Rumos Literatura – crítica/PRÊMIO CAMÕES

Com um pouco de atraso, aqui vai o Programa do Colóquio Rumos Literatura -crítica , e que é uma das atividades que integram o Rumos Literatura 2007-2008, do ITAÚ CULTURAL
Já é a terceira edição do evento e desta vez dedica-se à produção literária brasileira contemporânea, com foco na crítica literária.
Começou em alto estilo -ONTEM- com o crítico maior BENEDITO NUNES, a quem coube a honra de fazer a abertura oficial do Colóquio.
E hoje se apresenta ALCIR PÉCORA, outra das minhas grandes admirações.

Eis o programa na íntegra aqui.

linha07.gif

MÚSICA POPULAR: O SÍNDICO
NOVE ANOS SEM ELE

Só eu que adorava ele?:-)
Ah e acho que também o Dudi

=====

LITERATURA:
Escritor Lobo Antunes é o ganhador do Prêmio Camões

EDUARDO SIMÕES
DA REPORTAGEM LOCAL

O escritor português António Lobo Antunes é o vencedor da 19ª edição do PRÊMIO CAMÕES, o mais importante da literatura em língua portuguesa, no valor de 100 mil euros(cerca de R$ 277 mil), patrocinado em partes iguais pelos governos do Brasil e de Portugal. O anúncio foi feito ontem à tarde na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.
De Portugal, Lobo Antunes disse à Folha que é “um prazer terem se lembrado de mim”. Diferentemente do angolano José Luandino Vieira, que, no ano passado, recusou o prêmio literário, alegando “razões pessoais, íntimas”, Lobo Antunes afirmou que vai aceitar. “Tenho admiração profunda por Luandino. Compreendo e respeito as razões que o levaram a não receber. Mas não tenho as mesmas razões.”

Retirado da Folha de S. Paulo e colocado aqui para os que não têm acesso livre e direto ao jornal.

Sobre sub rosa
The most of all things and persons in the entire world drives me *flabbergasted". That includes me.

8 Responses to Rumos Literatura – crítica/PRÊMIO CAMÕES

  1. MEG, como não gostar do Síndico?
    Os eventos culturais são sempre bem-vindos. Daqui de Mongaguá fica difícil participar. Dia desses subi a serra para um lançamento de livro. Fiquei preso no trânsito. Desencontrei-me dos amigos que iriam juntos, um transtorno só. Não vou mais. Curto à distância agora.
    Obrigado pelos links, meu e da Aninha.
    Beijo grande para você

  2. Maria Elisa Guimaraes says:

    VALTER,
    eu já estava perplexa inside and outside, :=)
    primeiro com saudades de vc e de Aninha (ambos ao lado, Ok)?
    E depois, porque me dissram que essas coisas culturais, ñinguém comentava…Pois bem, decreto ( o blog é meu e está acabado) ;-+)))) que seu comentário vale por 50!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    ===
    Valter, querido amigo, agradecer links? No, no, no!!!! Isso de links é foro íntimo, a gente (EU PELO MENOS) só coloco o que /ou quem eu gosto) diga-se e entenda-se bem: do conteúdo dos blogs que eu gosto.
    Nada de trocas. Link é muito, muito bom, eu adoro, fico orgulhosa de ser linkada, mas ó de longe, prefiro ser LIDA E COMENTADA!
    Concorda comigo?

    E olhe, linko muita gente que nem sequer sabe que eu existo: mas é o caminho mais fácil para eu chegar onde gosto.
    Beijos

    Só vou pedir perdão ao Eduardo , nosso querido CIMITAN: eu guardei uma notícia de uma exposição para ele, que começava ontem e perdi.
    Agora dou notícia por antecipação.
    beijos para vc e Aninha.
    M.

    Ah! E o SÍNDICO!!!!….U-ma coi-sa! Um dos maiores valores culturais (pedindo retorno sempre) e musicais que a gente tem ! Pois o artista não morre nunca!

  3. Ontem à noite disse ao bem: acho que vou me dar muito bem com a Meg.
    Achei perfeito o que você disse ao Valter.
    Aos poucos vai me conhecendo. Terá dias, em que vou chegar aqui, entrar, e sair em silêncio, como entrei.
    Se o assunto que você está falando, não me atrai, ou se não entendo do mesmo, não vou fazer comentários apenas para te agradar, correndo o risco até de falar bobagem. Conheço minhas limitações, e convivo bem com elas, ou seja, sei ser discreta, e ficar quietinha, quando isso me convém.
    Já vi por aí em alguns blogs, pessoas que comentam todos os dias, concordam sempre com tudo que o dono da casa fala, tem sempre um comentário do tipo, “concordo com você”, a meu ver, sem opinião própria, “Maria vai com as outras”. Se por acaso, apenas te deixar um beijo, é por que não tenho opinião formada sobre o assunto, ou o mesmo não faz parte do meu dia a dia, coisas que lido bem.
    Futebol, por exemplo.
    beijos.

  4. Habel says:

    Sobre os RUMOS do Dinheiro ou dos Vivos

    Amiga mia, credite se quiser, mas devo dizer que solamente ontem, quando cheguei na coisa, é que descobri que confundira as abobrinhas.

    Um ato falho lamentável, pelo qual me desculpo.

    Quando o intuito é informativo, não se deve confundir o HSBC com o Bradesco, digo, o Itaú com o Unibanco, embora eles façam e signifiquem a mesmíssima coisa, sempre contra nós, que para isso é que vieram a este vale de lágrimas.

    Mas quem não foi não perdeu nada, exceto 15 minutos e meio.
    Porque a organização paulistano-expressa do Citibank, digo, do Real, deu a cada pobre “palestrante” (?) 15 minutos de fama em sua mesa.
    A coisa ontem só não foi inteiramente perdida porque o Pécora, provavelmente por ter entendido “errado” a intenção do MasterCard (seria para falar da produção literária, não da produção crítica), apresentou um ultradensossintético balanço dos descaminhos da crítica nas últimas décadas – e ainda se deu ao luxo de extrapolar o tempo em apenas 5 minutos.

    Depois que os demais falaram, eu pensei que o debate iria começar – mas a Moderadora passou às perguntas da platéia, que foram como de hábito isso mesmo que vocês estão pensando; e em seguida, baubau, acabou!

    O outro meio minuto de proveito a que me referi foi graças a uma pergunta da platéia sobre se não estaríamos “numa idade das trevas para a literatura no Br”. A Modestadora achou de passar a pergunta ao Pécora, que disse que infelizmente não: mas que ele certamente seria pelas trevas, se adviessem.
    E completou que talvez o problema seja justamente o excesso de vida: essa multidão de gente viva e saudável por aí, escrevendo sem cessar em todos os meios e dimensões, aflita por se intrometer no mundo dos mortos – onde estão os Grandes.
    Lembrei-me logo da lição que se pode aprender ao ler Genet comentando o ateliê de Giacometti: ao contrário desses miseráveis todos que tentam produzir por alguma “glória futura” ou ainda pelo sempre duvidoso e cretino presente, é tão-só para o mundo dos mortos que convém a feitura artística. E só esse mundo nos alimenta o que temos de beleza. O resto é publicidade ou autopublicidade (conclusão de meu acréscimo, obviamente dispensável).

    Quando ao final a Molestadora (uma jovem esbanjadamente saudável, por sinal) abriu alguns minutinhos de palavra pra cada um, “para o caso de desejarem retomar algo que tenha ficado solto”, o Pécora não se fez de rogado: disse que para ele estava TUDO solto, e que ele não tinha nada a acrescentar.
    Nem eu tampouco.

  5. Maria Elisa Guimaraes says:

    Hahahahahaha!
    Putzgrilo, Habel
    Além de estar rindo muito com as tuas grouchomarxices:-) e paranomásias hohoho. desatei num choro de alegria:

    Era isso mesmo a coisa com que tu deste.;-))))
    Hahahahah

    =====
    Mas o teu comentário devia ser levado (não disse elevado, prestenção) pra categoria de post.
    Já te disse: faz um blog.
    Um dia me darás razão!
    E deixa eu ir rir.

    15 minutos pro Pécora já define o que vem a ser isso.
    Beijos amazônicos mandados mineiramente.
    M.

  6. Magaly says:

    Gostava dele sim, da sua voz potente e de algumas músicas que cantava. Adorava, por exemplo, sua interpretação no CD Grande Circo Místico. Pena que se foi tão cedo.

    Parabéns ao ganhador do prêmio Camões, António Lobo Antunes. Prêmio importantíssmo.

    Uma noite linda pra você, Meg.

  7. Alma says:

    O cara, o Lobo Antunes, é bárbaro! Sou fã de carteirinha dele…desde que li Não entres tão depressa nessa noite escura. Você leu?

    Beijão

  8. Maria Elisa Guimaraes says:

    Alma, querida, vou confessar com muita vergonha, não li. \^.^/
    Mas vou me dedicar a ler todos.
    Sabe que eu tenho;-) há uma livraria na cidade do Porto, Portugal, que -justo por causa dessa premiação, – está vendendo o conjunto da obra de Lobo Antunes, ppor preços muito baixos, muito convidativos.
    É a Webbom,.pt

    E esse título do livro do Lobo Antunes, é lindíssimo.
    M.

%d blogueiros gostam disto: