d blogueiros gostam disto: