Vivamente… agradecida.

matisse_jazz

Isto aqui ô..ô… é muuuuuito gostoso de ler. Obrigada, Plima, you’ve made my day!.

Paulo H. Lima é tão importante que eu o chamo de Embaixador porque ele representa o Brasil em tantos lugares, e tem sido o mandatário-mor, comandante-em-chefe de outras tantas entidades… das que se convenciona chamar de “um Brasil melhor”.

Ele é o Diretor Excutivo da RITS – Rede de informação para o Terceiro Setor , e vive nesses lugares de Forum Social Mundial etc e tal…

Adoro quando ele escreve porque ele é que me dá as dicas mais quentes sobre literatura (Arriba, Montalbán!), cinema e música: afinal é uma das pessoas mais cultas, espirituosas, charmosas – tudo que o diabo gosta- que conheço.)
Ele já teve um dos mais ricos blogs, de importância proporcionalmente inversa à sua duração (do blog, claro): o Anamnésia, que só raríssimos privilegiados tiveram oportunidade de conhecer. Foi ou não foi, Fausto? ;-))))
Pronto, aqui está: Anamnésia

Agora (já há algum tempo) voltou com o C’est ça! que mudou de visual, mas continua lindo e simplesmente o máximo.

Paulo Limahttp://plima.bandolo.net vem cá, não é jóia esse endereço (sinto que minha gíria vai ‘pegar’) além de que é lindo. O blog, pisc*.

RITS – Rede de informação para o TERCEIRO SETOR

Ô Paulo, que coisa mais bonita você escreveu a meu respeito. E isso, ah isso, é tão raro. Eu acho que não dói, mas que é raro, é, hohoho! Tão raro que vale um post. Obrigada.
E vai aí uma ilustração que escolhi exprès pour toi…C’est ça!

-=-=-=-=-

Obrigada, Fausto.

Bem, já o Fausto é o ínclito (sim, por que não?) jornalista Fausto Rêgo (Amigo ímpar e amplamente citado no Sub Rosa) é o Editor da RETS, que é a ótima Revista do Terceiro Setor. Dê uma lida: é a melhor que se faz no Brasil.

Bem, os dois sabem tu-do de t-u-d-o. Mas parece que é porque além de rapazes inteligentes eles têm um professor chamado Otto, ou um deles é o professor Otto… Coisa para iniciados. :-))

By the way: Alguém me pediu outro dia notícia sobre a “outra” CPI das ONGS, certo?
Voilà:

CPI DAS ONG’s – o retorno

Da ‘medieval’ crueldade dos amantes…

barra_florida.gif

      El Caballero de la Triste Figura”

CARTA DE DON QUIJOTE A DULCINEA DEL TOBOSO

SOBERANA Y ALTA SEÑORA

El ferido de punta de ausencia, y el llagado de las telas del corazón, dulcísima Dulcinea del Toboso, te envía la salud que él no tiene. Si tu fermosura me desprecia, si tu valor no es en mi pro, si tus desdenes son en mi afincamiento, maguer que yo sea asaz de sufrido, mal podré sostenerme en esta cuita, que además de ser fuerte es muy duradera. Mi buen escudero Sancho te dará entera relación, oh bella ingrata, amada enemiga mía, del modo que por tu causa quedo: si gustares de acorrerme, tuyo soy; y si no, haz lo que te viniere en gusto, que con acabar mi vida habré satisfecho a tu crueldad y a mi deseo.
Tuyo hasta la muerte.

.
barra_florida.gif

Diz-se – não posso afirmar – que esta carta, enviada através dos bons préstimos de Sancho Pança à destinatária, infelizmente nunca pôde ser lida por ela, por dois motivos:

a) era analfabeta

b) e como “Dulcinéa” ficou sabendo que se tratava de correspondência íntima, não podia pedir a ninguém que a lesse para ela.

  • “Y así pasan los dias…”

Happy Birthday, San Quentin Tarantino!

san_quentin.jpg
Meus queridos, meus amados, e nem tanto:-)
Duas, aliás, três coisas:

1- O meu amado, idolatrado, salve, salve Quentin Tarantino hoje faz aniversário: quarenta e quatro aninhos.
Tão novinho e já fez tanta, mas tanta coisa. Inapelavelmente, já tem seu lugar na História do Cinema, entre os realmente GRANDES, entre os MAIORES. Pelo simples fato de que ele, como dizem meus queridos franceses, il, lui, connaît son boulot. C’est ça!

Pois bem, conscientemente ou não, meu querido amigo Milton Ribeiro, que, igualmente, é um dos melhores blogueiros ever….! inteligente, culto, pessoa com quem se pode conversar, como se diz na minha terra, “de um tudo”, e modesto (única qualidade que eu não gosto nele e ainda não tive ou acho que tive, oportunidade para explicar o porquê, que é muito simples: para falar mal da gente, aparece até quem não nos connhece, agora para falar bem…hohoho e assim muita coisa boa que a gente faz, fica desconhecida , e num mundo em que vivemos, informação é tudo para combater a mediocridade) fez, consciente ou inconscientemente uma homenagem a Quentin,com um belíssimo post, que dedicou a seu filho Bernardo Ribeiro, sobre o que vem a ser as GRINDHOUSES, não à toa, título do próximo filme de Quentin, que será released no dia 6 de abril nos USA. . Leia, svp, ele conseguiu dar o toque gráfico do pop-taranta:-)

Parabéns , então aos dois, mas…oh Creuza, pelamordideus, for heavens’ sake, mais parabéns pro meu Quentinho. tá bom, Milton? Iuhuuuu!

2- Eu não poderia deixar de agradecer aos meus queridos leitores, AMIGOS e CURIOSOS que em menos de um mês de blog, já me fizeram mais de 5.200 visitass ….Hey, claro que não estou contando com os que não acreditavam, ou me desaconselhavam, nem com os que vieram ver que bicho ia dar:-)… Obrigada à minha médica! E obrigada a mim mesma. também, por que não? hohoho.
Evidentemente, fiquem calmos, eu sei que após este mês (e por isso apressei-me a dizer logo hoje, a título de agradecimento) tudo cessará. E ficarei só com os meus 13 leitores “de sempre”, contando e sabendo que os de sempre, não eram assim .. tão de sempre! ;-))) pisc*

Claro que estou feliz, pois meu blog é principalmente de divulgação, sempre foi nesses seis anos; é um blog clássico, bonitinho e elegante, (EU acho hahahah), contendo uma porção de ainda mais elegante sarcasmo, mas feito para “louvar o que bem merece e deixar o ruim de lado”.
Gente, isso não é cabotinismo (outra característica que odeio e não gostaria de possuir) é apenas a letra de uma música, do nos misterioso ministro Gilberto Gil.
É só que quanto mais leitores o Sub Rosa v. 2 tiver, melhor será a divulgação! Certo?

E por fim, claro que agradeço, a essas 5.000 criaturas , esses viventes , retirando os que sabem que não devem ser incluídos, que estou muito feliz por estar viva! Aliás, sempre estive. E cada vez mais cada vez. Obrigada a todos que sabem que têm participação nisso.

E, ainda mais especialmente, aos novos amigos que ao me virem chegar, me receberam com muito carinho.
Beijos e muito obrigada quer aos que gostam quer aos que não gostam de mim. hohoho. Todas essas duas valorosas “classes” me deram muita força , muitíssima, para eu estar aqui. pisc*
E palmas para San Quentinho, meu amor!

QUENTIN TARANTINO !

=-=-=-=-=-

Clique.
Bang Bang (My Baby Shot Me Down) com Nancy Sinatra – Faixa 01 da soundtrack de Kill Bill – (chiquerésimo, esse rapaz, hein?)

Dois (belos) motivos para uma semana feliz (3)

boasemana31.jpg

A SERENATA

Uma noite de lua pálida e gerânios
ele viria com boca e mãos incríveis
tocar flauta no jardim.
Estou no começo do meu desespero
e só vejo dois caminhos:
ou viro doida ou santa.
Eu que rejeito e exprobro
o que não for natural como sangue e veias
descubro que estou chorando todo dia,
os cabelos entristecidos,
a pele assaltada de indecisão.
Quando ele vier, porque é certo que vem,
de que modo vou chegar ao balcão sem juventude?
A lua, os gerânios e ele serão os mesmos
– só a mulher entre as coisas envelhece.
De que modo vou abrir a janela, se não for doida?
Como a fecharei, se não for santa?

Adélia Prado- (Brasil)

=====

Claro que meus posts, são sempre para todos os leitores – colegas ou eventuais, porém , em especial, dedico o poema – só o poema – de Adélia, a um de seus maiores admiradores fora do Brasil:SOB(re) A PÁLPEBRA DA PÁGINA, meu Amigo CSA: Carlos Sousa de Almeida, ele mesmo escritor, Poeta e Tradutor. E, last bust not least, um grande amigo virtual.

Tenham todos uma semana felicíssima.

=====
Perdoem a falta de tempo, mas volto já.


Ah , assim que puderem, isto é já, já:-) visitem o blog do William, bom bainano, que faz um belo tipo de ARTE POP: Mail ART ou ARTE POSTAL. Este tipo de arte é muito e bem feito , mas pouco valorizado. Lembram do Basquiat, com seus graffitis? Pois é!
E me lembra um dos meus blogsons: GRAFOLALIA, do querido João Antônio Bührer…mas este é um pioneiro em quase tudo.

====
PROMETO VIR COMENTAR E RESPONDER TODOS OS COMENTÁRIOS. Ainda estou traduzindo do alemão o que o Carlos escreveu. Tomo um chá e amnhã estou novinha.
Tsüchss!

ACORRENTADOS

        los_amorosos

“Quem coleciona selos para o filho do amigo; quem acorda de madrugada e estremece no desgosto de si mesmo ao lembrar que há muitos anos feriu a quem amava; quem chora no cinema ao ver o reencontro de pai e filho; quem segura sem temor uma lagartixa e lhe faz com os dedos uma carícia; quem se detém no caminho para ver melhor a flor silvestre; quem se ri das próprias rugas; quem decide aplicar-se ao estudo de uma língua morta depois de um fracasso sentimental; quem procura na cidade os traços da cidade que passou; quem se deixa tocar pelo símbolo da porta fechada; quem costura roupa para os lázaros; quem envia bonecas às filhas dos lázaros; quem diz a uma visita pouco familiar: Meu pai só gostava desta cadeira; quem manda livros aos presidiários; quem se comove ao ver passar de cabeça branca aquele ou aquela, mestre ou mestra, que foi a fera do colégio; quem escolhe na venda verdura fresca para o canário; quem se lembra todos os dias do amigo morto; quem jamais negligencia os ritos da amizade; quem guarda, se lhe deram de presente, o isqueiro que não mais funciona; quem, não tendo o hábito de beber, liga o telefone internacional no segundo uísque a fim de conversar com amigo ou amiga; quem coleciona pedras, garrafas e galhos ressequidos; quem passa mais de dez minutos a fazer mágicas para as crianças; quem guarda as cartas do noivado com uma fita; quem sabe construir uma boa fogueira; quem entra em delicado transe diante dos velhos troncos, dos musgos e dos liquens; quem procura decifrar no desenho da madeira o hieróglifo da existência; quem não se acanha de achar o pôr-do-sol uma perfeição; quem se desata em sorriso à visão de uma cascata; quem leva a sério os transatlânticos que passam; quem visita sozinho os lugares onde já foi feliz ou infeliz; quem de repente liberta os pássaros do viveiro; quem sente pena da pessoa amada e não sabe explicar o motivo; quem julga adivinhar o pensamento do cavalo; todos eles são presidiários da ternura e andarão por toda a parte acorrentados, atados aos pequenos amores da armadilha terrestre.”

trevinhos.gif

Este texto de PAULO MENDES CAMPOS (o meu cronista, frasista, e homme-orchestre preferido), eu sei, é conhecido por todos e mesmo quando eu o publiquei pela primeira vez em 2001 – alguns já o haviam descoberto. Em 2002 já era uma febre nos blogs:-) Que bom! Por isso, perdoem-me se o repito aqui.

Eu o devo a meu amigo César Miranda e mesmo que todos já o conheçam, é uma bela reflexão para a noite de sábado e o domingo. E todos os dias, por que não?;-)

.

Private: Fire e Fox (atualizado)

firefox.png
Pessoas queridas e com muito amor no coração:-)
Eu estou ficando doidinha.
Uso há bastante tempo, desde quenado ele não era tão bom, o navegador (browser) Mozilla Firefox.
Como vocês são dimaisssshhh, será que algué,m me ajuda?
Olhem: eu não posso entrar em nenhum lugar em que que tenha fazer login.
Dizem que minha senha está incoreta.
Bom, depois de passar muito tempo, me descabelando, e mandando emails terríveis, no meu não menos terrível English, fui usar o Microsoft e deu tudo certinho. Pode?

Resultado, o meu problema é:
Eu não sei como habilitar cookies no Firefox. Não sei , não sei, não sei.
Não posso sequer entrar no GMail.

O que me aconselham? Podem me ajudar?
Eu estava com a última versão da Raposa de Fogo.
Um beijo
E , miraculosamente, assim que algum cavalheiro me acudir, este post se desfará.
Obrigaaaaada!!!!!!

===
Normalmente, cumpro promessas. Mas às vezes acho que as decisões post-promessas são melhores.
Desse modo, porque a leveza da generosidade é muito suave e as coisas suaves são difíceis de serem sentidas, (ao contrário de…) resolvo deixar aqui o post, o meu obrigada imenso, a uma das pessoas que mais admiro na blogosfera (não gosto dessa palavras), mas é a que emos, não?

É o Jorge, sempre muito grave, mas de um fascinante talento. É só conferir aqui no PRIMA SCRIPTA.

xxxxx
Ah! e para o dia amanhecer feliz, leiam aqui , do meu blogueiro favorito (todos são, fiquem calmos hohoho) mas esse é porque já nos conhecemos há dez anos e ele fazia blog, já nessa época, sem saber que era blog.
Ah e fazia para mim:-)))
Voilà:

      POR QUE EU NÃO SOU EU

    Do escritor César Miranda – no PRO-TENSÃO


É uma crônica , vocês vão adorar e como ele não tem comentários, podem comentar aqui mesmo, que ele não se incomoda:-)

ONTEM FOI O DIA DA POESIA

in_box_horizontal.jpg
Como sabem, eu estou sempre num fuso horário 24 horas atrás. Desculpem.
Nesses dois dias tive imensas saudades de vocês. E obrigada pelo carinho.
Agora, para vocês, para nós, melhor dizendo, um poema que é das coisas mais belas que já li.

Olhem aqui, prestem atenção, a minha (ambiciosa) idéia em meus blogs, sempre foi a de apresentar coisas novas, ou pelo menos não repetir sempre as mesmas coisas….(embora, claro eu repita sempe o que mais gosto!),
Eis então, o poema para celebrar o seu Dia:

SÚMULA

Minha cabeça estremece com todo o esquecimento.
Eu procuro dizer como tudo é outra coisa. Laszlo_nagy
Falo, penso.
Sonho sobre os tremendos ossos dos pés.
É sempre outra coisa, uma
só coisa coberta de nomes.
E a morte passa de boca em boca
com a leve saliva,
com o terror que há sempre
no fundo informulado de uma vida.
Sei que os campos imaginam as suas
próprias rosas.
As pessoas imaginam os seus próprios campos
de rosas. E às vezes estou na frente dos campos
como se morresse;
outras, como se agora somente
eu pudesse acordar.

Por vezes tudo se ilumina.
Por vezes canta e sangra.
Eu digo que ninguém se perdoa no tempo.
Que a loucura tem espinhos como uma garganta.
Eu digo: roda ao longe o outono,
e o que é o outono?
As pálpebras batem contra o grande dia masculino
do pensamento.

Deito coisas vivas e mortas no espírito da obra.
Minha vida extasia-se como uma câmara de tochas.

– Era uma casa – como direi? – absoluta.

Eu jogo, eu juro.
Era uma casinfância.
Sei como era uma casa louca.
Eu metia as mãos na água: adormecia,
relembrava.
Os espelhos rachavam-se contra a nossa mocidade.

Apalpo agora o girar das brutais,
líricas rodas da vida.
Há no esquecimento, ou na lembrança
total das coisas,
uma rosa como uma alta cabeça,
um peixe como um movimento
rápido e severo.
Uma rosapeixe dentro da minha ideia
desvairada.
Há copos, garfos inebriados dentro de mim.
– Porque o amor das coisas no seu
tempo futuro
é terrivelmente profundo, é suave,
devastador.

As cadeiras ardiam nos lugares.
Minhas irmãs habitavam ao cimo do movimento
como seres pasmados.
Às vezes riam alto. Teciam-se
em seu escuro terrífico.
A menstruação sonhava podre dentro delas,
à boca da noite.
Cantava muito baixo.
Parecia fluir.
Rodear as mesas, as penumbras fulminadas.
Chovia nas noites terrestres.
Eu quero gritar paralém da loucura terrestre.
– Era húmido, destilado, inspirado.
Havia rigor. Oh, exemplo extremo.
Havia uma essência de oficina.
Uma matéria sensacional no segredo das fruteiras,
com as suas maçãs centrípetas
e as uvas pendidas sobre a maturidade.
Havia a magnólia quente de um gato.
Gato que entrava pelas mãos, ou magnólia
que saía da mão para o rosto
da mãe sombriamente pura.
Ah, mãe louca à volta, sentadamente
completa.
As mãos tocavam por cima do ardor
a carne como um pedaço extasiado.

Era uma casabsoluta – como
direi? – um
sentimento onde algumas pessoas morreriam.
Demência para sorrir elevadamente.
Ter amoras, folhas verdes, espinhos
com pequena treva por todos os cantos.
Nome no espírito como uma rosapeixe.

– Prefiro enlouquecer nos corredores arqueados
agora nas palavras.
Prefiro cantar nas varandas interiores.
Porque havia escadas e mulheres que paravam
minadas de inteligência.
O corpo sem rosáceas, a linguagem
para amar e ruminar.
O leite cantante.

Eu agora mergulho e ascendo como um copo.
Trago para cima essa imagem de água interna.
– Caneta do poema dissolvida no sentido
primacial do poema.
Ou o poema subindo pela caneta,
atravessando seu próprio impulso,
poema regressando.
Tudo se levanta como um cravo,
uma faca levantada.
Tudo morre o seu nome noutro nome.

Poema não saindo do poder da loucura.
Poema como base inconcreta de criação.
Ah, pensar com delicadeza,
imaginar com ferocidade.
Porque eu sou uma vida com furibunda
melancolia,
com furibunda concepção. Com
alguma ironia furibunda.

Sou uma devastação inteligente.
Com malmequeres fabulosos.
Ouro por cima.
A madrugada ou a noite triste tocadas
em trompete. Sou
alguma coisa audível, sensível.
Um movimento.
Cadeira congeminando-se na bacia,
feita o sentar-se.
Ou flores bebendo a jarra.
O silêncio estrutural das flores.
E a mesa por baixo.
A sonhar.

HERBERTO HELDER (Portugal – Funchal – Ilha da Madeira, 23/11/1930)
Trata-se de um poeta máximo. leiam aqui sobre ele.

InOu o Poema Contínuo“,

Ilustração de Ruth Bernhardt (minha escolha, completamente aleatória)
(leiam e releiam e depois me digam o que acharam)
Beijos para ustedes;-)

P.S. Existe uma antologia de poemas de Herberto Helder, no Brasil, com o título “O corpo o Luxo a Obra” selecionada e apresentada por Jorge Henrique Bastos, um dos mais cultos brasileiros, e a editora é a Iluminuras. S. Paulo, 2000.

======