SONETO DEL VINO

Matisse_Caracol
Matisse

    para ilustrar
      1. JORGE LUIS BORGES

SONETO DEL VINO

¿En qué reino, en qué siglo, bajo qué silenciosa
Conjunción de los astros, en qué secreto día
Que el mármol no ha salvado, surgió la valerosa
Y singular idea de inventar la alegría?
Con otoños de oro la inventaron. El vino
Fluye rojo a lo largo de las generaciones
Como el río del tiempo y en el arduo camino
Nos prodiga su música, su fuego y sus leones.
En la noche del júbilo o en la jornada adversa
Exalta la alegría o mitiga el espanto
Y el ditirambo nuevo que este día le canto
Otrora lo cantaron el árabe y el persa.
Vino, enséñame el arte de ver mi propia historia
Como si ésta ya fuera ceniza en la memoria.

—-
SONETO DO VINHO
Tradução de Anderson Braga Horta

Em que reino, em que tempo e sob que silenciosa
Conjunção planetária, em que secreto dia
Que o mármor não guardou, surgiu a generosa
E única inspiração de inventar a alegria?

Ah! com outonos de ouro a inventaram. O vinho
Vermelho e ardente flui banhando as gerações
Como o rio do tempo, e em seu árduo caminho
Seu cântico nos doa, e seu fogo e seus leões.

Na jubilosa noite e na jornada adversa
Ele exalta a alegria ou suaviza o espanto.
E o ditirambo que hoje, efusivo, lhe canto

Disse-o o árabe uma vez, cantou-o outrora o persa.
Vinho, ensina-me a ver a minha própria história
Como se fora já cinza e pó na memória.

——
SONETO DO VINHO
(2.ª versão)

Em que reino, em que século, sob que silenciosa
Conjunção astrológica, em que secreto dia
Que não salvou o mármore, surgiu a valorosa
E singular idéia de inventar a alegria?

Foi com outonos de ouro que a inventaram. O vinho
Vai fluindo vermelho, banhando as gerações
Como o rio do tempo, e em seu árduo caminho
Dá-nos a sua música, o seu fogo e os seus leões.

Quer na noite do júbilo, quer na jornada adversa,
Ele exalta a alegria ou suaviza o espanto
E o ditirambo novo que este dia lhe canto

Igualmente o cantaram outrora o árabe e o persa.
Ó vinho, ensina-me a arte de ver a própria história
Como se esta já fosse em cinzas na memória.

Jorge Luis Borges – Argentina – (1899-1986) in El Otro, el Mismo.

—–

.
Para todos, todíssimos.
em especial para quem inventa alegrias verdadeiras, desconstruindo tristezas idem.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

23 Responses to SONETO DEL VINO

  1. Eduardo says:

    Matisse ilustrando Borges. Bom isso! Bjs.

  2. Maria Elisa Guimaraes says:

    Mas, Eduardo , tu não dormes, ou já acordaste?
    ;-)))

    Tem vários recados espalhados pelo blog para você.

    E do poema, não gostou?
    Beijinhos
    Meg

  3. O que acho bonito é todo o ritual que se faz, para as coisas importantes, que prá mim pode ser uma, prá você outra, e para o outro, ainda uma terceira opção.
    Agora que frase de homenagem mais linda esta: Alguém que inventa alegrias verdadeiras, e desconstrói tristezas também verdadeiras.
    Um beijo prá você.

  4. MEG, logo pela manhã: Matisse, viño e J.L.Borges. O quê mais posso querer?
    Tenha um bom dia, querida
    Abraço apertado
    PS: gostei da versão2, de quem é?

  5. Maria Elisa Guimaraes says:

    Aninha:
    As pessoas são assim – elas são extamente o que elas vêem e guardam a essência do que vêem em sua alma.

    Fiquei muito comovida que vc entendesse a dedicatória, que é minha, para pessoa que muito tem me ajudado.
    Espero que esa pessoa entenda e goste como você.

    Aninha, vais passar a ser minha filhota, visse, menina linda?
    Um beijo e não me fiques mais em manutenção. Humpft!
    Preciso de ti aqui, menina querida!
    Milhoes de beijocas para vc.

  6. Maria Elisa Guimaraes says:

    Valter:
    Estava adivinhando que ia receber mais uma nova filhota.

    Viste quem é a linda pessoa que te chama de BEM!!
    Claro que sim, mas eu ´pe que ainda não tinha recebido um trato tão especial.
    Beijos aos dois.
    M.

  7. Meg, meu bem,

    Aninha já fez o destaque, a homenagem, líndíssima.

    Generosidade é um sentimento que pertence aos notáveis, vc entre as mais.

    Às vezes, penso que a humanidade será triste e sombria, no entanto uma palavra, o amor, as amizades, esses frutos de euforia da vida, nos trazem de volta ao seio do essencial, do que mais importa. O que verdadeiramente nos importa…

    “Homenagem mais linda esta: Alguém que inventa alegrias verdadeiras, e desconstrói tristezas também verdadeiras.”

    Me importo com vc. Abraço. O abraço.

  8. Eduardo says:

    Meg, acordo cedo. Por certo, também durmo cedo, e gostei muito do poema do Borges. Dele “quase” tudo é bom! Obrigado pelas visitas!

  9. Ery says:

    Soares Feitosa disse que “Borges vive e escreve cada vez melhor”. É uma afronta discordar disto, pois o “hermano” consegue atingir o âmago, conhece –como ninguém– o caminho para se chegar à essência. Belíssimo sonêto. Bom final de semana pra você Meg.

  10. Ery says:

    ops, corrigindo, o autor da frase sobre Borges é o jornalista José Nêumanne, editorialista do Jornal da Tarde. Sorry!

  11. Maria Elisa Guimaraes says:

    Mas Ery… é que a gente liga mmesmo tudo no Jornal de Poesia ao Soares feitosa.
    E o Nêumane é grande amigo dele, são quase um só.

    Agora o JP foi subsumido pela Revista AGULHA.

    Ainda nao entendi direito,
    Mas o feitosa fez 95% do Jornal sozinho.
    Obrigada pelo belo comment.
    O mesmopara vc e Vesper.

  12. Meg querida, já não estou mais em manutenção.
    A casa está em ordem e linda!
    Agora, acho que estou mais para uma irmãzinha heim?
    Beijinhos com carinho.

  13. Maria Elisa Guimaraes says:

    ====

    Aninha, estou indo lá , irmãzinha ou como se diz na minha terra: mana:-)
    beijos
    M.

  14. Magaly says:

    Agora que pude chegar, viu, Meg? Esses três últimos dias foram duros, mas venci a batalha da seleção dos volumes, absolutamente todos. Faltam papéis e documentos. Ainda mais chatinho e demorado, mas devo terminar este fim de semana.

    Que soneto bonito! Toca fundo, é lindo mesmo. Fico com a primeira tradução, mais elegante.

    É estimulante saber da existência de pessoas que sabem inventar alegrias verdadeiras e desconstruir as tristezas que nos toldam a alma.

    Abr e bjs

  15. Gepetto says:

    Nem sei bem como cheguei aqui. De gole em gole, opos… blog em blog!Mas foi surpreendente encontrar tanta qualidade junta. Conteúdo e design.
    Meus cumprimentos.

  16. Postei alguma coisa, você viu? Não é uma volta não, foi só pra tirar aquela história da página principal. É você mais uma vez me fazendo escrever.
    Beijos.
    Saudade

    RESPOSTA:

    César não sei porque sai novamente como spam
    Acho que vc devia comentar to-dos-os-dias”!!!!!!!!!
    Beijos.
    Meg

  17. Alma says:

    Puxa! Alívio te ler, alívio saber que está bem…

    O resto? O nome já diz: é resto.

    Nossa vida é muito curta pra gente guardar rancores, n´est-ce pas?

    Um beijo carinhoso,
    Alma

  18. Maria Elisa Guimaraes says:

    Alma, querida , em primeiro lugar, obrigada por você estar aqui. Não sabe o quanto precisava e ainda preciso do apoio de pessoas de quem eu gosto e a quem respeito tanto, como você.

    Sobre o que vc fala , eu escrevi um post , o primeiro ao reiniciar neste blog, chamado RECOMEÇAR, e com certeza vc deve ter lido.

    Respeito os que tiverem e conservarem rancor – ah! e há tantos – mas querida, não tenho ingerência com o que fizeram com o meu nome.
    E admiro-me de alguns “AMIGOS” ….mas, acho que eles fazem bem, afinal, em suas grandes vidas deve ser um ponto alto, ser juízes, não é?

    ===
    Bom, mas o que importa, é a alegria imensa de você estar aqui.
    Vou transformar em post o seu comment quando Gabriel Marcia Marques
    ===
    E quanto à sua pergunta, só posso responder:
    Oui, c’est “vachement” ça!

    Um beijo e ganhei meu dia.
    M

  19. Quel says:

    Queridissima, que bom que estás aqui, que aquilo tudo não foi, não existiu. Meu carinho vc tem sempre, sempre. Fiquei chocada com aquilo e num repente brava tb, mas depois lembrei do carinho, aquele que tenho por ti e vc por mim e tudo, tudo se fez cinzas.
    Te gosto, vc sabe. E demais.
    Beijo enorme,

  20. Maria Elisa Guimaraes says:

    Por tanto carinho que revelaste ter por mim, por tanto carinho que revelei ter por ti, pelas alegrias que tivemos ao saber das coisas boas da outra.
    E, principalmente por estares tão feliz (embora desanimada) tinha certeza de que não teria que me *explicar* por nada.
    (Há coisas, Raquel, que nem eu mesmo entendo até agora e outras que vou ficando sabendo.)
    Mas de uma coisa sei, AMIZADE VERDADEIRA serve justamente para essas ocasiões.
    Estou felicíssima de receber tuas palavras. Elas são de um valor inestimável.
    Um beijo, querida
    E muito, muito mais, obrigada. Muito mais do que é possível se imaginar ficar.
    Beijos e felicidades.

  21. Passando para te desejar uma boa semana.
    Beijos

  22. Maria Elisa Guimaraes says:

    Aninha, tenteipassar lá e comentar,, pela manhã: não deu:-(
    Mas , agora à noite, escrevi para você.
    Beijos

  23. Pingback: Linda Oneil

%d blogueiros gostam disto: