Desculpem, mas é muito bom ser Meg, assim (UPDATED)

“Tornei-me crítico e minha atividade começa quase sempre nestas lojas. Percorro os lançamentos e escolho um, analiso primeiro os detalhes. Se o autor aparece muito formal na pose, recuso seu produto. Se há enxurradas de elogios, idem. Se a diagramação for excessiva, também aborto a compra. Quando um livro de prosa passa por esta inspeção, leio o primeiro parágrafo. Caso me convença, leio o último. E, por fim, procuro ao acaso alguns diálogos no meio do volume. Se não soarem falsos, eu o adquiro. Com poesia é mais fácil, o mau poema salta quando folheio o livro.” Miguel Sanches Neto. In: Herdando uma biblioteca”. Sanches Neto, Miguel.Rio, Record, 2004, p. 21-26

shakeco.jpg
© 1998 Tim Spragens

Tenho estado esses dias estudando muito, pesquisando muito, lendo mais ainda e num ritmo alucinante. Descobrindo coisas, colocando coisas em ordem, catalogando esquecimentos, colidindo com insensiblidades extra-mares, não só extra-muros.
Mas há pessoas tão maravilhosas que fazem a gente ter prazer de/em ser quem é.
Eu não reconheço em mim qualidades especiais, mas sinto que algum valor eu hei de ter para merecer uma homenagem, que me deixa embaraçada, mas por outro lado, orgulhosíssima.
E eu – que sei (ah! como eu sei!) o que é ser devastada e ser acarinhada, as
Leia mais deste post

Cesse tudo, inclusive as promessas: Ingmar Bergman 1918-2007(R.I.P)

ingmar_sonata1.jpg
Ingrid Bergman e Liv Ulmann piangendo pianissimo na Sonata
gritos_e_sussurros_bergman_pieta250.jpg
Anna e Agnes, a Pietá de Bergman: COMPAIXÃO!(Gritos e Sussurros)
ingmarbergman_fanny.jpg
Pelos olhos de Fanny e Alexander.
ingmarbergman2.jpg
Saraband, remanescência de Cenas de um Casamento.

No UOL, clique aqui, O blog de cinema da FOLHA de S.PAULO, coitadinhos, comeram mosca:-( não atualizaram, não existe nada a respeito. Mas a Folha como um todo é freguesa (quem sabe, sabe) . Shame on them. Já o Luis Carlos MERTEN, competentíssimo, embora com imensos compromissos, não deixou de atualizar. É o maior, é assim que a gente faz!


♣♣♣♣♣♣♣♣♣♣

Ingmar, o Possesso.
Ingmar Bergman , a grande obssessão de Woody Allen. E de praticamente todos os diretores de cinema que relataram, descreveram ou representaram relações pessoais conflituosas, ansiosas, atormentadas e, por isso, também, muito fortes e sem a preocupação de redimir o que ou quem quer que fosse. E também, de todas aspessoas, como as pessoas que viveram um tempo que foi o meu: A Morte é um assunto fatal, quero dizer, inelidível, em obras de Bergman, ou a Morte, assim como o Tempo, é apenas uma ilusão metafísica, que despreza a ontologia? Vida, Amor, Morte, e as pessoas ou entendiam ou diziam que entendiam. Gostavam ou diziam que gostavam. Jamais conheci um “serumano , nem uma serumana* que não gostasse de algum “filme do Bergman'”. (“Filme do Bergman” parecia já ser um gênero diferente, isolado, um gênero outro). Dele, que jamais fez concessões em sua condição de realizador. Um dos maiores do Olimpo! Ao lado, claro, de quem? Faça você a sua lista e aposto que ele estará lá.
Ingmar que certo dia deu uma surra (sim, ele bateu feio e forte na ex-mulher) a sublime Liv Ulmann, dizendo que a cena, o take, a tomada, whatever,não saíra do jeito que ele queria. Liv reclamou, mas fez. (O episódio é deliciosos e como eu o entendo)

(Esta, um grande boo para todos, papudos me perdoem, mas parece que só eu registrei no Sub Rosa, e Pedrinho Dória , o Ped reproduziu no seu blog do maravillho NoMínimo.)

INGMAR BERGMAN , nascido a 14 de julho de 1918 em Uppsala, ao norte de Estocolmo, aos 89 anos , na ilha praticamente particular, de Faaro, no Mar Báltico. Ele vivia praticamente isolado do mundo, depois da morte de sua última esposa, a quinta de de uma espécie, a das mulheres mais interessantes do mundo, com quem ele se casou, ou teve um casamento não convencional: Ingrid von Rosen, em 1995.

Você leu a biografia dele? Então, veja todos os filmes que quiser, mas guarde tempo para ler “A Lanterna Mágica

Então, para não falar essas besteiras, eu reproduzo, com todo o meu pesar, mas como quem se despede de um parente que tivemos por muito tempo em nossa casa. E que em absolutamente *T*U*D*O* o que realizaou, deixou a marca de verdadeiro GÊNIO (ah essa palavra , tantas vezes usada em vão)
Requiem, portanto, para Ingmar Bergmar, e umas palavras de luto enviadas por um grande Amigo, um grande esteta, que ama cinema, música e Artes, e que é um dos melhores escritores que conheço:

As palavras dele, falam melhor do que eu jamais poderia.
Um beijo e fiquem com ele, o escritor: (foi ele que me avisou da passagem do possesso Bergman.

 

“Eu gostava de uns poucos, raros filmes.Acho que pelo menos 1/3 desse pouco deve ter sido feito por Bergman.Um terço do que houve ou (ainda) há de arte na chamada “Sétima Arte” passou hoje a ser apenas memória e repetição.Dá até vontade de esquecer um pouco o “purismo” voltado à reprodução musical e adquirir um receiver e umas caixas satélites, para sonorizar uma sala voltada aos efeitos surround de cinema.Mas sei que Bergman debocharia de toda essa aparelhagem, assim como de todo desenvolvimento tecnológico do cinema desde os anos 40… som e cor… o que veio depois é dispensável.
Muito abraço,
Habel

=-=-=-=-

Agora, vem cá, diz pra mim, qual o seu filme preferido do Bergman e por que?
Quem me conhece sabe que amo os filmes do Bergman , e assisti a praticamente todos eles. No meu círculo, digamos de amizades, geramente professores, e outros tipo de ooooooohmaigüdiness de intelequituais, era um programaço ver filme de Bergman no cinema ou em…tee. VHS, lembram de VHS?
Então, meu filme preferido, et pour cause, é Morangos Silvestres. Ops, desculpem, mais que nunca, Freud explica, tsss. tsc… é SONATA de OUTONO(Höstsonaten) Não há como esquecer aquela relação angustiada entre mãe e filha. Expliquei? Pois é, creio que eu disse-me!

(Putz, não encontro nenhuma picture da Liv Ulmann e Ingrid Bergman em “Autumn Sonata”. Vc tem alguma? Se tiver, você me dá? Obrigada!

 

Reproduzo, por pura vaidade de me ter feito mulher, a mulher que sou, num processo que deve absolutamente tudo a Bergman. Milton diz que Bergman é o maior cineasta de todos os tempos. Eu respondo: (ops..onde foi que eu aprendi a usar tanto o pronome eu?
Dirigindo-me ao cinéfilo Milton Ribeiro, em comentário à sua bela homenagem a Ingmar Bergman:

“Por defeito de formação e mais principalmente, por defeito de profissão, evito ao máximo os superlativos absolutos.Seria então esta, uma das pouquissímas vezes em que eu secundaria palavras como as tuas. Por dever tanto a ele, sendo e aprendendo a ser mulher, sob a ótica de quem nega o que outros negam: a condição de SER ao ser mulher. O que sempre será aterrorizante. Pela visão política de se encarar o o MAL, o horror que pertence à Vida. Pelas angústias inevitáveis e pela compreensão de que somos seres-para-a-morte. Irremissível constatação! Vivi um tempo riquíssimo de contradições e descobertas, e aprendemos com ele que, de forma soberba, nos colocou em contato com a angústia da vida, os tormentos do amor, as impossiblidades de ficar (*patinando*) nas pequenezas e ter um universo mais largo e a mente mais aberta.
GÊNIO, sim, ele era. GÊNIO: esta palavra tão incompreendida e tão inflacionada de sentido.
Mas, com quem quiser, compartilho meu abraço de entendimento e solidariedae.
E uso aqui as palavras de Woody Allen, o cineasta/realizador que teve mais familiaridade com as idéias de Bergman e mais *proximidade* no sentido heideggeriano, do pensamento que ao abarcar algo, tudo abarca:
” …Ingmar Bergman, provavelmente o maior artista do cinema como um todo, desde a invenção da câmera de cinema”

Beautifully said!
Bergman vive!
Maria Elisa Guimaraes

Caso você tenha também, como eu, uma estima pelo filme “Autumn Sonata” SONATA de OUTONO, não perca este blog , que foi uma descoberta de minha amiga querida  Isa. Obrigada, querida..(Höstsonaten)

stand by mode.

Hyia!
Vou ficar mesmo, mais alguns dias, sem poder vir aqui.
Então, queridos, é isso, pra aliviar a saudade:
Uma frase que adoro e que gostaria de repartir com vocês:

“Todas as portas estão abertas ou não há portas”

não sei quem é o autor dessa pérola, mas já gosto dele(a)

No mais é ir, claro , claro, no Projeto Volare e lá nas Parcas…As Parcas, as Fiandeiras!
Putz! é tão belo, é tão bonito, que considero um dos pontos mais altos de todo o meu tempo de blogosfera e lá se vão seis anos!!!!
Como é possível tanta beleza e as pessoas não estarem trombeteando essa beleza?
Que inversão, cara, essa nossa: não é o Belo que nos atrai, mas o terrível, ou horrível. tss..tsc…
OMG! As Parcas são formidáveis e terríveis, quem souber que conte a história, o mito. Já vi tantas formas diferentes de se representar essas entidades míticas, poéticas e alegóricas. E que sorte podermos vê-las bem ali, num clic ici, não é?
No mais é ouvir (cantar) esta outra maravilha, ELE é a maior maravilha, mas concedo que um ou outro possa discordar, e lembrar tudo sobre as portas:

Todas as portas estão abertas ou não há portas“.

Hasta pronto! tiau! arrivederci!
(Torçam por mim, e não aceito menos que “morram” de saudades hein?, ouviram? Bom!;-)

PROJETO VOLARE: palavra, imagem e pensamento

parabola_quatro_filhos_001.jpg
Reinterpretação da Parábola dos Quatro Filhos, Wolloch Haggadá, David Wander, 1988.

Perguntaram uma vez ao Dubner Maggid:
— “Porque razão têm as parábolas um efeito tão grande nas pessoas?”
Ao que o pregador respondeu:
— “Posso explicar contando uma parábola.”
E foi esta a parábola que contou:

Há muitos, muitos anos, a Verdade caminhava pelas ruas, nua como no dia em que nasceu. O povo recusava deixa-la entrar nas suas casas naquele estado. Qualquer pessoa com quem ela se cruzasse fugia a sete pés. Vagueava a Verdade com grande tristeza quando um dia se cruzou com a Parábola, que se vestia com roupas de esplêndidas cores. A Parábola perguntou-lhe: “Diz-me amiga, o que te faz andar tão triste?” Ao que a Verdade respondeu: “É terrível, minha irmã. Sou muito velha e por isso ninguém me liga.”
“Não é por causa da tua idade que as gentes não gostam de ti. Eu também sou velha, mas quantos mais anos passam mais as pessoas me apreciam. Deixa-me dizer-te um segredo: o povo gosta de adornos e encobrimento. Vou emprestar-te algumas das minhas roupas e verás como o povo também vai gostar de ti.”
E assim foi. A Verdade seguiu o conselho e vestiu as roupas da Parábola. Desde esse dia, a Verdade e a Parábola passaram a andar sempre juntas e o povo gosta das duas.

Rabino Yakov Krantz (1740-1804), conhecido como “o Pregador de Dubno” (Dubner Maggid), Ucrânia.
in Jewish Preaching 1200-1800, Marc Saperstein, Yale University Press, 1989.
Retirado do excelente, (mais até, se se pode dizer) blog: Rua da Judiaria.
XXXXXXXXXXXXXX

Queridos: leiam e comentem, se me querem fazer um agrado, :-) É tão bom ter comentários.
Mas ficarei ainda mais feliz se além dos comentários vocês fossem visitar esta página, criada em conjunto pela minha queridíssima Thata Fabris, uma geninha (está na faixa dos 20, ou seja ‘na aurora da minha vida’, como diria o poeta ) e sou (sou, não sou, Lil’ Tha? madrinha do PROJETO VOLARE, criado por ela e por um grupo de pessoas, artistas da palavra (?), que, cada vez mais, se torna mais crescente e numeroso . Gostaria de ter feito uma entrevista para saber e dividir com vocês tudo sobre o projeto. Porém como Thata é muito ocupada, e não quer privilegiar os fundadores do projeto… (uma pena!, não? acham? mas fazer o que?)
Eu, particularmente, acho que tudo, tudo é visual. Na internet, um poema é visual sempre, já que se vê e lê o poema . Então, com exceção da Música praticamente *TUDO* é visual, na nossa cultura, neste estágio em que estamos, principalmente, em que para tudo solicitamos o OLHAR. E somos solictados a OLHAR. E, aparte isso, há aquela história de que uma imagens diz mais que mil palavras, não é CLAUDIO BOCZON e EDUARDO LUNARDELLI, meus dois artistas plásticos mais importantes e interessantes?

(Aliás, o Boczon, está fazendo trabalhos em metal e madeira, creio que mais uma bela parte do capítulo FUSÃO, em ARTE, sobre as PARCAS. Objeto de post na próxima semana, mas nada impede que corram todos para lá. Corram sim, o trabalho vale cada minuto de espera…)

Eu acho que a imagem não diz tudo…e nem pode se desvencilhar da palavra. E vocês? Olhem aí o exemplo da parábola:-). E há também a célebre frase axiomática de Millôr Fernandes a respeito.(*)
Agora quanto às imagens – suas relações com a leitura , com a palavra e com o pensamento , isso será motivo de um post/conversa, pra muito breve.


Saio agora, pedindo imensas desculpas por ter escasseado minhas visitas aos blogs que adoro: estou na reta final de dois projetos, e tenho emails para escrever e responder. Mas estou de olho, em vocês, heins? Como vcs sabem I have connections, I have my people;-)))))). 1. Anyway:: os intervalos de freqüência nas visitas não implicam uma redução de afeto e amizade, OK?

(*)Diz a lenda que foi MIllôr Fernandes, mas pode não ter sido ele, entetanto, diz a lenda que quando lhe disseram pela milionésima vez: “Uma imagem vale mais do que mil palavras”, ele respondeu:
— Tá! Então diz esta frase em imagem.
Pano rápido!

Sabe do que mais? Eu dava, se eu pudesse, dava.

Puxa, se até este aqui gosta, como é que eu não vou gostar, se gosto tanto de rock e de J.D?
pirates.jpg
Editoras oferecem mais de US$ 7 mi por memórias de Keith Richards

keith_richards_esta.jpg

NOVA YORK (Reuters) – A disputa entre várias editoras pelos direitos de publicação da autobiografia do roqueiro Keith Richards elevou o adiantamento a ser pago ao co-fundador dos Rolling Stones para US$ 7 milhões.
O jornal New York Post afirmou na edição desta quinta-feira que os lances acabaram se concentrando entre duas editoras: a HarperCollins, unidade da News Corporation, e a Little Brown, uma divisão da Hachette Filipacchi.


Como há um impasse entre as duas em relação ao preço, disse o Post, citando uma fonte não identificada, a escolha ficará por conta do editor e da campanha de marketing planejada para o livro
. \[Então, já estou contribuindo]/


De acordo com o jornal, a única meta de Keith Richards é superar o adiantamento de quase US$ 5 milhões obtido por Eric Clapton para sua própria autobiografia, prevista para ser lançada em outubro. [Tsc tsc…magina, intriga da oposição, fala sério: eu adoro o Eric Clapton, mas se fosse pra ler uma autobiografia de um ou de outro, qual vocês prefeririam? também acho que é falso, isso é onda pra queimar o filme do Richards;-))). Gente o Keith, é um dos melhores do mundo, ele faz improvisos que chegam a ser tão bons quanto os de Chuck Berry, e isso não é pouca coisa, não!(tem que respeitar, certo?) assim disseram os melhores críticos, que realmente entendem e eu estou passando conforme ouvi]
Retirado daqui
E quer saber? Quem toca como esse homem toca, pode tudo!!! Ay caramba! Ai, se eu pudesse e se o meu dinheiro desse:-))
—–
Esta é minha homenagem super/hiper/ultra/atrasada em comemoração ao dia do ROCK. Muito embora, todo dia seja dia de Rock!
E Viva Van Halen!
E viva Jimmi Hendrix!

Correspondência virtual – Protesto!!!!

luto.jpg

Recebi da minha querida – de sempre, de muito tempo – Luma, ela , a a das festas iluminadas.
E repasso, pois concordo e não faço mais que minha obrigação: o que, aliás, é muito, muito pouco, diante de tanta vergonha e, principalmente sofrimento e dor, ou…ou de dor e sofrimento e revoltada por tanta falta de vergonha.
Vou roubar o sinal de luto da Aninha.

“Oi!!

Estou longe dos blogues mas não longe dos acontecimentos.
No próximo domingo, dia 29, haverá uma caminhada em protesto ao caos aéreo em São Paulo.

Por favor, divulgue. A próxima vítima pode ser você!

http://img256.imageshack.us/my.php?image=protestorb8.jpg

Obrigada, Luma”Está aqui o trajeto da caminhada;
(Domingo).Horário: 9horasRoteiro: SÃO PAULO – Saída: Monumento das Bandeiras (em frente aoParque Ibirapuera); segue em direção àAv. República do Líbano; Av.Indianópolis; Av. Moreira Guimarães até aAv. Washington Luís, em frente aoTerminal de Cargas da TAM EXPRESS.

I’ll be there for you…

adorabelgoofy.jpg

Happy Birthday!… duh!

Irresistível:
– Será que o ‘homem antigo’ se acabou porque eram todos homo? Homo erectus, homo faber, homo sapiens e outros homo…?