As máquinas de incentivo à leitura e a Dor

Recebi inúmeros (mentira, foram só 3 emails ;-), me perguntando a respeito daquela, dessa ilustração do post anterior. A dos livros.
Bom, eu acho melhor deixar para a próxima semana, mas algumas pessoas , principalmente em Sampa, conhecem muito bem essas máquinas. Elas são, para minha supresa, tidas e havidas como incentivadoras de leitura. Vamos ver… Whatever will be, will be.

O que agora mais toma a minha atenção é a tristeza em que se encontra alguém que eu conheço um pouco: nem muito que pudesse evitar, e nem tão pouco que não possa fazer nada para ajudar. Daí que vou fazer esse post para essa pessoa que que me diz baixinho que a dor é tanta que era melhor não existir.
Como os pouquíssimos que me conhecem sabem, eu acho que a Vida é o melhor que temos, dispomos dela, nem sempre bem, mas na maioria das vezes, vale a pena encarar o que vier…
Sempre se pode dar um jeito, e eu sou a última a me sentir bem para aconselhar.
Entrem , comentem, e me ajudem a esperar por ela, que certamente voltará. A ser o que era. Ou até a ser melhor.

Não queria nada alegre nem triste: Eu só queria que fosse bonito.

O quadro de Delaroche, (este simbolista que adoro, veio à minha mente, por acaso, bem nem tanto, pois se não sabem, saibam que tenho duas paixões imensas e irremovíveis: Shakespeare e Nietzscehe… assim sendo, vocês já imaginam, que a compulsiva aqui só poderia se lembrar nesse momento, de Shakespeare, na sua peça mais fundamental… claro. Hamlet, o “poema ilimitado”. Conhecem a cena, não é? E esta Ophelia é uma linda representação.

(Mas, se houver um excelente blog de humor, eu não me incomodo, não fico com ciúmes: vão lá, mas voltem, hein?;-), Bom!

Bem, começando:
—-
Ophelia, Paul DelaroucheOphelia, p/ Delaroche, Paul.

Um poema:

A cólera divina – Adélia Prado

Quando fui ferida,
por Deus, pelo diabo, ou por mim mesma,
– ainda não sei –
percebi que não morrera, após três dias,
ao rever pardais
e moitinhas de trevo.

Quando era jovem,
só estes passarinhos,
estas folhinhas bastavam
para eu cantar louvores,
dedicar óperas ao Rei.

Mas um cachorro batido
demora um pouco pra latir,
a festejar seu dono
– ele, um bicho que não é gente –
tanto mais eu que posso perguntar:
por que razão me bates?

Por isso, apesar dos pardais e das reviçosas folhinhas
uma tênue sombra ainda cobre meu espírito.
Quem me feriu perdoe-me.

    Adélia Prado, “A cólera divina

********

E alguns touchstones:, que vocês sabem muito bem o que é, não sabem?;-)
Tipo esses:
Emily
“Si leo un libro que pone mi carne tan fría que ningún fuego podría calentarme, sé que es poesía. Si siento físicamente como si me hubiera saltado la tapa de la cabeza, sé que es poesía. Estos son los únicos medios como lo se. ¿Hay otros?”

    Emily Dickinson

*************

pacienter
“Es urgente esperar”

    (anónimo)Ou se souberem o autor, digam, sim, por favor?

Lezama

La luz es el primer animal visible de lo invisible”

    (José Lezama Lima)

================
OK! OK ! Eu sei que ninguém gosta de posts +/- tristes, mas… c’mon um dia, um único dia tem de acontecer , não é mesmo?
O próximo post é sobre alguém que fez do mundo um lugar mais feliz para todos:-)

Um beijo:-)
E enquanto isso, ouçam a lindíssima:

NickCave (meu amor) & Kylie Minogue: WhereThe Wild Rose Grow

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

19 Responses to As máquinas de incentivo à leitura e a Dor

  1. Eduardo says:

    Meg, querida, estaremos sempre aqui na dor ou na alegria! É a vida!Bjs.

    Isso é maravilhoso, é essa a maior recompensa, o melhor prêmio: a Amizade.
    beijos
    M.

  2. aninhapontes says:

    Isso mesmo, quero ver esta casa, sempre linda e feliz, sempre com músicas, com alegria, como o cão, que apesar de ferido, ainda agrada seu dono e amigo.
    Se tem alguém triste, vamos ajudá-la (o) a sair da tristeza. A vida é curta demais para perdermos tempo com tristezas.
    O que vale é só alegria.
    Um beijão querida.

  3. telinha says:

    mommy, esta música marcou o início do meu namoro com amado marido… ele que me apresentou o nick cave e eu ficava ouvindo murder ballads em repeat eterno
    nota-se que não somos um casal normalzinho, né? mas também temos wonderwall para contrabalançar :)
    fiquei emocionada e com saudade daquele tempo em que eu não sabia que ia ser assim hoje, mas já sentia que as coisas iriam bem, muito bem…

    então foi um presente à memória do seu amor.
    Também eu fiquei emocionada, minha linda.
    beijos
    Mommy

  4. telinha says:

    acredita que eu estou ouvindo a música em repeat faz bem uns 15 minutos? :)

    ouça minha linda

  5. nora borges says:

    Olá, Meg. Como vai vc?
    Fui lá na Lulu e adorei a sugestao. Já voltei, tá.
    Ainda nao escrevi nada, mas já estou passeando por aqui.
    Beijos

    Viva! querida, que bom que voltou.
    venha por favor brilhar aqui.
    Beijos
    Meg

  6. thata says:

    ta bem no meu mood de hoje esse posto.
    ficaremos (todos) bem…né?
    beijos

  7. Nelsinho says:

    Oi Meg

    É sempre gostoso vir aqui…

    Bjs

  8. Alma says:

    Não consegui ouvir a música, Meg. Ele também é meu amor…

    Ai, também ando triste pra caramba.

    Beijo, Meg

  9. Um post para se guardar. Muito bonito, respeitoso e amigo. Me deu até vontade de ficar bem triste para relê-lo.

    Beijo, Meg.

  10. lulu says:

    “Não queria nada alegre nem triste: Eu só queria que fosse bonito.”

    sabe o que eu acho? minha amiga querida meg,

    que é sempre bonito.

    mesmo quando alegre ou triste, ou mesmo quando parece que num dá mais, mesmo quando parece que era melhor não. É sempre bonito, porque é verdadeiro e não há nada mais lindo que a verdade que é estarmos vivos e contruirmos nossa história, toda gauche, mas tão linda, não é? Verdadeira, em busca de poesia no mundo. Eu sei que é assim, mal te conhecendo.
    Mesmo quando é bem ruim, é bonito. E precioso. E quando não tem mais nada, a gente se preenche desse amor, pela vida, e diz sim. E aos poucos vai ficando possível de novo.

    um beijo grande,
    fica bem.
    Lu.

  11. Alma says:

    Consegui ouvir a música, Meg!

  12. Meg,
    Como disse Vinícius:
    “A vida é a arte do encontro.
    Duas mesmo que é bom
    Ninguém vai me dizer que tem
    Sem provar muito bem provado
    Com certidão passada em cartório do céu
    E assinado embaixo: Deus
    E com firma reconhecida.”
    Em vista disso, como você bem disse, a vida é o melhor que temos. É agüentar firme e esperar a dor passar. Ela passa, com certeza.
    Beijão

    Muito obrigada, Lord.
    Sei também que vai passar, preciso saber lidar é com a arte de ter paciência.
    beijos
    M

  13. selenia says:

    Meg, Querida,

    Quanta coisa bela vc nos oferta: música, palavras, poesia, um pouco da tua alma, tocando o que temos de mais fino, escondido, às vezes…
    Adélia Prado, “A cólera divina“, adorei.

    Abraço, Meg. O Abraço.

  14. Olá…
    Vim retribuir e agradecer a tua visita e as belas palavras que me deixaste … volta sempre que a casa é tua…
    eu gostei muito do que aqui encontrei e vou voltar sempre ….
    beijinhos e bom fim de semana

    Obrigada, muito obrigada Isabel e volte sim, a casa é sua.
    Irei também lá no seu belo e rico blog.
    Beijos

  15. Voltei depois 3 dias no limbo sem conexão…
    Um site engraçado: http://www.malvados.com.br
    As ilustrações: Absurdas, assim como os textos.
    Sobre a vida, algo que só se pode ter uma vez deve no mínimo ser muito bem utilizado.
    e … finalizando, estou esperando aqueles nomes que vc está me devendo.
    Beijos!

  16. aninhapontes says:

    Por onde anda minha amiga e irmãzinha?
    Estou sentindo sua falta.
    Está tudo bem?
    Um beijo

  17. Magaly says:

    Cá estou, minha querida Meg, com um nó na garganta, que vou coseguir desatar já, já. De saudade desses posts-verdade, desses poemas instigantes, dessas músicas vibrantes, da referência às suas predileções, desse seu jeito de ser, humana, vulnerável, desprendida, dessa sua alma limpa, voltada para o bem
    Cá estou a abraçá-la novamente, a dizer que meu PC está reintsalado, regenrado para nossa alegria e comodidade, que estou amando meu novo cantinho, que está quase todo pronto.
    Pra recomeçar aqui, vou torcer pela pessoa triste de que falou no post, orar por ela, tentar enviar energia para que ela se restabeleça e venha a se sentir feliz dentro en breve.
    Um beijo grande e dias alegres para todos nós.

    Você é Amiga mais maravilhosa que Deus me deu entre todas as maravilhosas. A pessoa triste vc sabe quem é:-)
    Obrigada, querida
    beijos
    Meg

  18. Queridos
    Estou também chegando agora.
    Mas vou respoder a todos. To-di-nhos:-)
    Beijos e obrigada
    Meg

  19. lulu says:

    Meg querida,
    que bom te ver chegando. Que bom mesmo. :)
    L.
    ( visite o diário, tem texto procê – também procê. :) )
    Beijo .

    Querida Lulu.

    Já fui ver…
    É muito bonito e merece uma releitura.
    Vou voltar lá.
    Em dois ou três dias estarei de volta.

    Muito, muito obrigada e tudo de bom para você!

    respondido em 7 de maio de 2007

%d blogueiros gostam disto: